A aveia é um ingrediente versátil muito utilizado no setor plant-based. Por isso, na entrevista de hoje vamos falar sobre uma palestra que abordará esse tema. 

Natália Pagliarini Bruno, Product Manager da Döhler, tem grande experiência no mercado alimentício: é Bacharel em Engenharia de Alimentos, com formação técnica em processamento e tecnologia de alimentos. A profissional fará a palestra Inovação à base de aveia: a tecnologia como aliada da alimentação consciente, na 1ª Feira de Alimentos Plant Based do Brasil.

“Nossa ideia na palestra é trazer um pouquinho de insights de como a tecnologia ajudou o mercado plant-based. Primeiro, ajudou o mercado a decolar, pois sempre foram alimentos muito mais caseiros. Existe todo um trabalho para industrializar esses produtos e ter viabilidade comercial, bem como oferecer acessibilidade para outras pessoas e opções mais convenientes”, destacou. 

Outros benefícios da tecnologia na alimentação, conforme ressaltou, são as possibilidades de levar o alimento para locais distantes e de atingir a expectativa do consumidor. Este que, por sua vez, tem apresentado maior preocupação com uma alimentação consciente, avaliando o impacto ambiental e nutricional do produto que consome. 

A trajetória da profissional 

Natália trabalhava na área técnica de alimentos, até que em 2018 resolveu se tornar redatora. Enquanto estava inserida na produção de conteúdo, Natália também começava a sua jornada para se tornar vegetariana. Nesse período, surgiu a oportunidade de trabalhar na Döhler no cargo de Product Manager – onde identifica e prevê tendências de mercado para auxiliar no lançamento de novos produtos. Nessa posição, a Natália pode exercitar suas habilidades entre a área técnica, comercial e de marketing.

Saiba mais sobre a Döhler

A Döhler é uma casa de ingredientes naturais que existe há mais de 180 anos, e que possui um portfólio plant-based por essência. “Hoje esse termo à base de plantas está muito em alta, mas nada mais é do que processar frutas, vegetais e outros produtos desse segmento, que é uma coisa que a Döhler sempre fez”, destacou Natália.

Alguns dos produtos no portfólio da marca são: ingredientes de cereais, pastas integrais, proteínas vegetais, aromas e corantes naturais, extratos botânicos, soluções combinadas para a indústria, entre outros. 

“Por ser um ingrediente nacional, de alto valor nutricional, trabalhamos bastante com aveia. Sabemos que uma grande frente de trabalho para o plant-based é, ou deveria ser, a acessibilidade para esses produtos”, explicou. 

A Döhler tem como planos para o futuro trazer matérias-primas diferentes, nacionais e acessíveis, trabalhando com grãos regionais que tragam aporte nutricional.

A aveia no setor plant-based: vantagens e desafios desse ingrediente

A Engenheira de Alimentos apontou como vantagem o fato da aveia estar disponível em grande escala no território nacional, além de ser amplamente conhecida, já que outras gerações também identificam a aveia como um alimento.

Outro ponto é que a aveia tem sabor neutro considerando o setor plant-based. Ela comentou: “Pensando em tecnologia, a aveia é um produto com sabor bastante neutro, então, ao contrário da soja ou do coco que possuem um sabor muito presente, a aveia não tem sabor muito forte. Portanto, conseguimos trabalhar com diferentes produtos — até mesmo produtos salgados — o que é um pouco mais difícil de fazer com outras bases”. 

Além disso, o ingrediente possui benefícios nutricionais como fibras, proteínas de boa qualidade e minerais, e a sua produção faz baixo uso de recursos naturais.

Já o desafio é a insolubilidade do produto, o que torna a aveia mais difícil de se trabalhar industrialmente: “O grande desafio tecnológico é esse: ter um produto que seja estável e sensorialmente agradável. A tecnologia veio para ajudar nisso e viabilizar bastante esse tipo de produto”, concluiu. 

Como funciona a tecnologia para produzir ingredientes de aveia? 

Para produzir o concentrado de aveia, a Döhler utiliza a farinha de aveia nacional (com ou sem glúten), e realiza o procedimento de extração aquosa ao retirar os elementos solúveis do grão. 

O processo conta ainda com a etapa de hidrólise enzimática, na qual é feito o processo bioquímico para liberar açúcar natural, aprimorar a qualidade nutricional e deixar o produto mais solúvel, até ficar com aspecto de um xarope líquido, além de processo térmico para garantir a segurança. 

A empresa dá prioridade para processos considerados mais naturais do ponto de vista tecnológico, como extração aquosa, hidrólise enzimática e fermentação.

“Imaginamos um mundo cada vez mais plant-based, cada vez mais sustentável e queremos ser um grande facilitador para podermos caminhar juntos nessa direção. É a grande ideia por trás de tudo que fazemos”, destacou Natália. 

O mercado plant-based e dicas para empreendedores 

Quais são os pontos fortes e fracos do mercado plant-based brasileiro? Natália deu sua opinião! 

“O ponto forte do mercado brasileiro é o consumidor estar alavancando o segmento plant-based. Vemos que as empresas estão olhando para os consumidores e percebendo seus interesses para lançar seus produtos. O ponto mais fraco, infelizmente, é a questão fiscal. Existe muita isenção fiscal para alimentos à base animal, principalmente derivados de leite. Isso faz com que na gôndola os produtos plant-based cheguem mais caros”. 

Já sobre as dicas para empreendedores do mercado que estão buscando ingredientes, a Product Manager é categórica: saber o que a empresa deseja com o produto, já que é complicado atingir tudo de uma vez com apenas um alimento. Portanto, pense no possível nicho e público que deseja atender. 

Outro critério de muita importância é o sabor, ela destacou: “Esse é o principal, o sabor em primeiro lugar para poder atrair mercado e, depois, pensar no que deseja e no público. Quer atingir o público infantil ou idoso? Um público que pensa mais em produtos saudáveis? Ou um público que deseja produtos ricos em proteínas?”. 

Mais informações da Feira de Alimentos Plant Based

Data: 6 e 7 de junho.

Horário: das 10h às 21h.

Local: Clube Hebraica São Paulo, Rua Hungria, 1000, Jardins, São Paulo, SP.

A palestra da Natália ocorrerá no dia 06 de junho, das 19:30h às 20h. 

Os ingressos para os dois dias podem ser adquiridos através da Sympla, pelo valor de R$ 55.

Durante essa reportagem podemos conhecer toda a versatilidade e possibilidades que a aveia tem a oferecer. Além disso, vimos o quão importante é conhecer sua estratégia e o quanto de valor quer agregar ao seu produto. A partir daí, é possível desenvolver um caráter crítico ao escolher um fornecedor de ingredientes que consiga refletir suas necessidades nos quesitos: sabor, nutrição e qualidade

Gostou de saber mais sobre a aveia no setor plant-based? Aproveite e leia também: 

Conheça alguns palestrantes da 1ª Feira de Alimentos Plant Based do Brasil

Conheça as marcas presentes na 1ª Feira de Alimentos Plant Based do Brasil

Como a tecnologia impacta a vida vegana

*Imagem de capa: Natália Pagliarini Bruno / Divulgação Döhler

Por Amanda Stucchi em 23 de maio