A Plantish, empresa israelense, levantou US$ 12,45 milhões em uma rodada seed para escalar o salmão de corte inteiro plant-based. O investimento foi considerado o maior nesse tipo de rodada para uma empresa do mercado de frutos do mar alternativos.

No começo desse ano, apresentaram o peixe para o público, informando que pretendem realizar o lançamento do produto em estabelecimentos pop-up selecionados até o final desse ano, porém, o lançamento oficial está previsto para 2024.

A nova rodada foi liderada pelo State of Mind Ventures, fundo de capital de risco que investe em empresas em estágios iniciais, com participações da TechAviv Founder Partners, Pitango Health Tech, SmartAgro, Unovis Capital, Alumni Ventures, E2JDJ e OurCrowd. 

O valor será utilizado para contratar mais equipe, pesquisa e desenvolvimento, bem como para a comercialização do produto. O objetivo é entrar primeiro no food service. 

Merav Rotem Naaman, sócia geral da State Of Mind Ventures, falou em um comunicado: “Quando conhecemos a equipe de classe mundial da Plantish, sabíamos que eles tinham a paixão, a visão e a capacidade de realizar a tarefa aparentemente impossível de produzir um verdadeiro upgrade nos peixes”. 

Anteriormente, a marca obteve US$ 2 milhões em uma rodada pré-seed, portanto, até o momento já conseguiu US$ 14 milhões em toda sua história. 

A importância do salmão de corte inteiro 

O salmão da marca contém proteínas, ômega-3, ômega-6 e vitaminas do complexo B, além de ser livre de mercúrio, antibióticos, hormônios, microplásticos e toxinas. O alimento pode ser preparado de todas as formas como o produto de origem animal. 

Conforme o Statista Fish & Seafood Report, mais de 70% do peixe de origem animal é consumido globalmente no formato de corte inteiro ou filés. Entretanto, o setor de frutos do mar alternativos geralmente é composto por apenas opções picadas, como empanados e peixes fritos, por conta da dificuldade de produção de cortes inteiros. 

Ofek Ron, CEO e cofundador da Plantish, também deu um detalhe sobre o salmão: “Entendemos que mais de 60% dos frutos do mar são consumidos fora de casa, e o salmão está entre os peixes e proteínas animais mais populares do mundo. Portanto, estamos concentrando nossos esforços na rota do food service e você pode esperar nos ver em restaurantes finos nos próximos dois anos”. 

Outro ponto que devemos pensar ao falar sobre peixes é a sobrepesca. Segundo uma matéria do World Economic Forum, com informações da FAO, 90% dos peixes marítimos já estão sofrendo com a sobrepesca. 

Sobre a Plantish 

“Com a demanda por frutos do mar em alta, não seremos capazes de alimentar de forma sustentável a crescente e faminta população mundial. Estamos aqui para mudar isso”, afirmou a página da empresa. 

A marca foi criada em 2021, e tem como equipe fundadora as seguintes pessoas: Ofek Ron (CEO), Dr. Ron Sicsic (CSO), Dr. Hila Elimelech (Diretora de P&D), Dr. Ariel Szklanny (CTO)  e Eyal Briller (membro do conselho fundador). 

O CEO adicionou: “Nós amamos peixe e não estamos tentando mudar o que os consumidores querem. Estamos apenas oferecendo um delicioso upgrade para o salmão que é mais seguro para você e melhor para o planeta. Sem antibióticos, sem hormônios, sem mercúrio, sem capturas acidentais e sem concessões.”

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Novameat levanta US$ 6 milhões para carnes plant-based de corte inteiro

Carne vegana de corte inteiro: relatório da FoodHack explora startups

Novidade: carnes veganas em cortes inteiros

*Imagem de capa: Divulgação Plantish | Foto: Afik Gabay



por Amanda Stucchi em 16 de março