A prefeitura de Ubatuba (SP) modificou o cardápio das escolas e creches municipais, em uma parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Com o Programa Novos Sabores, mais de 12 mil alunos dessas instituições podem aproveitar refeições plant-based nas quartas-feiras. 

A inclusão do menu vegetal começou no dia primeiro de junho, algumas das opções adicionadas são: hambúrguer de feijão-carioca, feijoada, macarrão nutritivo e bolo de banana. Quanto as cozinheiras, mais de 60 profissionais aprenderam como preparar esses alimentos para servir aos alunos

Refeições plant-based em Ubatuba auxilia a expandir paladar dos alunos

Um dos objetivos é expandir o paladar dos estudantes, fazendo com que os mesmos descubram a diversidade de refeições que podem ser produzidas sem produtos derivados de animais. 

Fatinha Barros, secretária municipal de Educação, explicou no comunicado

“É muito importante oferecer para os alunos uma merenda alternativa que valorize as frutas, os legumes e as verduras. São refeições que estarão proporcionando benefícios para a saúde das crianças, com menor consumo de gorduras e mais vitaminas e fibras. Além disso, elas terão a oportunidade de conhecer novos sabores, por isso o nome do programa”. 

Para o programa ser implementado, ocorreram palestras com orientações para diretores e coordenadores escolares, bem como servidores da Secretaria Municipal de Educação de Ubatuba, além disso, os pais dos alunos também receberam convites para conseguirem informações sobre os benefícios de uma alimentação plant-based.

Outro benefício que podemos citar a respeito desse programa é a sustentabilidade, já que a carne animal traz prejuízos ambientais: acelera o aquecimento global com gases de efeito estufa do gado, utiliza muita água (1 kg de carne bovina usa mais de 15.400 litros de água) e terra para pasto. 

“Além de ajudar as crianças a ampliar seu leque de alimentos, o Programa Novos Sabores servirá de ferramenta para o Município de Ubatuba reafirmar seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU”, adicionou Mônica Buava, diretora-executiva da SVB. 

A Sociedade Vegetariana Brasileira acrescentou que as prefeituras interessadas em oferecer essas opções à base de plantas para os alunos podem entrar em contato com a instituição, já que realizam treinamentos, sugerem cardápios e esclarecem os pontos positivos de trocar a proteína animal pela vegetal. 

Outra iniciativa brasileira 

Salvador, capital da Bahia, também teve uma iniciativa parecida com essa. 

Em um acordo entre o município, Humane Society International (HSI) e Mercy for Animais (MFA) serão distribuídas mais de 10 milhões de refeições à base de plantas nas escolas todos os anos.  

“A ideia é propor mudanças de hábitos na alimentação dos estudantes. Hoje, no Brasil, sabemos que as crianças, principalmente das camadas mais humildes da população, que é o público alvo da rede municipal de ensino, consomem pouca fruta e verdura, concentrando a fonte de proteína em produtos de origem animal. Então, a nossa proposta é que a gente consiga estimular nossas crianças a formar um paladar mais saudável para o resto de suas vidas”, mencionou Marcelo Oliveira, secretário de Educação de Salvador, no blog da Mercy for Animals. 

Portanto, podemos perceber que iniciativas assim auxiliam no bem-estar dos animais, saúde dos estudantes (ao ter uma dieta equilibrada, com inclusão de grãos, vegetais e frutas), preservação do planeta e expansão do paladar dos alunos que podem se acostumar melhor com esses alimentos. 

Gostou de saber sobre as refeições plant-based dos alunos em Ubatuba? Aproveite e leia também: 

69% dos pais no Reino Unido apoiam mais refeições veganas nas escolas

EUA: Illinois fornecerá almoço plant-based nas escolas públicas

Escolas da cidade de Nova York adotam sexta-feira vegana

*Imagem ilustrativa de capa: Unsplash



por Amanda Stucchi em 9 de junho