A foodtech Paleo, localizada na Bélgica, levantou € 2 milhões em uma rodada seed para desenvolver proteínas com fermentação de precisão. 

A empresa desenvolve proteínas com fermentação de precisão para serem aplicadas em carnes e peixes alternativos. 

É explicado na página da empresa: “Por meio da biociência, desenvolvemos ingredientes para alimentos à base de plantas, fazendo com que tenham o sabor, a sensação e a aparência da carne ou peixe de verdade”. 

Com o valor, a empresa irá investir em um centro de pesquisa e desenvolvimento, uma planta piloto e um centro de experiência. No futuro, a empresa também planeja fazer uma rodada da Série A de € 40 milhões, para auxiliar na construção das instalações. 

A empresa trabalha com a universidade belga Katholieke Universiteit Leuven, em uma missão de descobrir quais são as proteínas que dão a carne e ao peixe suas características. Até o momento, já foram descobertas seis que puderam ser reproduzidas pela fermentação de precisão. 

Hermes Sanctorum, co-fundador e CEO da Paleo, falou em um comunicado: “Somos movidos por questões éticas. As proteínas da carne e do peixe, da maneira como são produzidas agora, têm um tremendo impacto nos animais e nos ecossistemas. E não está melhorando: o consumo mundial de animais continua aumentando. Desenvolvemos tecnologia de alimentos para produzir proteínas de carne e peixe de forma sustentável e livre de animais. Valores e tecnologia podem mudar o mundo”. 

Andy de Jong, co-fundador e COO, destacou: “É encorajador ver que há tanto interesse no que a Paleo está desenvolvendo. Investidores europeus e americanos estão nos contatando para que aceleremos nossa P&D. Isso prova que há espaço para mudanças positivas na indústria de alimentos”. 

O próximo objetivo da foodtech é trazer suas proteínas ao nível comercial. 

Fundadores da foodtech Paleo

Imagem: Divulgação Paleo

Proteínas com fermentação de precisão 

A fermentação de precisão utiliza microorganismos para produzir alimentos, aqui temos micróbios, fungos e leveduras. 

A RethinkX — think tank fundado por Tony Seba e James Arbib — criou o relatório Rethinking Food and Agriculture (Repensando alimentos e agricultura), onde afirmou que a indústria de fermentação de precisão dos Estados Unidos criará, pelo menos, 700 mil empregos até 2030 e até um milhão de empregos até 2035.

Também afirmou que os custos de alimentos e outros produtos elaborados com fermentação de precisão serão de 50 a 80% mais baratos do que os produtos de origem animal. 

Já fizemos uma lista de várias empresas que utilizam essa tecnologia para criar seus produtos, uma delas é o case de sucesso Perfect Day, que utilizou genes de vacas extraídos de bancos de dados científicos gratuitos para criar um leite molecularmente idêntico ao do animal. 

Esse ano a empresa levantou US$ 350 milhões em uma rodada da Série D e poderá realizar seu IPO no próximo ano, conforme informações do Wall Street Journal. 

Sobre a Paleo

A Paleo foi fundada por Hermes Sanctorum (CEO) e Andy de Jong (Diretor de operações). 

Hermes é um ex-político, ele falou: “A política não pode mudar tudo e é preciso agir de verdade. A única forma de reduzir o impacto da produção de carne e da pesca é oferecer aos consumidores uma alternativa saborosa e saudável para carnes e peixes”. 

Andy de Jong tem um mestrado em medicina, tendo afirmado: “Nosso processo de produção de ingredientes alimentícios é mais rápido, mais limpo e mais eficiente do que a criação de animais”. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

24 alimentos veganos: nutritivos, saborosos e econômicos

O Que é Equity Crowdfunding? Um Guia Completo (2021)

Vegan Business é registrado como plataforma de Equity Crowdfunding

*Imagem de capa: Unsplash

Por Amanda Stucchi em 3 de dezembro