A startup de carne cultivada chinesa, Joes Future Food, levantou 70 milhões de renminbi (US$ 10,9 milhões) em uma rodada da Série A. 

A empresa afirma ser a primeira startup a realizar a pesquisa e desenvolvimento de carne cultivada no território, tendo desenvolvido a primeira carne cultivada no ano de 2019. 

Alguns participantes da rodada foram a Hillhouse Capital, Crystal Stream Capital, Matrix Partners China e a Nanjing Innovation Capital Group. 

Com o valor levantado, a startup pretende melhorar sua tecnologia, aumentar sua presença nacional e internacional, reduzir seus custos de produção e ainda construir uma linha de produção piloto para seu produto. 

Além desse investimento, no ano passado a empresa também recebeu US$ 3 milhões em rodada pré-seed, obtidos através da Matrix Partners China. 

O CEO e co-fundador da empresa, Shijie Ding, relatou em uma comunicação: “A empresa fortalecerá ainda mais sua equipe principal, aumentará o investimento em P&D e acelerará a comercialização para colocar a carne cultivada com células na mesa dos consumidores chineses, proporcionando-lhes alimentos mais saudáveis, seguros e com menos emissões de carbono”. 

Chineses: carne de porco e abertura para alimentos à base de células 

O foco inicial da Joes Future Food é a carne de porco. 

Conforme um relatório da McKinsey & Company, feito em 2019, essa é uma das proteínas mais populares da China: “Na China, aproximadamente 50% das calorias de proteína animal vêm da carne de porco, em comparação com o Oriente Médio, que relata o mínimo de calorias de proteína provenientes da carne de porco, mas quase 50% de laticínios e ovos”. 

Falamos aqui no Vegan Business, em setembro, sobre o lançamento de carne de porco vegana da Impossible Foods. No dia 4 de outubro, a empresa disponibilizou o produto em mais de 100 restaurantes de Hong Kong (essa é uma região administrativa especial chinesa). 

A Vegconomist também abordou um estudo da Frontier in Sustainable Food System, onde foram entrevistados 1.024 indianos, 1.019 chineses e 987 americanos, ali foi descoberto haver uma aceitação maior da carne cultivada com células e vegetal na Índia e na China. 

Mais sobre a startup de carne cultivada chinesa 

Quer saber mais sobre a Joes Future Food? 

A empresa foi fundada na Universidade Agrícola da cidade de Nanquim, no final do ano de 2019. 

O sócio-fundador da Hillhouse Capital, Li Liang, também deu mais detalhes para a AgFunder News

A marca desenvolveu um modo de cultivo de células sem o uso do soro (algumas empresas utilizam o soro fetal bovino — que tem crueldade animal — para fazer seus produtos), além disso, criaram um método para criopreservar as culturas de células-troncos in vitro. 

Também estão realizando pesquisas sobre a indução de mioblastos (uma formação de tecido muscular) e diferenciação das células troncos desde o ano de 2009. Outra coisa foi o fato de terem inventado um andaime de produção de carne cultivada que possui uma matriz de micro-pilares. 

A carne cultivada está com tudo — ultimamente, celebridades como Ashton Kutcher e Leonardo DiCaprio apostaram em marcas desse setor  —  e está até mesmo em rações para animais de estimação

Por isso, não é surpresa que mais e mais empresas dessa área estarão recebendo investimentos (a indústria conseguiu levantar US$ 366 milhões em 2020!). 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Carne é responsável por 60% dos gases de efeito estufa na alimentação

Segunda sem carne: realmente faz a diferença?

*Imagem de capa: Unsplash



por Amanda Stucchi em 27 de outubro