O estado de Illinois, localizado nos EUA, aprovou um novo projeto de lei que oferecerá almoço plant-based nas escolas públicas! Com essa nova legislação, as instituições terão a exigência de fornecer uma alimentação à base de vegetais para todos os alunos que solicitarem, cujos alimentos devem atender aos regulamentos federais de nutrição. 

Para ter uma ideia, as escolas públicas de Illinois contam com quase 2 milhões de estudantes matriculados a partir de 2021. 

Almoço plant-based nas escolas públicas

O projeto foi criado por Cyril Nichols (deputado estadual de Chicago) e Dave Koehler (senador estadual da cidade de Peoria), tendo sido aprovado por JB Pritzker, governador do estado de Illinois. 

A lei, com previsão para entrar em vigor em 1 de agosto de 2023, também busca incluir alunos com restrições religiosas referentes a sua alimentação. É o caso, por exemplo, dos muçulmanos que seguem o halal (proíbe o consumo de certos produtos, como a carne de porco). 

“Se as necessidades alimentares de um aluno estão enraizadas por motivos religiosos, relacionados à saúde ou outros motivos pessoais, oferecer uma opção de refeição à base de plantas satisfaria uma variedade de requisitos. Fornecer uma opção secundária de almoço saudável em nossas escolas é uma vitória geral”, afirmou Dave Koehler em um comunicado

“Garantir que nossos alunos tenham acesso à merenda escolar nutritiva é parte essencial de uma educação de qualidade. Quando os alunos estão bem alimentados, eles podem se concentrar totalmente no aprendizado. Muitos estudantes que são vegetarianos ou veganos são negligenciados quando se trata de menus de almoço escolar, mas esta lei garante que eles tenham uma opção à base de plantas para atender às suas restrições alimentares”, falou Cyril Nichols no Illinois House Democratic Caucus

A sexta-feira vegana dos Estados Unidos 

Falamos no começo desse ano sobre a iniciativa da sexta-feira vegana, adotada pelas escolas públicas de Nova York. A ação foi apoiada pelo prefeito Eric Adams, político que adota uma dieta plant-based e contou que isso auxiliou no seu diabetes tipo 2. 

Anteriormente, ele havia explicado para o Grubstreet que o governo não deveria alimentar as crises. 

“Não podemos ter um Departamento de Saúde e Higiene Mental lutando contra a obesidade infantil, diabetes e asma e um Departamento de Educação preparando 960.000 refeições por dia que causam obesidade infantil, diabetes e asma”, destacou ao veículo. 

Vale dizer que mesmo nesse dia o leite de origem animal continuará disponível, pois existem diretrizes da Food and Drug Administration (FDA). 

Além disso, ao falar sobre as refeições plant-based em Illinois, a mídia também informou que devido aos regulamentos federais, as escolas precisam oferecer leite, caso contrário, há dificuldades em receber subsídios e assistência federal. Logo, essa situação torna complicado que uma escola seja completamente vegana.

No caso do Brasil, mencionamos recentemente que Salvador servirá 10 milhões de refeições à base de plantas todos os anos nas escolas, sendo essa iniciativa decorrente de um acordo entre o município, Humane Society International (HSI) e a Mercy for Animals (MFA). Isso tudo demonstra que cada vez mais as escolas estão adotando refeições consideradas mais sustentáveis e sem origem animal.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Salvador servirá 10 milhões de refeições plant-based nas escolas

69% dos pais no Reino Unido apoiam mais refeições veganas nas escolas

Eric Adams é o primeiro prefeito com dieta à base de plantas de Nova York

*Imagem de capa: Pexels 

Por Amanda Stucchi em 25 de maio