O mercado de ingredientes de frutas e vegetais deverá atingir US$ 315 bilhões até o ano de 2030, crescendo a um CAGR de 4,61% durante o período (2022 – 2030), segundo apontou o Precedence Research. Para fazer uma comparação, o mesmo setor foi avaliado em US$ 210 bilhões no ano passado. 

O mercado de ingredientes de frutas e vegetais

Os fatores que impulsionam o segmento são variados, por exemplo:

  • Aumento da demanda por alimentos e bebidas que usam esses ingredientes. 
  • Melhoria do estilo de vida dos países desenvolvidos e em desenvolvimento.
  • Maior conscientização do consumidor em relação aos benefícios desses ingredientes para a saúde.
  • Valor nutritivo dos produtos. 
  • Rotina agitada dos trabalhadores.
  • Disponibilidade de produtos orgânicos que auxiliam a impulsionar as vendas, bem como de produtos livres de químicos e de rótulos limpos. 

“A constante pesquisa e desenvolvimento neste campo para uso na indústria de alimentos e bebidas está impulsionando o uso desses ingredientes na alimentação vegana”, contou a empresa em um comunicado. O estudo também ressaltou que no pós-pandemia está ocorrendo uma alta demanda por produtos plant-based, além de um aumento na adoção de uma dieta vegana

Como desafio, está o custo de novas instalações em países em desenvolvimento, pensando no valor do investimento para a infraestrutura. Já relacionado a restrição, aqui existem as legislações em diferentes regiões com regras e regulamentos de rotulagem e composição, com o enquadramento legal sendo um processo que pode ser demorado e também requerer aprovação.

Pensando na análise regional, a empresa de pesquisa relatou que a América do Norte dominou o segmento nos últimos anos, com os Estados Unidos se destacando. No local, existe demanda por esses produtos devido ao crescimento do consumo dos itens visando um estilo de vida mais saudável, bem como por conta da renda alta. 

Já a Ásia-Pacífico será a região que mais crescerá, impulsionada pelo aumento da conscientização dos consumidores, voltado ao consumo de produtos naturais e saudáveis para melhorar a imunidade. Outros fatores que auxiliam nessa questão é a rápida industrialização, aumento da renda em países como a Índia, China, Japão e Coreia do Sul, além da presença dos principais equipamentos de processamento de alimentos na China e na Índia. 

Principais players do setor 

As empresas mencionadas pelo relatório que atuam nesse segmento são: 

  • AGRANA Beteiligungs-AG (Áustria). 
  • Tate & Lyle(Reino Unido). 
  • Kerry Group (Irlanda). 
  • Symrise (Alemanha). 
  • Döhler (Alemanha)
  • ADM (EUA). 
  • Balchem ingredient solutions (EUA). 
  • Sensient Technologies Corporation (EUA). 
  • Ingredion (EUA). 
  • Cargill(EUA). 
  • SunOpta Inc. (Canadá)
  • Olam International (Singapura). 

A situação brasileira 

A Precedence Research ressaltou que a Archer Daniels comprou a brasileira Yerbalatina Phytoactives em 2020 – marca voltada para ingredientes naturais feitos com vegetais – visando expandir seus negócios aqui no país. 

Além disso, conforme uma pesquisa feita pela Produce Marketing Association (PMA), os brasileiros estão consumindo mais frutas e vegetais, com frutas sendo mais ingeridas por snacks e sucos. 

A PMA recomendou as empresas que desenvolvessem produtos inovadores como embalagens, adicionassem informações para as pessoas nos pontos de venda e estimulassem o prazer de comer de forma melhor e consumir alimentos naturais. Já o desafio foi apontado como sendo a coordenação de cada cadeia produtiva, bem como os fundamentos estratégicos de marketing para impulsionar a ingestão de frutas, legumes e verduras. 

A pesquisa, feita de forma qualitativa, avaliou a rotina alimentar de 20 homens e mulheres, com idades entre 24 e 50 anos, constatando que o consumo aumentou conforme a idade – elevando quando envelhecia – além de ser mais alto, quanto maior o nível educacional.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Alimentos plant-based impulsionam o mercado de proteínas de algas

Mercado de laticínios alternativos atingirá US$ 68,79 bilhões até 2030

5 mercados que utilizam o cogumelo como matéria-prima

*Imagem ilustrativa de capa: Unsplash

Por Amanda Stucchi em 30 de agosto
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores