A Aleph Farms, empresa de carne cultivada, desenvolveu um colágeno à base de células após 18 meses de pesquisa, criado em sua incubadora, com a previsão de lançar o produto no mercado no ano de 2024. 

Atualmente, muitos tipos de colágeno tem origem animal: são produzidos fervendo e processando peles e ossos de vacas, já falamos um pouco mais sobre o assunto aqui, abordando o primeiro suplemento de colágeno vegano feito pela startup Geltor. 

Colágeno à base de células 

A empresa utilizará os principais componentes do método de produção para bifes — como as fontes de células bovinas e o meio de crescimento sem componentes animais — para produzir diversos tipos de colágenos. 

Didier Toubia, cofundador e CEO da Aleph Farms, falou sobre a visão da empresa em um comunicado:

“A indústria da agricultura celular fez maiores promessas de substituir grande parte das práticas intensivas de pecuária, que representam até 70% da produção global de carne. A carne cultivada, no entanto, é apenas parte dessa solução, pois a carne representa apenas 30-35% da vaca que é abatida. O resto inclui muitos outros subprodutos valiosos. Para alcançar nossa visão, também precisamos fornecer alternativas para outras partes de animais, incluindo produtos à base de colágeno”. 

“Focar em categorias únicas de produtos animais não leva em conta a complexidade do ecossistema da pecuária. A transição de proteínas deve contar com uma abordagem baseada em sistemas para contribuir com sucesso para uma transição abrangente, justa e inclusiva para a agricultura animal”, ele acrescentou. 

A novidade vêm após a marca se mudar para uma nova sede, devido ao tamanho de 65 mil pés (6 mil metros quadrados) a empresa também planeja ter uma instalação de produção piloto — prevista para ficar operacional no verão israelense — construir um centro de pesquisa e desenvolvimento e abrir um centro comunitário.

Imagem do protótipo do colágeno: Divulgação Aleph Farms / crédito: Daniel Elkayam

Sobre a Aleph Farms 

A empresa foi fundada por Didier Toubia, Shulamit Levenberg (professora da Faculdade de Engenharia Biomédica do Technion – Instituto de Tecnologia de Israel) e The Kitchen Hub do Strauss Group, no ano de 2017.

Com relação à paridade de preços, a empresa conseguiu reduzir os custos ao realizar uma parceria com a WACKER e co-desenvolver proteínas essenciais para o meio de crescimento celular que substituem o soro fetal bovino. O acordo não é exclusivo e todas as empresas do setor podem se beneficiar. 

É afirmado em seu blog: “Essa solução permitirá que todo o setor escale e alcance a paridade de preços mais rapidamente, eliminando um obstáculo importante na viabilidade comercial da carne cultivada”. 

A empresa pretende lançar a carne que produzem até o final do ano, a depender da aprovação regulatória. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Aleph Farms e BRF: parceria trará carne cultivada ao Brasil

Empresa de carne cultivada levanta US$ 105 milhões em rodada

Carne cultivada: oportunidades e desafios

*Imagem de capa: Divulgação Aleph Farms / via Vegconomist

Por Amanda Stucchi em 24 de março
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores