A Change Foods é uma empresa que produz laticínios livres de animais com fermentação de precisão, começando com o queijo. Recentemente, levantou 1 milhão de dólares australianos (US$ 700 mil), para transformar fibra de cana-de-açúcar em matéria-prima para produção de produtos lácteos sustentáveis, feitos sem animais. 

Quem ofereceu o valor foi o governo australiano, como parte do programa Securing Raw Materials (protegendo matérias-primas, em tradução livre), que tem o objetivo de auxiliar as empresas a expandir as operações na Austrália Regional e desenvolver laços mais fortes com as universidades regionais.  

O nome Austrália Regional se refere as regiões povoadas que estão fora das principais áreas metropolitanas. 

Change Foods: produtos lácteos sustentáveis 

A empresa fará a pesquisa em parceria com a Queensland University of Technology (QUT), sendo informado que o projeto auxiliará a reduzir ainda mais os resíduos ambientais da cana-de-açúcar. 

David Bucca, fundador e CEO da Change Foods, destacou na comunicação

“Esta é uma oportunidade dinâmica de parceria público-privada com o governo federal e a QUT. Como parte de nossa missão de sustentabilidade mais ampla, pretendemos reciclar os resíduos locais em um insumo de alto valor que permita a produção de nossos laticínios livres de animais”. 

A região agrícola de Queensland produz muita cana-de-açúcar: 30 milhões de toneladas anualmente, o que resulta em 10 milhões de toneladas de fibra residual desse alimento. Para produzir a proteína de leite caseína e desenvolver os queijos da Change Foods, é necessário ter carboidratos simples como o açúcar. 

“Tivemos sucesso em ganhar a concessão por causa de nossa forte parceria com a QUT e o reconhecimento de que Queensland — com uma riqueza de microbiólogos líderes mundiais e acesso a resíduos de cana — está em uma posição única para se beneficiar da mudança para a biologia sintética e o futuro da fabricação de alimentos. Estamos desenvolvendo soluções alimentares mais sustentáveis ​​que não dependem da agricultura animal, uma grande fonte de emissões de gases de efeito estufa, e reduzindo ainda mais nosso impacto com o upcycling de resíduos para promover a economia circular”, apontou Tom Davies, vice-presidente de pesquisa e operações da empresa que atua na região da Ásia-Pacífico. 

Sobre a empresa 

A Change Foods foi fundada por David Bucca (CEO) e Junior Teo (CTO), sendo classificada como estadunidense-australiana. “Sonhamos com um mundo com um sistema alimentar próspero e sustentável que seja gentil com as pessoas, os animais e o planeta”, escreveu a marca. 

Para isso, a empresa emprega a fermentação de precisão, ou seja, com os micróbios desenvolve proteínas, gorduras e sabores lácteos, sem usar as vacas no processo. 

No começo desse ano, conseguiu levantar US$ 12 milhões em uma rodada seed, liderada pela Route 66 Ventures. Outros participantes foram: Green Generation Fund,  Blue Horizon, Upfield, Orkla, Plug and Play Ventures, Sigma, Clear Current Capital, Better Bite Ventures, bem como Chris Smalling (jogador de futebol inglês) e Jeff Dean (Google Senior Fellow). 

É estimado que os produtos lácteos da Change Foods sejam muito sustentáveis: precisem de 100 vezes menos terra, 10 vezes menos água e 5 vezes menos energia do que os laticínios convencionais. Pensando na comercialização dos produtos, a empresa deseja fazer o lançamento inicial no final de 2024

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

5 marcas de queijos veganos para você saborear

Primula lançará o primeiro queijo vegano em tubo

Miyoko’s Creamery desenvolve primeiro queijo cottage vegano

*Imagem de capa: Reprodução Change Foods / via Facebook @changefoods



por Amanda Stucchi em 9 de maio