Você se lembra da Aleph Farms? Essa é a empresa de carne cultivada com células que a BRF fez parceria, visando trazer a carne feita em laboratório para o Brasil entre 2024 e 2025. Uma novidade é que a empresa levantou US$ 105 milhões em uma rodada de investimento da Série B, que foi liderada pela Growth Fund of L Catterton e pela DisruptAD. A Growth Fund of L Catterton é uma empresa de privaty equity, já a DiruptAD é uma plataforma de venture capital do Oriente Médio. Outros investidores também foram a Skyviews Life Science, Thai Union, BRF, CJ CheilJedang, e investidores antigos como a VisVires New Protein, Strauss Group, Cargill, Peregrine Ventures e CPT Capital. Também participaram da rodada a Millennium Food-Teche e a Enfini Ventures. 

A BRF participou da rodada com um montante de US$ 2.500.000,00. O Diretor Vice-presidente Financeiro e de relações com os investidores, Carlos Alberto Bezerra de Moura, disse via comunicado: “Com esse movimento, a Companhia avança em seu plano de atender à crescente demanda dos consumidores por novas e alternativas fontes de proteína, trazendo tecnologias inovadoras para o Brasil, em linha com seus compromissos de sustentabilidade, inovação e segurança alimentar”. 

Já a Enfini Ventures é um fundo brasileiro de venture capital com capital privado, em um statement via LinkedIn, a empresa afirmou: “Estamos muito orgulhosos de anunciar que nos juntamos a Aleph Farms nesta rodada ao lado de líderes de alto nível. Uma equipe impressionante com um desenvolvimento extraordinário até agora, unindo forças com parceiros para melhorar a sustentabilidade de nossos sistemas alimentares globais”. 

Empresa de carne cultivada - Aleph Farms
Imagens: Divulgação Aleph Farms

Com o valor, a Aleph Farms disse no blog da empresa: “Nossas metas de curto prazo incluem aumento da produção, crescimento das operações internacionalmente, expansão de nossas linhas de produtos e plataforma de tecnologia antes do lançamento inicial no mercado em 2022”. A empresa também afirmou estar trabalhando com as agências regulatórias para entrar no mercado e vender seus produtos. Também acrescentou um agradecimento a seus investidores: “Somos gratos aos nossos investidores por acreditarem nesta missão, em nossa tecnologia e em nós”. É necessário lembrar que atualmente o único país que autoriza a venda de carne cultivada é a Cingapura.

Outra inovação da empresa foi ter imprimido um bife em 3D de lombo, essa tecnologia proprietária permite a empresa fundir os nutrientes através dos tecidos mais grossos, dando ao bife a forma e a estrutura original encontrada no gado. Já falamos aqui no Vegan Business sobre outras empresas que também imprimem carnes em 3D, como a Revo Foods, SavorEat e a NovaMeat, por exemplo. 

Sobre a empresa de carne cultivada Aleph Farms

A Aleph Farms foi criada em 2017 por um grupo de especialistas em alimentos. Os co-founders da empresa são o Didier Toubia (CEO) e a professora Shulamit Levenberg (conselheira científica chefe). Além dos fundadores, em outro cargo de liderança está a diretora de tecnologia e vice-presidente, doutora Neta Lavon. 

É dito na página da empresa: “Aleph Farms é fruto da imaginação da amada empresa de alimentos tradicionais, Strauss Group, da universidade de pesquisa de ponta, Technion – Instituto de Tecnologia de Israel, e do CEO veterano, engenheiro de alimentos e biólogo, Didier Toubia”. 

Aproveite e leia também: 

Aleph Farms e BRF: parceria trará carne cultivada ao Brasil

Empresa de carne plant-based levanta US$ 50 milhões em rodada



por Amanda Stucchi em 12 de julho