A startup alemã de fermentação Koralo, desenvolvendo frutos do mar alternativos na Coreia do Sul, lançou seu primeiro produto, o New F!sh, em parceria com os restaurantes parceiros Stylevegan e Monks Butcher em Seul. A empresa afirma que o New F!sh é o primeiro filé de peixe do tipo na categoria de frutos do mar alternativos da Coreia do Sul.

A Koralo cria alternativas inovadoras de frutos do mar com rótulo limpo usando microalgas e micélio em um processo de co-fermentação. A abordagem da empresa captura os nutrientes do oceano alimentando microalgas ao micélio, imitando os hábitos alimentares baseados em algas dos peixes.

Trabalhando com parceiros locais, o produto New F!sh foi adaptado ao paladar da região. De acordo com a Koralo, após muitos testes, os filés têm uma textura suculenta e flocada que não se desfaz. Além disso, o produto oferece um sabor autêntico de peixe enquanto é baixo em calorias e gordura.

Ao fornecer os nutrientes extraídos de microalgas e raízes de cogumelos, o New F!sh é dito ser rico em nutrientes além dos frutos do mar tradicionais, incluindo ômega-3, proteínas, probióticos e vitaminas B2 e B12. Além disso, destaca-se por sua versatilidade na cozinha, permitindo que chefs grelhem, cozinhem no vapor, cozinhem em caldo ou fritem sem dificuldades.

Mudança de paradigma

Fundada por Sina Alvarez Corallo em 2022, a Koralo estabeleceu uma subsidiária na Coreia do Sul — o país com o maior consumo per capita de frutos do mar no mundo.

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

A startup de tecnologia alimentar explica que está ampliando sua plataforma de fermentação também na Europa (onde está construindo uma instalação piloto), com planos de entrar nos mercados europeu e norte-americano nos próximos dois anos.

Porém, por enquanto, está focada no mercado sul-coreano. Para o próximo ano, a empresa anunciou planos de expansão, incluindo assinaturas de acordos com restaurantes, kits de refeições, distribuidores de serviços de alimentação e entrada no varejo para atingir mais consumidores. Além disso, a empresa diz estar trabalhando no desenvolvimento de produtos para lançar alternativas de camarão e salmão.

Quanto à sustentabilidade, a biotecnologia afirma que seu produto resulta em emissões de CO2 consideravelmente menores e utiliza menos terra e água azul do que proteínas de soja e outras opções de frutos do mar. Sua abordagem está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, enfatizando a importância da produção de alimentos sustentáveis e ricos em nutrientes.

“Um novo paradigma para frutos do mar – mitigando a escassez global de frutos do mar”, diz Sina Corallo.

Os nutrientes do oceano

A Koralo recebeu investimentos e bolsas acumulados de € 3,3 milhões apoiados por investidores como Fraunhofer Technologie-Transfer Fonds, Green Generation Fund e Big Bang Angels. Instituições governamentais, acadêmicas e parceiros corporativos na Europa e na Coreia do Sul também apoiaram a abordagem de nutrientes do oceano da Koralo para criar alternativas aos frutos do mar.

A Koralo é membro do Future Ocean Foods, a primeira associação mundial de frutos do mar alternativos, dedicada a impulsionar a indústria de frutos do mar alternativos para uma nova era. A aliança já tem 36 empresas a bordo, abrangendo 14 países. 40% de seus membros são fundadoras mulheres, como a Koralo, e essa porcentagem está prevista para aumentar, de acordo com Marissa Bronfman, fundadora e diretora executiva da aliança.

“Com uma equipe internacional e de duas gerações; empreendedorismo, inovação alimentar e um grande impulso para a sustentabilidade se juntam em uma jornada para explorar as oportunidades que o oceano nos proporciona”, afirma a Koralo em seu site.

Leia também:

Lindt faz parceria com a ChoViva para lançar nova barra vegana

Spirulina e chlorella surgem como alternativas eficazes às proteínas da carne animal

Licores plant-based para um Feliz Natal vegano

Por Vitor Di Renzo em 21 de dezembro