Você sabia que a Nestlé está trabalhando com uma startup de carne cultivada israelense? A empresa está avaliando tecnologias inovadoras para a produção de carne cultivada, ou seus ingredientes, com diversos parceiros externos e startups. Atualmente, os cientistas da Nestlé Research, localizados em Lausanne (cidade da Suíça) estão trabalhando em conjunto com a Future Meat Technologies com o objetivo de explorar os componentes desse tipo de carne e não comprometer o sabor e a sustentabilidade. 

Já falamos aqui no Vegan Business sobre a Future Meat Technologies, que possui uma fábrica piloto que pode produzir cerca de 500 quilos de carne cultivada por dia (ou 5 mil hambúrgueres). O objetivo da empresa é comercializar os produtos nos Estados Unidos em 2022. No momento, somente Cingapura está autorizando a venda de carne cultivada, pois é necessário a autorização de órgãos reguladores para isso. 

A tecnologia da startup pode produzir componentes de carne cultivada sem modificações genéticas utilizando as células de animais, dessa forma, não há tanta necessidade da terra que seria utilizada para a pecuária. Lembrando que o procedimento é indolor para os animais, já que o material é colhido por biopsia. 

O chefe do Instituto Nestlé de Ciências de Materiais da Nestlé Research, Reinhard Behringer, afirmou em comunicado: “Por muitos anos, investimos em nossa experiência em proteínas e no desenvolvimento de tecnologias proprietárias para alternativas à base de carne vegetal, o que nos permite expandir continuamente nossa ampla gama de produtos saborosos e nutritivos com menor impacto ambiental. Para complementar esses esforços, também estamos explorando tecnologias que podem levar a alternativas amigáveis ​​aos animais que sejam nutritivas, sustentáveis ​​e próximas da carne em termos de sabor e textura. Estamos  ansiosos para entender seu potencial”. 

Além disso, a Nestlé também está avaliando a impressão 3D para a produção de carne. 

A startup de carne cultivada e os benefícios desse produto para o meio ambiente

A Future Meat Technologies, startup de carne cultivada israelense, foi fundada em 2018 por Yaakov Nahmias (CEO), especialista reconhecido internacionalmente na área de engenharia de tecidos e nanotecnologia. 

A empresa venceu um de seus principais desafios, reduzindo os custos de carne cultivada, é afirmado em sua página que quebrou um recorde de preços e seus peitos de frango cultivados estão custando US$ 3,90. É dito: “Conforme nossa tecnologia avança em escala, os preços continuarão caindo, tornando a carne cultivada acessível em todo o mundo”. A marca também pretende reduzir o valor pela metade até o final de 2022. 

A carne cultivada é importante porque é um produto mais sustentável do que a carne de origem animal. A marca aponta que a pecuária usa mais de 80% da terra habitável do mundo e 30% do suprimento de água doce, sendo uma das principais responsáveis pelo desmatamento. Um estudo que citamos, da CE Delf, empresa de pesquisa independente e consultoria, também revelou que quando os produtores mudam para energia sustentável, a carne cultivada é a opção mais ecológica para a carne. 

Um estudo da Kearney também apontou que um terço da oferta global de carne será baseada em carnes alternativas nos próximos 10 anos, sendo que a carne cultivada substituirá a carne animal até 2040, com uma taxa de crescimento anual de 41%. 

Sobre os produtos da Nestlé

A Nestlé já traz linhas de produtos plant-based para vegetarianos sob a marca Garden Gourmet, além de ter lançado um leite de ervilhas e um produto vegano que imita leite condensado, certificado pela Vegan Society, no Reino Unido. 

Aproveite e leia também: 

A carne cultivada com células é uma tendência do mercado vegano

Mercado de carne cultivada com células poderá atingir US$ 25 bilhões

Carne cultivada com células: estatísticas e quando irá chegar ao Brasil



por Amanda Stucchi em 28 de julho