A JBS, multinacional brasileira que opera no segmento de carnes, investiu R$ 308 milhões para instalar o centro de pesquisa de proteínas alternativas JBS Biotech Innovation Center, no Sapiens Parque, localizado em Florianópolis, onde pesquisará a carne cultivada.

“A tecnologia e a inovação vêm transformando o dia a dia das pessoas e têm sido importantes ferramentas de gestão, com soluções mais eficientes para a máquina pública. A chegada da JBS ao Sapiens Parque será um movimento extremamente significativo que vai atrair toda uma cadeia de negócios ligados à pesquisa, ao conhecimento e à sustentabilidade tão importantes para a vida da nossa e das futuras gerações”, destacou Carlos Moisés, governador de Santa Catarina em um comunicado

José Antônio Ribas Júnior, diretor-executivo de agro e sustentabilidade da Seara (marca da JBS), revelou que o ecossistema de ciência e tecnologia é um ambiente fértil para o projeto dar certo, além de ter afirmado que fizeram a melhor escolha ao decidir por Florianópolis como o local do centro de pesquisa. 

O investimento de R$ 308 milhões (US$ 60 milhões) será executado em um período de quatro anos. 

Centro de pesquisa de carne cultivada 

Você já se perguntou qual será o impacto do centro de pesquisa? 

No primeiro momento, conforme informado, a empresa irá construir instalações especializadas para desenvolver tecnologia completamente nacional visando a produção da carne cultivada, bem como realizará uma planta industrial piloto e adquirirá os insumos que são necessários. 

Vale destacar que o JBS Biotech Innovation Center gerará mais de 100 empregos diretos, incluindo aqui 25 especialistas-doutores na fase inicial, cujo objetivo será pesquisar sobre as proteínas cultivadas. A liderança será feita pelos doutores Luismar Marques Porto (presidente) e Fernanda Vieira Berti (vice-presidente). 

Para quem tem curiosidade sobre o tamanho do centro, saiba que a instalação será adicionada a um terreno de 40 mil metros quadrados em uma posição privilegiada. 

Atualmente, 50 empresas operam no Sapiens Parque, local com infraestrutura que busca ter um baixo impacto ambiental, já que possui sistema próprio de tratamento de esgoto, ocorre o aproveitamento da água da chuva, a iluminação é feita pensando a eficiência energética, e as áreas de lazer contam com parques urbanos que possuem ciclovias e lagos.

Algo interessante é que as empresas são voltadas para diversos setores como o de meio ambiente, turismo, tecnologia e serviços especializados, lá todas podem produzir e cooperar juntas. 

A diretora do Sapiens Parque, Daniella Abreu, frisou essa abordagem no comunicado: “O modelo com o qual trabalhamos estimula a cooperação, os talentos e o espírito inovador. A união das iniciativas já instaladas e a chegada deste grande empreendimento retornarão à sociedade em forma de desenvolvimento sustentável e socioeconômico”. 

Investimento feito no ano passado

No final do ano passado, falamos sobre o investimento de US$ 100 milhões que a empresa realizou no mercado de proteína cultivada. 

O valor era destinado a: adquirir a startup Biotech Foods — empresa espanhola de biotecnologia voltada para o desenvolvimento de carne cultivada — desenvolver um centro de pesquisa e desenvolvimento no Brasil, bem como construir uma fábrica na Espanha utilizando US$ 41 milhões. 

O The Good Food Institute assessorou a empresa em sua entrada nesse setor, oferecendo apoio estratégico, tecnológico, regulatório e conexões com cientistas e startups. 

Na época, Gustavo Guadagnini, presidente do GFI Brasil, destacou: 

“Tivemos o privilégio de ver a empresa potencializar esses recursos para buscar a liderança da área, gerando uma das estratégias mais arrojadas da história do setor. Foi uma honra ver esse projeto nascer e aprender com o time de executivos da JBS durante o processo de planejamento”. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Carne cultivada: oportunidades e desafios

Holanda legaliza amostras de carne cultivada

Relatório investiga aceitação da carne cultivada

*Imagem de capa: Cristiano Estrela / Secom | via Governo de Santa Catarina 



por Amanda Stucchi em 10 de maio