O mercado de proteínas de algas está sendo impulsionado pelos alimentos à base de plantas! 

Conforme a Graphical Research, o mercado global está crescendo a um CAGR significativo durante o período da previsão (2020 – 2026), sendo um ingrediente muito utilizado em alimentos e bebidas devido às suas propriedades nutricionais. 

É explicado: “As proteínas de algas marinhas estão se tornando um ingrediente popular em muitas dietas à base de plantas, pois consistem em várias vitaminas, proteínas e antioxidantes. Eles também são anti-inflamatórios e podem proteger a pele e outros órgãos dos radicais livres nocivos, o que aumentará sua adoção em alimentos à base de plantas”. 

Análise regional do mercado de proteínas de algas 

Vamos conhecer o mercado de proteínas de algas pela análise regional? 

O setor na América do Norte foi avaliado em quase US$ 90 milhões em 2019, sendo informado que nos Estados Unidos é esperado que o segmento “cresça a uma taxa louvável” até 2026. 

Os motivos para isso? 

  • Mais pessoas da região estão implementando atividades físicas para melhorar sua qualidade de vida. 
  • As pessoas com doenças crônicas (hipertensão, diabetes e obesidade, por exemplo) estão modificando suas dietas para uma alimentação mais saudável com o objetivo de auxiliar na sua condição de saúde.
  • Mais pessoas adotaram o veganismo visando ter uma vida mais saudável. 
  • A produção e venda de alimentos e bebidas ricos em proteínas foram acelerados, já que há mais procura. 
  • A maior demanda por carne e laticínios plant-based também impulsiona o setor, com a possibilidade do uso de proteínas de algas. 

Já no mercado europeu, as microalgas captaram mais de 50% da indústria de proteínas de algas na Europa em 2019, lá a demanda pela dieta vegana está crescendo, portanto, isso impulsiona a compra de microalgas. Na região da Ásia Pacífico existe uma grande porcentagem convivendo com doenças como obesidade, hipertensão e diabetes, além disso, diversas pessoas também estão tomando consciência dos benefícios das atividades físicas no dia a dia. 

É informado: “O conceito de suplementos alimentares e nutracêuticos está ganhando ritmo em muitos países da região devido à crescente conscientização sobre a saúde e o nível de renda do consumidor. Eles estão adotando cada vez mais dietas baseadas em vegetais e procurando substitutos de carnes e laticínios para atender às suas necessidades diárias de proteína, o que fortalecerá a demanda por proteínas de algas”. 

Ainda, foi revelado que o mercado global de proteínas de algas será impactado de forma positiva pela crescente aceitação de dietas e nutracêuticos plant-based, os jovens também tem um papel nisso: muitos se interessaram pela vida fitness, acrescentando essas proteínas em suas dietas para elevar a imunidade e preencher suas necessidades nutricionais. 

Proteínas em pó ou em cápsula? 

Uma curiosidade é que o uso de cápsulas de proteína de algas, bem como produtos nutracêuticos e medicamentos que oferecem nutrição, terá crescimento na América do Norte à medida que os consumidores se conscientizam sobre a saúde. 

Na Europa, o formato em pó acabou gerando uma receita de mais de US$ 80 milhões nesse mercado em 2019! É informado que, como muitas pessoas estão praticando esportes, isso ocasiona a adoção das proteínas de algas em pó, bem como os atletas que precisam desse elemento para atingir metas de ingestão de proteína. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Marca de ingredientes à base de algas levanta US$ 11,4 milhões

Proteína de algas: a próxima substituição para os leites

Seawith levanta US$ 5,43 milhões para bife cultivado

*Imagem de capa: Unsplash



por Amanda Stucchi em 21 de fevereiro