A Vida Veg, foodtech plant-based brasileira, oferece diversos produtos como leites, manteigas e cremes, queijos, iogurtes, +proteína, requeijão e VegBurger, os produtos ainda contam com o certificado vegano da Sociedade Vegetariana (SVB). 

“Praticamente dobramos o faturamento ano após ano, já somos a marca líder no setor e temos o plano de ser 10 vezes maior em 2025, quando comparado a 2020. Estamos contentes com esse crescimento forte e trabalhando com afinco para cumprir o objetivo”, comentou o fundador Anderson Rodrigues. 

Ele teve a ideia de criar a empresa a partir de uma pesquisa de mercado, onde o mesmo percebeu uma dificuldade de encontrar produtos completamente vegetais nos supermercados. Após encontrar o sócio Alvaro Gazolla, os dois criaram a Vida Veg. 

“Estamos muito empenhado em criar a maior empresa do setor. Nós já somos uma marca líder no segmento plant-based e cada um tem uma inspiração, eu, Anderson, sou vegano, então a minha inspiração é ver mais animais sendo salvos da exploração”, continuou. 

No final do ano passado, a empresa conquistou R$ 18 milhões da X8 Investimentos, gestora de fundo de growth capital.  

Álvaro Gazolla e Anderson Ricardo Rodrigues da Vida Veg
Imagem de Álvaro Gazolla e Anderson Ricardo Rodrigues: Divulgação Vida Veg

Vida Veg: os desafios, recompensas e planos da foodtech plant-based

O fundador apontou como um grande desafio a pesquisa e desenvolvimento dos produtos, bem como encontrar a tecnologia para produzi-los.

Além disso, também houve o desafio de montar uma equipe e adicionar os produtos em todos os estados do país em grandes redes de supermercados, incluindo aqui o Carrefour e Pão de Açúcar.

Superado esses desafios, hoje a Vida Veg já conta com uma fábrica moderna voltada para a produção de alimentos veganos e uma equipe com quase 100 pessoas! 

Com mais de 35 produtos plant-based no portfólio, Anderson falou sobre as recompensa do negócio: “A recompensa foi ter esses mais de 35 produtos já em 5 mil pontos de vendas, ver o pessoal conseguindo acessá-los e fazer a transição entre a alimentação de base animal para a vegetal, levando mais saúde para as pessoas, tendo um ótimo impacto ambiental e salvando animais”. 

Quanto ao impacto sócio ambiental, a empresa trouxe as seguintes estatísticas:  

  • Preservou a vida de 1.506 animais. 
  • Economizou 1.271 milhões de litros de água. 
  • Não utilizou 33 milhões de metros quadrados de terra. 
  • Não emitiu 10,3 milhões de kg de CO2.
  • Reciclou mais de 115 toneladas de plástico e papel por meio do selo EuReciclo. 

Ficou com curiosidade para saber sobre os planos que a marca tem para o futuro?

“Teremos quatro grandes lançamentos de produtos na Natural Tech [feira especializada em alimentos e produtos naturais]. Estamos investindo na ampliação e modernização da fábrica, equipe, marketing e trade, para continuar sendo a marca líder no Brasil e dobrar o faturamento ano após ano”, explicou. 

Queijo Minas Frescal da Vida Veg
Imagem: Divulgação Vida Veg

Empresa relançou queijos vegetais 

Em março desse ano, a Vida Veg também relançou os queijos Minas Frescal e Minas Padrão, ambos produzidos à base de castanha de caju. 

“A Linha de Queijo Vida Veg passou por uma transformação incrível. Assumimos que precisávamos melhorar o sabor e textura dos produtos e fomos buscar nas técnicas de queijaria a tecnologia necessária para a mudança”, afirmou Arlindo Curzi, CEO da Vida Veg. 

Os produtos utilizam culturas lácticas veganas, o que auxiliou a dar o sabor e a textura que a empresa desejava, portanto, a marca adotará essas técnicas de fabricação de queijos em toda a linha feita à base de castanha de caju. 

“O público busca cada vez mais opções de base vegetal que entregam sabor e nutrição, e temos conseguido atender com nossa linha de queijos que já tem mais de cinco variedades (muçarela, parmesão, minas padrão, minas frescal, muçarela fatiado, dentro outros). Esses queijos também ralam e derretem, indo muito bem em receitas”, concluiu Anderson. 

Queijo Minas Padrão e Minas Frescal da Vida Veg
Imagem: Divulgação da Vida Veg

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

6 Empresas veganas e plant-based de destaque no Brasil

Mercado de alimentos veganos atingirá US$ 61,35 bilhões até 2028

7 curiosidades sobre o Vegan Business

*Imagem: Reprodução Vida Veg / via Facebook @vidaveg



por Amanda Stucchi em 11 de maio