Meses após sua fusão com a Shiok Meats, a Umami Bioworks está intensificando seus esforços para aumentar a escala de produção de frutos do mar cultivados por meio de duas colaborações com organizações na Índia.

A startup de Singapura firmou uma parceria com o Centro de Proteínas Inteligentes e Inovação de Materiais Sustentáveis do IKP Knowledge Park, recentemente estabelecido em Bengaluru, Índia, com o objetivo de acelerar a pesquisa e a escalabilidade dos seus frutos do mar cultivados.

Além disso, a Umami Bioworks colaborará com o Instituto de Ciência e Tecnologia Sathyabama, em Chennai, para estabelecer uma instalação de P&D no campus da universidade.

“Vimos na Índia uma combinação ideal de talento experiente em biomanufatura e produção de aço, o que, somado à proximidade com Singapura, tornou a escolha óbvia”, disse Mihir Pershad, fundador e CEO da Umami Bioworks, ao Green Queen.

Parceria com o IKP para validação e transferência de tecnologia

No âmbito da colaboração com o centro de proteínas alternativas do IKP, a equipe da Umami Bioworks na Índia liderará a engenharia e validação de seu hardware de fabricação plug-and-play, apoiando a transferência de tecnologia da linha de demonstração para os sites dos clientes.

“O IKP oferece um centro para nossa equipe trabalhar nesta P&D de escala, incluindo espaço para reuniões e laboratórios, além de nos ajudar a conectar com parceiros da cadeia de suprimentos para entregar uma solução completa de produção”, explicou Pershad.

“A parceria está inicialmente planejada para um ano, com possibilidades de extensão e expansão ao longo do tempo. Nosso objetivo final é entregar um sistema de fabricação pronto para produção, liderado pela nossa equipe na Índia, pronto para ser implementado em locais de clientes ao redor do mundo”, acrescentou.

A liderança da Índia em frutos do mar cultivados

A parceria ocorre na mesma semana em que pesquisadores do Instituto de Ciência e Tecnologia Sathyabama desenvolveram protótipos de frutos do mar cultivados usando células de peixe-leite, garoupa, pargo vermelho e tilápia. A universidade também está colaborando com a Umami Bioworks, com a diretora Sheela Rani afirmando ao The New Indian Express que a startup ajudará a “estabelecer uma instalação completa no campus para desenvolver mais culturas e promover a produção em escala comercial”.

“Estamos estabelecendo uma colaboração com a Universidade Sathyabama para expandir nossa linha de células de espécies marinhas em parceria com seu recém-criado Centro Nacional de Pesquisa Costeira e Marinha”, disse Pershad ao Green Queen.

A Universidade Sathyabama obteve autenticação do National Bureau of Fish Genetic Resources, confirmando que sua carne cultivada não possui DNA recombinante. Agora, buscará aprovações estatutárias da National Biodiversity Authority, do Ministério do Meio Ambiente e da Food Safety and Standards Authority of India (FSSAI).

O crescimento do setor de carne cultivada na Índia

O FSSAI tem trabalhado para estabelecer um marco regulatório para empresas de carne e frutos do mar cultivados. Em um conclave regulatório realizado em Nova Delhi em abril, o FSSAI confirmou sua disposição de trabalhar com o Departamento de Biotecnologia do governo e o Biotechnology Industry Research Assistance Council para estabelecer um marco regulatório.

“A FSSAI pode instituir um grupo de trabalho sobre carne cultivada. Este grupo poderá recomendar prioridades estratégicas para carne cultivada para que a FSSAI considere intervenções regulatórias e uma estratégia para um marco regulatório dinâmico”, escreveu Astha Gaur, especialista em política regulatória do GFI India.

As parcerias da Umami Bioworks simbolizam o rápido crescimento do setor de carne cultivada no sul da Índia. Em janeiro, o ICAR-Central Marine Fisheries Research Institute, com sede em Kochi, Kerala, firmou um acordo com a startup de biotecnologia Neat Meatt para desenvolver peixe cultivado.

Tendo arrecadado US$ 2,4 milhões até o momento, a Umami Bioworks planeja submeter dossiês regulatórios em vários países este ano. Sua fusão com a Shiok Meats trará ao mercado unagi (enguia) e peixe branco (garoupa) cultivados por meio de aplicações híbridas.

“Estamos agora em revisão ativa com a Singapore Food Agency, incluindo engajamentos regulares para revisar dados e responder a quaisquer perguntas que surjam durante a revisão”, revelou Pershad. “Estamos também avançando rapidamente em duas outras geografias e antecipamos poder compartilhar uma atualização em breve”.

Confira a matéria publicada na Green Queen.

Leia também:

Nestlé lança ‘extensor de carne’ à base de soja

Credo Foods lança spray de queijo vegano à base de leite de aveia

Semana do combo na Sunrize: desconto especial em proteínas

Por Vitor Di Renzo em 9 de julho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores