A Polaris é uma foodtech que produz ômega 3 derivado de microalgas, recentemente levantou € 5 milhões em um investimento liderado pela Seventure Partners, por meio do fundo Health for Life Capital. 

O valor permitirá à empresa continuar a expandir internacionalmente, reforçar a posição na indústria nutracêutica e nutrição especializada (infantil, esportes e gravidez), bem como aumentar a unidade de produção sustentável na França. 

Aqui é necessário destacar que a empresa não é completamente à base de plantas — comercializam ômega 3 feito de peixe também — mas, produzem a alternativa derivada de microalgas desde o ano de 2017. 

Dominique Taret, CEO da Polaris, comentou em um comunicado: “[…] Ômega 3 é vital para a boa saúde, envelhecimento e imunidade, como foi confirmado por mais de 40 mil publicações científicas. Na Polaris, estamos totalmente comprometidos em reduzir o impacto ambiental de nossos produtos e os óleos vegetais que desenvolvemos não são apenas uma resposta ao problema do esgotamento dos recursos naturais, mas também estão perfeitamente adaptados às necessidades dos consumidores em todo o mundo.”

Ômega 3 derivado de microalgas 

O ômega 3, derivado de microalgas, faz parte da marca OmegaVie® da empresa. Aqui o produto é plant-based, 100% vegano, não possui alérgenos, sendo feito de forma ecologicamente correta e em um processo limpo. 

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

Isabelle de Cremoux, presidente do conselho de administração da Seventure Partners e membro do Conselho de Administração da Polaris, adicionou: 

“Graças à sua pesquisa e desenvolvimento e impulsionada por sua nova gestão, a Polaris evoluiu e adicionou à sua linha clássica de óleos de peixe ômega 3 uma linha diferenciada de ingredientes nutricionais premium à base de algas, que estão impulsionando seu sucesso atual e forte crescimento de receita. Estamos muito satisfeitos que nosso fundo Health for Life Capital II, especializado em microbioma, esteja apoiando esta nova etapa importante no desenvolvimento da empresa, principalmente nos mercados internacionais, e já a ajudou a atingir a marca de € 20 milhões de receita”. 

O mercado de ômega 3 sem peixes está em crescimento: conforme a Transparency Market Researchs, está previsto que esse setor atinja US$ 1,3 bilhão até o ano de 2029. Ainda, é esperado que a demanda por suplementos de ômega 3 à base de algas cresça rapidamente! 

Outras fontes para ômega 3 vegano são: semente de chia, óleo de canola, semente de cânhamo, óleo de linhaça, nozes, entre outros. 

Sobre a Polaris 

Vamos falar mais sobre a empresa! 

Fundada na França, já opera no Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos, é reconhecida no mercado de Ácido Eicosapentaenóico e Ácido Docosahexaenoico, compostos do Ômega 3. 

Atualmente, possui uma equipe de 50 colaboradores e um conselho com perfis complementares. 

Isabelle, membro do conselho de administração da Polaris, acrescentou sobre a empresa: “[…] Desenvolve produtos de alta qualidade que são amigos do ambiente e trazem benefícios indiscutíveis à saúde, não só no microbioma (imunidade e prevenção de doenças cardio-metabólicas), mas também em suplementos para mulheres grávidas e, de forma mais geral, uma melhoria na qualidade de vida (redução do estresse, melhoria da qualidade do sono, etc.)”. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

83% dos participantes Veganuary 2022 planejam mudar permanentemente a alimentação

Umaro Foods levanta US$ 3 milhões para bacon feito de algas marinhas

Alimentos plant-based impulsionam o mercado de proteínas de algas

*Imagem de capa: Divulgação Polaris 

Por Amanda Stucchi em 31 de março