Um marco para o mercado vegano mundial, a SavorEat, uma foodtech israelense que desenvolveu a primeira carne vegetal impressa em 3D levantou US$ 13 milhões em IPO, sua oferta pública inicial na Bolsa de Valores de Tel Aviv (TASE). A empresa se tornou a primeira de seu tipo listada publicamente na bolsa. Em comunicado à imprensa, os responsáveis afirmaram que o capital será usado para acelerar a expansão de sua tecnologia e também contribuirá para o desenvolvimento de novos produtos.

O IPO histórico de US $ 13 milhões da SavorEat, Listada sob o símbolo SVRT, foi liderado pela Psagot Provident e conduzido pela Leumi Partners Underwriters. Também, atraiu uma série de outros investidores institucionais israelenses de alto perfil, incluindo Meitav Dash.

Sobre a SavorEat

A SavorEat é a primeira empresa de carne vegetal impressa em 3D a abrir o capital na bolsa de Tel Aviv.

Fundada em 2018, a tecnologia de patente pendente da SavorEat é baseada em pesquisas licenciadas da Faculdade de Agricultura da Universidade Hebraica. Ele permite a produção de alternativas de carne kosher, vegana e sem glúten.

De acordo com o site da SavorEat, enquanto os consumidores estão se tornando cada vez mais conscientes do impacto ecológico e ético do consumo de carne, eles também procuram alternativas que não comprometam o sabor.

Assim, a nova geração de produtos alternativos de carne SavorEat recria a experiência, sabor e textura únicos da carne sem um único animal à vista. Usando uma combinação de um robô chef revolucionário, tecnologia de impressão 3D proprietária e ingredientes vegetais não OGM exclusivos, os consumidores agora podem desfrutar de diferentes texturas que caracterizam a carne, adaptadas a seu gosto, dieta e estilo de vida específicos.

O produto é impresso de cartuchos que contêm ingredientes vegetais e uma fibra de nano celulose para dar textura.

Depois, o produto pode ser assado ou grelhado com métodos avançados de cozimento e, segundo a empresa, podem imitar as diferentes texturas, fibras e gorduras de verdadeiros cortes de carne. O primeiro produto da SavorEat é um hambúrguer vegetal impresso em 3D e, com o financiamento, a tecnologia de alimentos acredita que pode usar a mesma tecnologia para expandir sua linha de ofertas.

A escalada da carne vegetal impressa em 3D

Mas não para por aí, como parte de seus planos de escalada, a empresa já assinou um acordo com o grupo de restaurantes israelense Burgus Burger Bar (Grupo BBB), que envolverá a instalação dos sistemas nas cozinhas da rede como parte de seu desenvolvimento piloto. Ele representa o primeiro projeto de teste desse tipo em Israel, que a empresa usará para obter informações sobre o consumidor e o marketing.

O processo envolverá o cliente solicitar suas refeições por meio de um aplicativo, com tudo personalizado de acordo com suas preferências, antes de ser impresso e cozido na máquina em um processo que leva apenas seis minutos.

Em um comunicado à imprensa internacional, o cofundador e CEO da empresa, Racheli Vizman, disse: “Acreditamos que o SavorEat traz boas notícias genuínas para o mercado de alternativas de carne por meio da tecnologia exclusiva que estamos desenvolvendo. Nossa visão de mundo é que apenas o sabor, a qualidade e a salubridade alternativos à carne terão sucesso em levar à mudança desejada na redução do consumo de carne”.

Vizman também agradeceu aos investidores por acreditarem na visão, tecnologia e equipe profissional da Savor Eat. Enfatizou ainda que este é apenas o início da jornada e que a atual captação de recursos contribuirá muito para o desenvolvimento da empresa e permitirá a apresentação de muitas novidades no futuro.

Depois, o cofundador e cientista-chefe, Professor Oded Shosayev, acrescentou que sua tecnologia possui as vantagens de permitir “alimentos adaptados individualmente, a redução dos custos de fabricação de alimentos e a redução das emissões de gases de efeito estufa”.

Primeira carne vegetal em 3D, mas não única

Embora a SavorEat seja a primeira empresa baseada em plantas impressas em 3D a listar na TASE, ela se junta a Meat-Tech 3D, baseada em Ness Ziona, uma desenvolvedora de carne baseada em células bioimpressas em 3D. A empresa, que é atualmente a única startup de carne à base de células públicas do mundo até hoje, garantiu recentemente uma rodada de investimentos de US$ 7 milhões e revelou que apresentou uma declaração de registro para potencialmente lançar seu IPO no mercado de ações americano Nasdaq.

Mas as startups israelenses não estão sozinhas. A espanhola NovaMeat foi uma das pioneiras no desenvolvimento da carne vegetal em 3D e criou o bife vegano. Tudo isso indica que num futuro breve, alternativas tecnológicas poderão substituir a exploração de animais, com o benefício adicional de menos danos ao nosso meio ambiente.

Leia mais em: Startup lança o primeiro bife vegano em 3D do mundo e A evolução da carne de plantas



por Nadia Ferreira Gonçalves em 7 de dezembro