O mercado de farinha vegana atingirá US$ 2,08 bilhões até 2032, crescendo a um CAGR de 6,5% durante o período de previsão,  conforme uma pesquisa do Future Market Insights

O relatório explorou os seguintes tipos de produtos: farinha de soja, farinha de quinoa e arroz, farinha de nozes e farinha à base de cereais, investigando também sua natureza (ou seja, se era orgânica ou convencional) e a aplicação que teria.

O que impulsiona o mercado de farinha vegana? 

Alguns dos motivos que impulsionam esse setor são os seguintes: 

  • Aumento da preferência do consumidor por produtos naturais.
  • Tendência da adoção do veganismo. 
  • Conscientização sobre as práticas cruéis em produtos de origem animal.
  • Empresas desenvolvendo versões veganas de seus produtos, por exemplo, pizzas e massas. 
  • Adição de ingredientes prebióticos nos produtos.

Um analista da Future Market Insights falou em um comunicado: “Os fabricantes estão se concentrando no desenvolvimento de propriedades funcionais de farinha vegana. O aumento da incorporação de farinhas veganas em alimentos processados ​​e lanches é esperado para criar oportunidades de crescimento no mercado”. 

Análise regional do setor

Uma região que terá grande crescimento nas vendas de farinha vegana será a América do Norte, crescendo a um CAGR de 6,2%. É previsto que a demanda pelo produto nos Estados Unidos totalize US$ 192 milhões nesse ano, isso significa que deterá 24% do mercado global de farinha vegana. 

Os motivos para isso é que no país os consumidores estão procurando produtos considerados mais nutritivos e que auxiliem a reduzir os riscos de doenças, além de ter farinha vegana disponível facilmente em estabelecimentos. 

Na Europa, a Alemanha tem destaque: o consumidor está modificando seu estilo de vida e aumentando os gastos com produtos orgânicos. Além disso, é informado que marcas no país estão oferecendo vários produtos à base de plantas e isso deverá impulsionar as vendas da farinha vegana. 

É dito: “As vendas na Alemanha continuarão ganhando força durante o período de previsão, com o mercado europeu de farinha vegana atingindo US$ 200 milhões”. 

Ademais, a Índia emergirá como um mercado lucrativo — as vendas totais atingirão uma avaliação de US$ 98 milhões no ano de 2022 — diversas pessoas adotam a dieta vegetariana e usa-se muito farinha de trigo. 

Portanto, é esperado que o mercado seja impulsionado com a maior conscientização sobre os benefícios do consumo de produtos orgânicos e o aumento da demanda por produtos prontos, como os de panificação e confeitaria. 

Principais players 

Segundo o relatório, algumas das principais empresas do setor são as seguintes: Conagra Brands, Archer Daniels Midland Company (ADM), Ardent Mills, Cargill, Spectrum Essentials, Let’s Do Organic, Flour Farm’s, Bob’s Red Mill, entre outros. 

É afirmado na comunicação: “Os principais fabricantes de farinha vegana estão investindo em pesquisa e desenvolvimento para oferecer produtos diferenciados sem componentes químicos. Eles também estão lançando novas linhas de produtos para penetrar em mercados inexplorados”. 

Além disso, os principais players também estão querendo aumentar a vida útil da farinha vegana se concentrando na embalagem e rotulagem. Um exemplo são as embalagens que são facilmente seladas novamente, isso evita a formação de fungos e insetos que atacariam o alimento. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Alimentos plant-based impulsionam o mercado de proteínas de algas

Mercado de alimentos veganos atingirá US$ 61,35 bilhões até 2028

Mercado de leite de soja atingirá US$ 11,8 bilhões até 2031

*Imagem de capa: Pexels

Por Amanda Stucchi em 16 de março
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores