Você já se perguntou como pode diminuir sua pegada de carbono? O carbono, com o metano e oxido nitroso, é um dos principais gases que contribuem para o efeito estufa que tem como consequências o aquecimento global, derretimento das calotas polares que causa aumento do nível do mar e perda de terras, extinção de espécies de animais, entre outros. 

Nesse sentido, existe o Acordo de Paris – tratado mundial, assinado por 195 países em 2015 – para diminuir o aquecimento global. Aqui a meta é limitar o aumento médio de temperatura global a 2 °C, porém, preferencialmente deverá ficar em até 1,5 °C. 

Pensando na importância das mudanças climáticas, é necessário que todas as pessoas – incluindo aqui empresas e governos – façam sua parte para mudar essa situação. Pensando em auxiliar, fizemos uma lista com dicas! 

Dicas para diminuir a pegada de carbono

Alimentação

Retirar a carne do prato

A carne é um produto que utiliza muita água e energia. 

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

De acordo com o veículo Publico, com dados de um estudo de Joseph Poore e Thomas Nemecek veiculados na Science, cada quilo de carne emite 60 quilos de gases que causam o efeito estufa. Para ter uma ideia, isso é 120 vezes maior do que batatas e cenouras! 

Se você ainda não é vegano, pode fazer a Segunda sem carne ou mesmo reduzir aos poucos o produto da dieta. 

Fazer uma horta

O transporte de temperos causa a emissão de gases de efeito estufa, portanto, uma ideia é fazer a sua própria horta. Aqui no portal do Vegan Business já demos um passo a passo para você fazer a sua, vale ressaltar que a horta não precisa ser muito grande, as recomendações para apartamentos são: tomilho, cebolinha e hortelã. 

Use uma composteira 

A composteira é uma maneira de você diminuir seu impacto ambiental, já que o lixo orgânico também emite gases de efeito estufa. 

Aqui existem dois tipos de composteiras: seca e vermicompostagem. No primeiro é utilizado os microrganismos do próprio solo, já no segundo são usadas as minhocas. 

Se você se interessa pelo assunto, a Casacor fez um tutorial mostrando como fazer os dois tipos. 

Se possível, prefira os alimentos orgânicos 

Os agrotóxicos também emitem gases prejudiciais ao meio ambiente. 

Segundo um estudo divulgado no jornal científico Plos One em 2013, é estimado que a fabricação, transporte e aplicação de inseticidas contra o pulgão-da-soja (uma das espécies que mais atingem esse tipo de colheita) resulta na emissão de cerca de 10,6 kg de CO2 por hectare de soja. 

Portanto, caso seja possível, é interessante optar por alimentos orgânicos. 

Diminua os processados da dieta 

Apesar de serem considerados mais práticos, os alimentos processados utilizam em sua maioria a queima de combustíveis fósseis, causando prejuízos ao meio ambiente. Por isso, você pode dar preferências aos produtos in natura que são mais saudáveis. 

Transporte

Caminhe 

Quer ir até um estabelecimento que fica na esquina? A caminhada é um meio de transporte muito menos poluente! 

O Instituto Akatu, organização sem fins lucrativos voltada ao consumo consciente e sustentabilidade, mencionou que se alguém trocar o carro pela caminhada em um percusso curto (1,5 km considerado o total da ida e também da volta) durante cinco vezes na semana por 57,5 anos, evita a emissão de gases de efeito estufa equivalentes a emitida pela produção de energia elétrica que abasteceria uma residência pelo período de 41 anos. 

O cálculo utilizou uma pessoa que começa a dirigir em sua maioridade (18 anos), com a expectativa de vida média da população do Brasil (75,5 anos), ou seja, 57,5 anos trocando o carro pela caminhada. Legal, não é? 

Ande de bicicleta 

Andar de bicicleta também é uma atitude mais sustentável, já que as famosas “magrelas” não utilizam combustíveis fósseis. 

Além disso, assim como a caminhada, é algo mais saudável já que coloca seu corpo em movimento. 

Conforme um cálculo da European Cyclist Federation (Federação europeia de ciclistas), a produção das bikes emite 5 gramas por quilômetro rodado, já o “combustível” são os alimentos que ingerimos, dessa forma, o meio de transporte emite aproximadamente 21 gramas de CO2 por quilômetro, considerando a média da dieta europeia, ou seja, 10 vezes menor do que um carro! 

Vá de transporte público

Uma ideia é utilizar o transporte público, aqui existem várias opções: ônibus, trem, metrô, bonde… tudo vai depender da sua localização. 

De acordo com uma pesquisa veiculada na Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, os metrôs do Rio de Janeiro e São Paulo emitem até 50 vezes menos CO2 do que os carros. 

Utilize caronas (caso possível)

Se você conhece alguém que está indo para o mesmo lugar e há espaço vago no carro, por que não combinar uma carona? Isso auxilia a não ter dois carros na rua indo para o mesmo lugar, causando o dobro de emissões. 

Se usa carro, adeque o veículo 

Carros que estão pouco conservados poluem mais, dessa forma, é recomendado fazer uma manutenção periódica no seu meio de transporte. A ação oferece mais segurança – diminuindo os riscos de acidentes – além de ser bom para o bolso, já que normalmente é mais caro consertar do que prevenir a deterioração do automóvel. 

Compras

Comprar produtos mais sustentáveis

Se você acompanha o portal do Vegan Business, já deve ter visto várias empresas que se preocupam com a sustentabilidade. Dessa forma, a dica é comprar produtos que buscam causar um menor impacto no meio ambiente, por exemplo, ser uma empresa carbono negativo. 

Levar a eco-bag para o supermercado 

Você tem uma eco-bag por aí? 

O plástico – muito usado para levar as compras do supermercado – também contribui para as emissões de CO2. 

De acordo com um relatório do Center of International Environmental Law (CIEL), divulgado no DW, o material é um contribuinte-chave desse tipo de gás, vale ressaltar que a maior parte dos plásticos são provenientes dos combustíveis fósseis. 

Optar por produtos locais  

Outra maneira de diminuir sua pegada de carbono é optar por produtos locais, por exemplo, fazer compras na feira ou adquirir de um agricultor. 

Dessa forma, as emissões com a transporte são reduzidas, bem como o uso de embalagens, já que quanto maior o tempo do trajeto, mais sofisticado os invólucros precisam ser. 

Outro ponto positivo é que essa ação auxilia o emprego na sua região e também o fortalecimento da economia local. 

Evite o consumismo 

Todo o produto que compramos utiliza recursos naturais e transportação. 

Como falamos no artigo 7 dicas para ser mais sustentável ao se vestir, mesmo a moda mais sustentável ainda tem impacto ambiental (apesar de ser menor). Portanto, sempre se pergunte se você realmente precisa de determinado objeto ou só está com vontade de obtê-lo. Além disso, sempre que possível, opte por marcas e empresas responsáveis com a natureza. 

Gostou de saber como você pode diminuir sua pegada de carbono? Aproveite e leia também: 

Fazenda Futuro: produto carro chefe se torna carbono neutro

6 Empresas veganas e plant-based de destaque no Brasil

Indústria plant-based será 100 vezes maior em 2050

*Imagem ilustrativa de capa: Unsplash

Por Amanda Stucchi em 15 de julho