Foi em Cingapura, no final de 2020, que a carne cultivada da Just EGG foi experimentada pelo público. A região foi a primeira — e até o momento — a única a aprovar a venda da carne cultivada, porém, a Holanda já está dando seus primeiros passos rumo a essa aprovação: legalizou as amostras de carne cultivada. 

A legalização das amostras de carne cultivada

A Câmara dos Deputados da Holanda aprovou a resolução, proposta pelos partidos D66 e VVD, para legalizar a degustação da carne cultivada sob condições controladas. 

O primeiro hambúrguer cultivado foi apresentado por um holandês: Mark Post, farmacologista, mostrou o alimento para o mundo em 2013 com a presença de 200 jornalistas e acadêmicos. Ele também é cofundador da empresa de carne cultivada Mosa Meat, sediada na Holanda. 

Peter Valstar, deputado do partido VVD e co-requerente da resolução, falou para o veículo RTL Nieuws: “Esta é uma maravilhosa invenção holandesa que pode se tornar uma importante fonte de alimento para humanos. Mas, como acontece com muitas inovações, vemos que os regulamentos europeus atrasam o desenvolvimento mais cedo, enquanto o resto do mundo agora está nos ultrapassando com nossa própria invenção”. 

Na Europa, o processo de aprovação regulatória funciona assim: depois da aprovação pelos órgãos reguladores, é possível comercializar o produto em todos os países da União Europeia. O processo inclui uma avaliação completa e baseada em evidências sobre a segurança e o valor nutricional do alimento. 

Outra novidade recente sobre o produto, é que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) encerrou uma sessão de comentários públicos sobre a rotulagem das carnes cultivadas, com aproximadamente 1.700 contribuições. O país ainda não aprovou o produto, entretanto, startups já estão pressionando pela aprovação no local. 

Aqui no Brasil está previsto que a novidade chegue entre 2023 ou 2024, por meio de uma parceria entre a BRF e a Aleph Farms. Para isso, também será necessária a aprovação dos Órgãos Reguladores brasileiros. 

No momento, não podemos afirmar qual será o próximo país a realizar essa aprovação, mas, esperamos que logo existam novidades nessa área! 

As possibilidades e os investimentos do setor

Caso tenha curiosidade sobre os investimentos no setor da carne cultivada, saiba que só estão aumentando! 

Segundo o The Good Food Institute, as empresas de carnes e frutos do mar cultivados receberam US$ 1,4 bilhões no ano de 2021. Para ter uma ideia, o valor foi de US$ 400 milhões em 2020, mostrando um grande aumento no período de um ano. 

O alimento oferece inúmeros benefícios — já falamos aqui sobre as oportunidades e desafios desse segmento — como o fato de ser mais sustentável e utilizar menos terra, não necessitar do abate de animais, bem como auxiliar na prevenção de futuras pandemias causadas por doenças zoonóticas. Além disso, o produto continua a ser de origem animal, só é feito de outra forma. 

Um dos desafios é a aprovação regulatória para que seja possível comercializar o alimento. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Venda de peles é proibida em Israel

Carne cultivada: oportunidades e desafios

Chile é o primeiro país da América Latina a banir o plástico de uso único

*Imagem de capa: Unsplash



por Amanda Stucchi em 22 de março