A TissenBio Farms levantou US$ 1,6 milhão em rodada da Série A. Startup coreana de tecnologia de alimentos usa a bioimpressão 3D para produzir carne cultivada. 

A rodada foi liderada pela Envisioning Partners, com contribuições da FuturePlay e da Stonebridge Ventures e o financiamento vai ser usado pela TissemBio para criação de uma unidade de produção.

Através da bioimpressão a startup consegue fazer cortes inteiros de carne plant-based. Além disso, a empresa ainda criou biotintas comestíveis, que adicionam sabor, textura e valor nutricional às alternativas à carne cultivada. 

O CEO da TissenBio Farm, Wonil Han, à KoreaTechDesk falou sobre a produção: “No campo global de carne cultivada, é muito desafiador criar carne tão grossa quanto um bife por meio da metodologia de cultura de células”.

“Além disso, replicar a textura e o marmoreio da carne em carne cultivada e produzi-los em massa requer tecnologias de ponta. Nossas tecnologias fornecerão carne cultivada de alta qualidade que é competitiva em sabor, nutrição, qualidades sensoriais e preço em um futuro próximo”, acrescentou ele.

Mercado de carne cultivada atingirá US$ 517 milhões até 2030

O mercado de carne cultivada atingirá US$ 517 milhões até o ano de 2030, crescendo a um CAGR acima de 16% durante o período (2022-2030), segundo uma pesquisa do Acumen Research and Consulting.

Atualmente, o produto é vendido apenas em Cingapura por conta das aprovações regulatórias, porém, ao visualizar os dados esse setor se mostra promissor. Para ter uma ideia, a instituição também apontou que o mercado está avaliado em US$ 134 milhões em 2021. 

Mercado de carne cultivada até 2030

“A necessidade de uma alternativa de carne viável e sustentável nunca foi tão alta, com alta demanda por carne, número crescente de clientes de classe média e uma população mundial aumentando. As tecnologias de carne cultivada apresentam uma oportunidade única para o negócio global de agricultura reduzir as emissões de carbono e, ao mesmo tempo, oferecer um produto acessível, sustentável e ético”, escreveu o Acumen Research and Consulting

O que impulsiona o segmento? O aumento do consumo de carne, bem como a busca por um estilo de vida mais sustentável que dependa menos das proteínas de origem animal. Aqui vale destacar que a carne cultivada continua sendo carne, porém, é produzida sem o abate do animal. 

Pensando nos fatores restritivos, a empresa de pesquisa relatou a concorrência das alternativas à base de plantas e as diretrizes regulatórias rígidas referente a produção de carne cultivada. 

Como curiosidade, é possível citar que as carnes de frango cultivados tinham uma participação significa. A razão é que a carne de frango é consumida em maior proporção, caso compararmos com as outras. Também é mencionado que os nuggets conseguiram uma participação notável no setor no ano passado, entretanto, os hambúrgueres terão a taxa de crescimento mais rápida durante todo o período (2022-2030). 

Análise regional 

De acordo com a instituição, o mercado que teve a maior participação foi a América do Norte em 2021. As razões para isso são as seguintes: 

  • Aumento da urbanização. 
  • Avanços tecnológicos crescentes na área de cultura de células. 
  • Maiores atividades de pesquisa e desenvolvimento. 
  • Presença de players internacionais na região.
  • Parte da população americana modificou sua dieta para alternativas de carne devido aos benefícios. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Carne cultivada com mesmo preço da tradicional? Orbillion conseguirá até 2026!

Mercado da carne cultivada: as vantagens e os desafios desse alimento

Quer investir em carne cultivada? Conheça mais sobre o mercado

*Imagem de capa: Divulgação TissenBio

Por Gabriela Catan em 22 de setembro
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores