O ativista vegano Ed Winters (conhecido também por Earthling Ed) anunciou que está abrindo uma rede de restaurante que servirá peixe e batata frita vegana, com seu sócio Kevyn Bourke. 

Normalmente, as batatas fritas são pratos veganos, mas quando são fritas com gordura animal esse prato já não é considerado dessa forma. Por isso, é necessário ficar atento ao ir em um estabelecimento que não serve somente comida vegana.

O nome do restaurante do ativista vegano será The No Catch Co., e a inauguração da primeira unidade acontecerá nesse sábado (9 de outubro), na cidade de Brighton (Reino Unido), a partir das 14 horas. 

Se você tem a sorte de estar viajando pela cidade — ou mora por aí — serão distribuídas porções gratuitas de batatas fritas e bacalhau para os primeiros 100 consumidores. 

É dito na página da empresa: “Nossa alternativa de peixe é um substituto de soja não transgênica de alta proteína e delicioso para o tradicional peixe empanado”. Sendo que também possuem alternativas de lula e camarão vegano. 

Ed Winters falou ao Vegconomist: “Centenas de milhões de peixes são mortos todos os anos somente para a indústria de peixes e batatas apenas no Reino Unido […] De repente ficou óbvio o que precisávamos fazer, precisávamos abrir restaurantes de peixe e batatas fritas veganas no Reino Unido”. 

O prato Fish ‘n’ Chips (traduzido como peixe e batata frita) é uma receita tradicional do Reino Unido. É feito com peixe-branco (bacalhau, solha — um tipo de linguado — e o hadoque), após ser empanado as batatas fritas são servidas como acompanhamento. 

Uma curiosidade é que até a década de 80, o prato era embrulhado com papel de jornal, porém, por questões de higiene isso foi proibido. 

Impactos do peixe vegano 

No motivo pelo qual a empresa existe, é apontado que o oceano absorve entre 25% e 40% de todas as emissões de dióxido de carbono e produz entre 50% e 80% de todo o oxigênio da terra. 

Porém, a humanidade remove cerca de 0,8 a 2,3 trilhões de peixes todos os anos para se alimentar. Isso significa que outros animais (como tartarugas, golfinhos, baleias, focas e leões marinhos) também acabam morrendo por conta dessa indústria. 

Sobre o impacto ambiental da pesca é afirmado: 

  • A pesca de arrasto produz mais dióxido de carbono do que a indústria da aviação todos os anos
  • Há a criação de zonas mortas e a proliferação de algas prejudiciais em algumas regiões
  • Os sistemas de piscicultura de menor impacto causam mais emissões de carbono do que as proteínas vegetais 

Isso tudo sem falar das redes de pesca, um assunto que já abordamos na nossa matéria: segundo uma pesquisa realizada pelos cientistas da Ocean Cleanup, 46% dos plásticos nas águas subtropicais entre a Califórnia e o Havaí provém desses equipamentos que foram perdidos ou abandonados. 

Sobre a rede de restaurante criada pelo ativista vegano

Esse não é o primeiro restaurante que o ativista vegano abriu. 

Ed Winters iniciou um restaurante vegano sem fins lucrativos, com um pequeno grupo de amigos próximos da organização de direitos animais Surge, chamado de Unity Diner. O atual sócio Kevyn se tornou o gerente desse local, e após isso foi inaugurado o Surge Sanctuary (lar para animais resgatados no Reino Unido). 

O peixe vegano sempre foi o prato principal do Unity Diner, seja com a adição de batatas fritas ou no hambúrguer. 

Vendo esse sucesso, foi desenvolvido o The Off the Hook Truck, uma van que distribuía porções gratuitas de peixe vegano pela costa do Reino Unido. Percebendo o sucesso desse empreendimento, os dois resolverão fazer algo ainda maior e criarão a rede de restaurantes The No Catch Co. nesse ano. 

Kevin e Ed declararam: “Nossa missão é enfrentar a indústria de peixes e batatas fritas. Porque é hora de parar de esvaziar os oceanos — e é hora de parar de matar peixes”. 

Gostou de conhecer o restaurante desse ativista vegano? Aproveite e leia também: 

Ativistas veganas cobram ações do Brasil para combater crise climática 

5 instituições estimulam a escolha de pratos sem origem animal 

10 motivos para se tornar vegano hoje

Imagem de capa: Divulgação The No Catch Co. (via Vegan Food and Living)



por Amanda Stucchi em 6 de outubro