Começar a investir na bolsa de valores parece ser um bicho de sete cabeças, mas assim como tudo relacionado a finanças e investimentos é preciso estudar e entender ao menos o básico para iniciar (afinal, ninguém quer sair perdendo dinheiro).

Hoje a dispersão de informações sobre como investir em opções além da poupança tem motivado as pessoas a abrirem uma conta em corretoras e iniciarem no mundo da renda variável, o que antes parecia algo exclusivo para donos de grandes fortunas. Desde maio de 2020 até maio de 2021, houve uma alta de 50,2% de investidores ativos na B3.

Você quer começar e ainda não se sente seguro o suficiente? Isso é completamente normal na ânsia por sua jornada a caminho da independência financeira. Mesmo com todo o conhecimento técnico, a segurança real só vem com a prática.

Trouxemos este artigo para mostrar que comprar ações na bolsa pode ser feito de um jeito simples e prático. Continue lendo porque vamos ajudar você a se preparar e dar aquele empurrãozinho para sua primeira compra! 

Como funciona a compra de ações? Conheça as principais maneiras de comprar ações

Para começar a entender como funciona a compra de ações na bolsa, vamos primeiro definir o que são as ações.

Uma ação, ou papel, é uma fração do capital social de uma empresa. Ou seja, é uma parte da empresa que, quando você compra, torna você um acionista e dá o direito à uma porcentagem do lucro que essa empresa gera.

Parte desse lucro pode ser recebido através dos dividendos ou em bonificações periódicas.

Não é possível comprar ações diretamente na bolsa de valores, mas existem basicamente 4 maneiras para se investir:

1. Fundos de Investimento

Um fundo de investimento é um grupo gerenciado por um gestor. Vários investidores compram cotas do fundo no valor que desejam investir e o gestor aloca esses recursos em diferentes ativos buscando obter a melhor rentabilidade possível.

Os lucros obtidos com esses investimentos são divididos entre os cotistas com base na quantidade de cotas que possuem.

Todos os fundos possuem um regulamento que explica o seu funcionamento, em quais ativos ele destina as aplicações, a estratégia utilizada, os riscos envolvidos, as taxas cobradas, etc. Esse documento serve como guia para o investidor decidir se aquele é o fundo certo para ele.

Tipos de fundo de investimento:

  • Multimercados: os ativos escolhidos são diversificados entre renda fixa e renda variável, moedas e outras estratégias.
  • Renda fixa: os investimentos são feitos apenas em ativos de renda fixa.
  • Ações: os investimentos são feitos em ações da bolsa de valores.
  • Cambial: os investimentos são feitos em diferentes moedas estrangeiras
  • Ouro: os investimentos são feitos em gramas de ouro.

São várias as vantagens de optar pelos fundos de investimento, ainda mais para quem está começando nesse mundo de compras de ativos. 

Você vai ter alguém especializado para decidir os melhores lugares para colocar seu dinheiro e como resultado vai ter uma carteira diversificada dentro dos fundos. 

2. Clubes de Investimento

Pense no clube de investimento como um coletivo de pessoas físicas – no mínimo 3 e no máximo 50 – que busca investir na bolsa de valores.

Assim como os fundos de investimento, os clubes também dividem as aplicações em cotas. Mas nessa modalidade, não é uma instituição financeira que faz o gerenciamento dos investidores, mas alguém escolhido pelos cotistas.

Os clubes de investimento são outra opção para pessoas que estão iniciando e querem reunir mais informações e experiências sobre o mercado de ações e investimentos antes de iniciar a prática individual.

3. Exchange Traded Funds (ETFs)

Os ETFs são fundos de investimento – administrado por um gestor – onde você aplica seu dinheiro em carteiras de ações que utilizam algum índice de referência, como o Ibovespa. 

Diferente dos fundos de investimento em que os gestores estão sempre atrás das melhores oportunidades para rentabilidade, nos ETFs os ativos comprados sempre seguem, na mesma proporção, aqueles que compõem a carteira do índice de referência. Ou seja, os ETFs têm uma gestão passiva.

É outra porta de entrada para investidores iniciantes e os custos de administração são bem menores do que os fundos tradicionais.

4. Individualmente

Para quem já se sente seguro – ou não está, mas vai procurar segurança na prática – e quer trilhar o próprio caminho de renda variável, o mercado tradicional é o lugar para isso. 

Aqui você é o único responsável pela escolha dos ativos, a compra e venda e os custos referentes a eles.

O que é preciso para iniciar a compra de ações?

Comprar ações não é algo difícil, mas requer no mínimo um planejamento inicial. 

O ideal é não aplicar todo o seu dinheiro de uma vez só, tire um momento para planejar sua reserva financeira para não colocar toda a sua renda à mercê das variações do mercado. 

Estude sobre as empresas que você tem interesse em investir, lembre-se que ao comprar uma ação você se torna um pequeno sócio dessa empresa e, consequentemente, apoia as ações e impacto dela na sociedade e no mundo. 

Tenha uma lista de objetivos e comece a investir aos poucos até entender melhor como analisar os relatórios das empresas e criar confiança nas suas escolhas.

Quais são as taxas e custos para comprar ações na bolsa de valores?

Para comprar ativos na bolsa de valores você não vai gastar apenas o valor das ações. Por ser um processo que demanda o uso de plataformas e serviços de gestão, como nos fundos de investimento, você deve pagar algumas taxas. 

Uma dica para maximizar sua rentabilidade é pesquisar o mercado e encontrar corretoras com taxas menores.

Entre as principais taxas estão:

  • Taxa de administração: são aquelas cobradas pelo serviço de gestão das carteiras de investimento. 
  • Taxa de corretagem: são as taxas cobradas pela corretora a cada compra e venda de ações na bolsa. Algumas corretoras não cobram taxa de corretagem.
  • Taxa de custódia: é a taxa cobrada pelas corretoras para manterem as ações durante um período.
  • Taxa de emolumentos: essa é a taxa cobrada pela bolsa de valores a cada compra e venda de ações. 

Outro custo que você terá quando se tornar um investidor é a tributação sobre as vendas das suas ações. Quando você lucra com a venda, há incidência do Imposto de Renda em cima do rendimento.

A alíquota para operações normais é de 15%, enquanto que para as operações de day trade sobe para 20%.

Mas se você começar investindo valores mais baixos, não terá que se preocupar em um primeiro momento, pois vendas com lucro abaixo de R$20 mil por mês ficam isentas do Imposto de Renda.

Quais são os riscos de comprar ações?

Há um ar de exageros que permeia o processo de compra e venda de ações e isso aumenta o medo de se começar a investir e perder rios de dinheiro. Todo mundo já ouviu falar de alguém que colocou seu dinheiro na bolsa e ganhou milhares de reais e, logo em seguida, perdeu outros milhares. 

Diferente da renda fixa, onde você tem maior controle sobre a rentabilidade dos seus investimentos, mas retornos menores, a renda variável segue o caminho oposto. Você tem chances maiores de conseguir um bom retorno, mas também pode perder além do valor investido quando a ação em questão é desvalorizada.

Você deve ter em mente que qualquer tipo de investimento tem um grau de risco e o mercado de ações depende de diversos fatores externos, o que o torna volátil. 

O melhor jeito de evitar prejuízos é estudar e entender o funcionamento da bolsa de valores e aprender a analisar o mercado financeiro, começando aos poucos para reunir informações que vão ajudar na tomada de decisões e a criar estratégias para proteger seus recursos.

Para quem a compra de ações é indicada?

Se você não está satisfeito com a forma como o seu dinheiro está rendendo nas opções de renda fixa e quer buscar maiores oportunidades, o mercado de renda variável pode ser o lugar para você.

Não é necessário um perfil específico para começar a investir na bolsa de valores. Por ser um processo bem democrático que permite investimentos fracionados, qualquer pessoa pode começar com um capital menor até se sentir preparado para aumentar os valores de aplicações. 

Basta ter em mente que os riscos existem e são maiores do que os encontrados na renda fixa. Prepare o seu psicológico e estude o máximo possível para não criar altas expectativas ou se perder em momentos de confiança extremos que podem levá-lo a ignorar sinais de alerta.

Como Comprar Ações: o Passo a Passo

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre as formas de se investir e o que é necessário para isso, vamos ver o quão simples é aplicar seu dinheiro e realizar as compras de ações na bolsa de valores.

1. Abra uma conta em uma corretora de valores confiável

O primeiro passo para investir em ações e outros ativos da renda variável é escolher uma corretora como uma intermediária para as compras e vendas. 

São várias as corretoras ativas no mercado com plataformas online que tornam o processo todo muito mais prático. É interessante estudar os benefícios que oferecem, as taxas cobradas e a reputação de cada uma antes de fazer seu cadastro e abrir uma conta.

Através da sua conta é que você vai colocar dinheiro para começar a comprar ações, abrir o home broker e receber valores de dividendos ou caso venda ativos.

2. Conheça o seu perfil de investidor

Quando você abre uma conta em uma corretora, é comum que seja realizada uma pesquisa de perfil de investidor para iniciar a relação com seus investimentos.

Esse perfil é criado com base na análise das suas respostas para uma série de perguntas, levando em consideração sua personalidade, objetivos e tolerância a riscos. 

Seu perfil serve para indicar quais os melhores ativos para compor a sua carteira de investimentos e como guia para você tomar decisões.

Os tipos de perfil de investidor:

  • Conservador – prioriza a segurança, sendo que a maior parte dos investimentos deve ser de baixo risco, principalmente de renda fixa, pois busca preservar o seu patrimônio.
  • Moderado – com uma maior tolerância para riscos a longo prazo, esse perfil de investidor é mais versátil e analisa a melhor forma de investir equilibrando os possíveis lucros com a segurança, colocando recursos tanto em renda fixa quanto em renda variável.
  • Agressivo – com uma visão mais objetiva e maior conhecimento do mercado, esse tipo de investidor entende que para ganhar mais a longo prazo, vão ocorrer algumas perdas. A maior rentabilidade é o seu objetivo principal.

3. Transfira seu dinheiro para a corretora 

Depois de ter seu perfil definido e pronto para começar seus investimentos, você precisa enviar o dinheiro que será utilizado para as aplicações. É possível realizar um DOC, TED e até mesmo PIX de acordo com as orientações de cada corretora, normalmente só é possível transferir de contas de mesma titularidade.

4. Analise e escolha a melhor estratégia de investimento

Antes de entrar no home broker e sair animado comprando ações, é interessante analisar as estratégias de investimento e escolher qual a melhor para você. Seu perfil de investidor vai te ajudar a sentir mais segurança nesta etapa. 

São vários os fatores que definem uma estratégia, mas normalmente elas se baseiam no quão rápido você planeja ter resultados, podendo ser de curto ou longo prazo.

As estratégias de curto prazo geralmente oferecem riscos um pouco maiores e devem ser bem planejadas. Enquanto as de longo prazo se baseiam em uma carteira mais diversificada e uma análise fundamentada visando o futuro das empresas escolhidas na compra dos ativos.

Veja algumas das principais estratégias de investimento:

  • Buy and Hold – se concentra na compra de ativos de empresas com alto potencial de crescimento e visa a valorização da ação no longo prazo.
  • Value Investing – é a compra de ações por um preço abaixo do mercado com base em análises das empresas e visando a venda por um preço maior.
  • Dividendos – são escolhidas empresas que pagam dividendos – que é um valor periódico oferecido aos investidores com base nos lucros da empresa – e esse valor é reinvestido em mais ações.
  • Day Trade – a principal estratégia para curto prazo, o day trade é a compra e venda de ações ou outros ativos no mesmo dia.

5. Decida entre mesa de operações ou home broker

Para operar na bolsa de valores você pode escolher entre duas formas, a mesa de operações ou o home broker.

Na mesa de operações existe um profissional que realiza a emissão das ordens de compra e venda para você. Enquanto que no home broker, é você quem faz online todo esse processo, pelo computador ou celular, então você tem mais autonomia.

Por meio dos sites das corretoras, você tem acesso ao home broker e pode acompanhar em tempo real as cotações, gráficos para análise e os pedidos de ordens.

6. Compre as ações e comece a formar uma carteira

Agora é o momento de encontrar as ações que você escolheu com base na sua pesquisa e começar a investir. 

Você pode comprar ações em lotes de 100 ou fracionadas a partir de 1, basta inserir o código do papel no seu home broker.

Exemplo: Entre as empresas plant-based de sucesso, temos a Beyond Meat, o código para compra de ações é BYND, mas para comprar ações fracionadas, basta inserir o F ao final do código (BYNDF).

Quais são outras alternativas de investimento?

A bolsa de valores não é a única opção para comprar ações. Há outras formas de investimentos alternativos para você que está saindo da renda fixa e quer investir com propósito.

Existem diversas modalidades de investimentos que estão abrindo as portas para investidores interessados, entre elas o Equity Crowdfunding que é basicamente a captação coletiva de recursos para empresas de capital fechado – com valores a partir de R$1000. Nessa modalidade, o investidor recebe em troca participação na empresa através de ações.

Em breve, o Vegan Business será a nova plataforma de investimentos alternativos focada no ecossistema plant-based, apoiando empresas que têm em vista um futuro melhor, onde não há prejuízos para o planeta ou os animais. Cadastre-se no nosso site e faça parte de uma comunidade que está mudando o mundo para melhor!

Conclusão

Agora você já sabe que começar a comprar ações pela internet e iniciar sua vida como investidor de renda variável não é tão difícil quanto parece à primeira vista.

A base de tudo é o conhecimento e só estudando e analisando as melhores opções de onde investir é que você vai conseguir os resultados que almeja. 

Opte por colocar seu dinheiro em empresas que tenham valores e propostas nas quais você acredita e cresça com elas para transformar o mundo como puder.

Para acompanhar mais sobre investimentos no mundo plant-based, siga nossas redes sociais e se quiser receber novidades diretamente no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter aqui embaixo.

Leia também: O Que São Investimentos Alternativos? Um Guia Completo e Principais Exemplos e Vegetarianismo e veganismo são tendências de investimentos

*Imagem de capa: Pexels



por Leticia Rocha em 3 de agosto