O mercado de leites plant-based nos EUA atingiu cerca de US$ 2,3 bilhões em vendas, crescendo a uma taxa de 6,4%. O período analisado foi de 52 semanas, encerrado em 12 de junho de 2022, conforme informações da empresa de tecnologia de dados SPINS. A pesquisa não considerou a Whole Foods Market (rede de supermercados), Trader Joe’s (mercearia) e nem lojas de conveniência.

A venda de leites plant-based nos EUA: leite de aveia foi o segundo mais comercializado

Os resultados, excluindo blends (misturas), mostram que o leite de amêndoas continua na liderança entre esses produtos, chegando a US$ 1,2 bilhão em vendas, apesar de ter tido uma ligeira queda de 1,02%. 

Na segunda colocação, surge o leite de aveia que atingiu US$ 527,4 milhões em vendas, representando um aumento de mais de 50% durante o período. O leite de soja, terceiro colocado, está perdendo participação no mercado com uma queda de 0,09%, obtendo o resultado de US$ 165 milhões em vendas. 

Anteriormente, o leite de soja era o líder da categoria – representava US$ 1 bilhão há uma década – apesar disso, o produto ainda é muito utilizado, já que está acima do leite de coco (US$ 82,1 milhões), ervilha (US$ 60,1 milhões), arroz (US$ 37,1 milhões) e caju (US$ 29 milhões). 

O leite de ervilha também teve um crescimento durante o período, tendo aumentado 27,37%! Já os outros tipos de leite plant-based tiveram quedas nas vendas: o leite de caju caiu 13,6% e o leite de arroz caiu 11,72%, enquanto o de coco sofreu uma queda de 8,16%. 

Pensando na divisão entre leites refrigerados e aqueles que são estáveis nas prateleiras, os refrigerados tiveram a maior participação com mais de 6,5% em vendas, chegando ao valor de US$ 2,067 bilhões, enquanto os produtos estáveis nas prateleiras atingiram vendas de US$ 232 mil, representando mais de 6,2% durante o período de 52 semanas.  

Produtos plant-based em 2021 

Conforme dados de pesquisa da SPINS, encomendada pelo Plant Based Foods Association (PBFA) e The Good Food Institute, as vendas de alimentos plant-based nos Estados Unidos obtiveram um recorde histórico de US$ 7,4 bilhões em 2021, crescendo 6,2% com relação a 2020. 

O leite de amêndoas também era o líder da categoria (59% do total) e o leite de aveia já era o segundo colocado do segmento – sendo informado que a alternativa cresceu mais de 44 vezes nos últimos três anos! – representando 17% das vendas. 

“O leite à base de plantas agora atua como líder em inovação na categoria de leite, apoiado por importantes avanços na diversificação de ingredientes e desenvolvimento de produtos para melhorar o sabor, a funcionalidade e a nutrição”, escreveu a empresa de pesquisa em um comunicado na época. 

O mercado aqui no Brasil 

Agora que você já conhece o mercado estadunidense, vamos falar um pouco mais sobre o brasileiro! 

Conforme uma pesquisa da Tetra Pak, as vendas de bebidas vegetais mais que dobraram no Brasil entre 2018 e 2021. Nesse sentido, o mercado de leite vegetal deverá passar de R$ 435 milhões para o valor de R$ 1 bilhão até 2025, considerando as bebidas de arroz, grãos, castanhas e sementes.  

Quanto aos tipos de bebidas vegetais, dados do Euromonitor International ressaltam que o leite de soja caiu em 64% em consumo por volume entre 2016 e 2021, já bebidas feitas com outros ingrediente, como as castanhas-de-caju e amêndoas, cresceram 540% no mesmo período no país. 

Logo, podemos perceber que a tendência de queda do leite de soja se repete aqui no Brasil, com aumento de outras matérias-primas. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Cookie plant-based foi desenvolvido pela NotCo e Mr. Cheney

Usibras compra 50% da foodtech de leites vegetais Cajueiro

Política: IPI de leite plant-based foi zerado!

*Imagem de capa do leite de aveia Oatly: Unsplash

Por Amanda Stucchi em 3 de agosto