A marca de café sustentável Compound Foods, localizada nos Estados Unidos, levantou US$ 4,5 milhões em uma rodada seed.

Alguns dos investidores foram: Lowercarbon Capital, SVLC, Humboldt Fund, Collaborative Fund, Maple, Petri Bio, One Way Ventures e Ulu Ventures. Também tiveram investidores anjos cujos nomes não foram divulgados.

Por que esse produto é sustentável? O café utiliza a fermentação microbiana.

Em uma comunicação a fundadora e CEO, Maricel Saenz, falou sobre um estudo da Our World in Data que aponta que o café é a quinta safra mais poluente.

A Time também divulgou outro fato preocupante: metade da terra utilizada para o plantio do café pode ser improdutiva no ano de 2050, tudo isso é causado pelas mudanças climáticas.

A fundadora também relatou sobre o aumento dos preços de café no Brasil, conforme noticiado pela Fortune, onde a baixa temperatura destruiu safras no mês de junho desse ano. O Brasil é um grande produtor cafeeiro e produz 40% do café mundial. 

No comunicado, Maricel disse sobre a tecnologia: “Usamos micróbios cultivados de forma sustentável para produzir um café com tons mais doces, acidez mais brilhante e aromas com mais nuances do que qualquer coisa nas prateleiras das lojas de hoje”. Além disso, o produto é produzido sem grãos.

Ela também acrescentou: “A fermentação já tem um papel fundamental no processamento do café; as fazendas usam práticas de fermentação para produzir vários perfis de sabor do mesmo grão. Nós obtemos e otimizamos esses micróbios para criar sabores e aromas e cultivá-los de forma eficiente e escalonável”.

Marca de café sustentável Compound Foods
Imagem: Divulgação Compound Foods

Sobre a marca de café sustentável Compound Foods

A Compound Foods foi fundada por Maricel Saenz que nasceu em Porto Rico.

Ela contou que nos últimos anos estava trabalhando com a biotecnologia para impactar o mundo de forma positiva, e descobriu que diversas empresas já estavam criando soluções para enfrentar o desmatamento, porém, não tratavam muito do café.

Outras empresas que produzem cafés mais sustentáveis 

Essa não é a única empresa que está desenvolvendo cafés mais sustentáveis.

Existe a estadunidense Atomo, fundada em 2019, que produz café molecular sem utilizar grãos.

Também já falamos aqui no Vegan Business sobre o café da Taika, produzido com leite vegano e vendido em latas.

Aqui no Brasil também temos a marca A Tal da Castanha, clean label e certificada como Empresa B, que recentemente lançou um café biônico (também conhecido como funcional). A empresa utiliza a agricultura familiar e também é orgânica e plant-based.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Como Investir na Bolsa de Valores: Passo a Passo Para Iniciantes

Como Investir em Ações e Ganhar Dinheiro na Bolsa em 2021

Leite vegetal: 34 marcas para você escolher

*Imagem de capa: Pexels



por Amanda Stucchi em 8 de setembro