A foodtech Liv Up é uma empresa que vende comidas congeladas e outros alimentos. Apesar de não ser uma marca vegana, possui opções veganas e vegetarianas, sendo que a  novidade da vez é que finalizou uma rodada estendida da Série D, levantando R$ 230 milhões. 

Em junho desse ano, a empresa anunciou a captação de R$ 180 milhões. Na época, quem liderou a rodada foi a Kaszek, Thorn Tree Capital Partners e a Lofoten, com as participações de Cadonau (Grupo Jereissati), Rob Citrone (Discovery Capital), Christian Egan (ex-diretor do Itaú BBA), além de Ricardo Rolim e Milton Seligman (ex-executivos da Ambev). 

Quem elevou ainda mais o valor da rodada foi a Globo Ventures (gestora de investimento do Grupo Globo), com um aporte de R$ 50 milhões, totalizando esse valor. 

A ideia da empresa é utilizar o valor levantado na rodada da Série D para expandir seu portfólio de produtos, investir em novas tecnologias para atender os consumidores, e melhorar seus sistemas internos que verificam seu processo de entrega (desde a coleta do alimento até o cliente receber). 

Segundo a Exame, do início de 2021 até o momento, o portfólio de produtos da empresa foi de 200 para 500 opções, sendo que a meta é dobrar esse número até o final desse ano e conseguir o título de “supermercado digital”. 

Victor Santos, fundador e CEO da Liv Up, falou para o veículo: “A Liv Up surgiu como a empresa digital que leva praticidade para as pessoas comerem bem no dia a dia. O último ano acelerou uma mudança no comportamento de compra de alimentos online”. 

Ele acrescentou: “O varejo alimentício é um dos setores mais importantes do mundo e temos toda a estrutura para atender a demanda do consumidor tanto com ingredientes frescos para a feira da semana, quanto a comida pronta, gostosa e saudável para diferentes ocasiões”. 

Sobre a foodtech Liv Up 

Agora que você já conheceu essa novidade e os planos da empresa, vamos falar um pouquinho de sua história: a marca brasileira  foi fundada por Victor Santos e Henrique Castellani no ano de 2016. 

Segundo a PEGN, no último ano teve um faturamento de R$ 100 milhões, com a meta de dobrar esse número em 2021. Além disso, desde o ano passado está diversificando seu portfólio de produtos, oferecendo frutas, legumes e verduras frescos de 40 produtores. Isso também é uma forma de apoiar os agricultores familiares parceiros da empresa. 

Falando a respeito da sustentabilidade e bem-estar animal, um dos compromissos da marca é não utilizar mais ovos de galinhas confinadas em gaiolas (sejam processados ou de forma natural), tanto na comercialização dos ovos quanto em seus produtos de marca própria, tendo a meta de completar essa transição até o ano de 2024. 

Também possuem o selo eureciclo, fazem doações de alimentos através do aplicativo Comida Invisível e tem uma parceria com o Instituto Adus, que visa promover a integração dos refugiados na sociedade brasileira, dando orientações jurídica, capacitação, ensino de português e realizando a intermediação junto das empresas para a colocação profissional. 

A Liv up afirma em sua página de impacto social: “Buscamos ter um time multicultural, pois sabemos que a pluralidade pode trazer muitos benefícios para todos”.  

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

iFood divulga 5 itens veganos mais pedidos no delivery 

Ideias de Negócios: As 10 Melhores Para Empreender em 2021

24 alimentos veganos: nutritivos, saborosos e econômicos

*Imagem: Divulgação Liv Up (via GKPB)



por Amanda Stucchi em 27 de setembro