A sustentabilidade ambiental é encontrar o equilíbrio na utilização dos recursos naturais, seguindo práticas sustentáveis para minimizar a exploração do meio ambiente e a poluição irracional para que as gerações futuras também tenham meios de atender às suas necessidades básicas.

Você já fez algum trabalho na escola ou faculdade relacionado à sustentabilidade?

Este é um termo que vem ganhando atenção há algum tempo, mas, na maioria das vezes, visto de maneira superficial como forma de riscá-lo da lista de temas obrigatórios a serem estudados. 

A sustentabilidade é sim tudo isso que é de conhecimento público, visto em salas de aula, campanhas políticas, em reuniões de empresas que buscam maior aceitação do mercado, nas lixeiras que pedem através de suas cores e símbolos que você jogue o plástico no lugar certo.

Mas a questão é que a sustentabilidade é muito mais do que isso. E chega um ponto em que a nossa consciência desperta e a realidade do quadro geral do mundo nos atinge.

A pandemia que vivemos atualmente foi o ponto de eclosão para muitos, mas os sinais já estão presentes na sociedade e no planeta há muito mais tempo. 

As práticas da sustentabilidade ambiental são o meio, para que o fim não seja. E entender esse conceito e sua importância é urgente. Por isso trouxemos este artigo com os principais pontos para você ficar por dentro do assunto. 

O que é sustentabilidade ambiental? Conceito e definição

Segundo o economista francês, Ignacy Sachs, a sustentabilidade ambiental é a capacidade dos ecossistemas de se manterem diante das agressões humanas.

A sustentabilidade ambiental, de maneira simples, é levar em consideração a sobrevivência das gerações futuras ao utilizarmos os recursos naturais hoje, pensando na exploração responsável da natureza, em quais fontes de energias são utilizadas e como são feitos os descartes de materiais, por exemplo.

É um ciclo baseado na consciência do ser humano sobre a preservação do planeta, onde se busca utilizar o mínimo necessário para nossas necessidades de forma responsável, racionalizando, sem esgotar os recursos aos quais temos acesso pensando em quem irá consumi-los no futuro. 

O ponto chave da sustentabilidade ambiental como conceito é encontrar o equilíbrio entre os padrões de consumo e os processos de produção com a integridade do ecossistema por meio da preservação da qualidade do ar, dos solos, das águas e dos seres vivos.  

Como surgiu a sustentabilidade ambiental? Conheça a história

O termo sustentabilidade ambiental caminha junto com o conceito de desenvolvimento sustentável, que visa atender as necessidades da geração atual por meio do uso responsável dos recursos naturais para que as necessidades básicas das gerações futuras não sejam comprometidas.

O termo desenvolvimento sustentável surgiu por volta de 1987, em um relatório da Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e o Nosso Desenvolvimento, onde foi declarado que para que o desenvolvimento sustentável fosse alcançado seria necessário atender em primeiro lugar as necessidades básicas da sociedade como um todo, buscando o equilíbrio entre o desenvolvimento socioeconômico, político e cultural e a preservação do planeta.

Ao longo dos anos, a ONU realizou diversas conferências ambientais e em 2015 foi lançada a agenda 1 que contém 17 objetivos para os países alcançarem como meio de atingir a sustentabilidade ambiental.

Os três pilares da sustentabilidade (social, econômico e ambiental)

As três áreas que compõem o conceito de sustentabilidade são a social, econômica e ambiental, conhecidas como o tripé da sustentabilidade. 

Esse termo foi criado por John Elkington em 1974 e está conectado ao conceito ESG, que são as práticas adotadas por empresas que desejam mostrar seu comprometimento em minimizar seus impactos negativos no meio ambiente e na sociedade.

Essas práticas são seguidas por empresas que entendem que o lado econômico não é mais o principal indicador de sucesso, já que tanto consumidores quanto investidores hoje buscam criar relacionamentos com empresas que se importam com seu papel no futuro do planeta.

As três áreas devem ser entendidas como complementares ao se criar projetos e métodos para trabalhar a sustentabilidade ambiental de uma forma eficiente.

  • Social: foca no bem-estar e igualdade de todos, na cultura, educação, saúde e lazer.
  • Ambiental: a utilização dos recursos naturais pela geração atual e como trabalham a preservação do meio ambiente.
  • Econômico: os processos de produção, desenvolvimento e o consumo, levando em consideração os pontos sociais e ambientais.

Exemplos da sustentabilidade ambiental aplicada em prática

São várias as ações que podem ser realizadas tanto individualmente, quanto de maneira coletiva para se alcançar os objetivos de desenvolvimento. 

Lembrando que não são necessárias grandes movimentações e projetos para se começar, mas sim fazer o máximo possível na sua realidade.

Em países

Alguns exemplos de projetos de sustentabilidade ambiental que são realizados em diversos países que se comprometeram a implementar a Agenda 30:

  • Preservação da biodiversidade.
  • Criação de zonas verdes e reflorestamento de áreas devastadas.
  • Promover o uso de energias renováveis.
  • Limitação do crescimento populacional.
  • Garantia de alimentação em longo prazo.
  • Desenvolvimento de tecnologias ambientais para a sustentabilidade ambiental.

Em empresas

No lado das empresas, a busca é conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental e a responsabilidade social. Algumas ações que podem ser seguidas:

  • Respeitar as leis ambientais.
  • Uso de tecnologias de comunicação para diminuição de impressos.
  • Economizar água e luz.
  • Incentivar a reciclagem por meio do descarte adequado e também no uso de materiais recicláveis.
  • Criação de projetos e políticas de inclusão no ambiente empresarial.
  • Respeitar as leis trabalhistas.
  • Criar projetos sociais.
  • Agir com ética e transparência.

Em ações individuais

Todo mundo pode fazer sua parte, as ações individuais quando somadas causam um grande impacto no quadro geral. Entre as ações individuais de sustentabilidade ambiental temos:

  • Economizar água e recolher água da chuva para usar na limpeza.
  • Reciclagem de lixo.
  • Reduzir o uso de plásticos.
  • Usar meios de transporte menos poluentes.
  • Preferência por produtos biodegradáveis.
  • Redução do consumo fast fashion, priorizando a economia consciente.
  • Redução do consumo de carne bovina.
  • Optar por comprar produtos e serviços de empresas que seguem práticas sustentáveis. 

A sustentabilidade ambiental no Brasil

A educação ambiental no Brasil surgiu por volta dos anos 70, em 1973 foi criada a Secretaria Especial do Meio Ambiente (Sema) que tinha ligação com a Presidência da República. 

Em 1988, foi estabelecida pela Constituição Federal (inciso VI do artigo 225) a necessidade de promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente.

Com o passar dos anos a sustentabilidade ganhou mais atenção, o Brasil foi sede de duas conferências internacionais sobre sustentabilidade, a Rio-92 e a Rio+20, onde os países participantes, em conjunto, discutiram a importância de um modelo de desenvolvimento sustentável que levasse em consideração a preservação do meio ambiente.

Mas mesmo com o tema em alta e a criação de iniciativas, o país sofre com muitos problemas ambientais, entre eles: queimadas, desmatamento e a poluição da água e do solo.

No âmbito empresarial, vemos um progresso nas empresas que seguem práticas sustentáveis, mesmo que uma pesquisa do IBGE de 2020 mostre que a maioria das empresas (59,4%) que investem em práticas de sustentabilidade ambiental o fazem pensando na reputação conquistada. Independentemente dos motivos que as influenciam, é uma boa notícia ver esse crescimento. 

Percebemos aqui o poder dos investidores e do consumidor que fazem a roda do desenvolvimento sustentável girar, ao preferir colocar dinheiro em empresas que têm suas prioridades ambientais estabelecidas. Uma pesquisa da Opinion Box mostrou que 82% dos brasileiros preferem empresas com práticas sustentáveis.

E não são apenas os consumidores que influenciam o mercado a focar na responsabilidade socioambiental, existem projetos como o do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que criou um incentivo para as empresas que investem no desempenho ambiental, social e de governança, ao reduzir os juros nos financiamentos.

A importância da educação ambiental e sustentabilidade

Para que a sustentabilidade ambiental seja alcançada, é necessária a participação de todos os agentes responsáveis pelo ciclo de produção e consumo.

Isso significa que todo mundo, desde governos, empresas, investidores, consumidores e a sociedade como um todo, deve se conscientizar e agir sobre a importância de colocar as questões de preservação ambiental em primeiro lugar para criar um mundo mais equilibrado. 

A maneira de se alcançar essa consciência é através da educação ambiental, que tem como objetivo despertar o comprometimento das pessoas com o aumento do número de práticas sustentáveis, diminuindo os comportamentos prejudiciais para o planeta e para a sociedade.

A educação ambiental deve acontecer desde cedo, ensinar sobre sustentabilidade para os pequenos é muito importante já que são essas gerações que vão precisar lidar com os resultados do uso irresponsável dos recursos naturais. 

Devemos lembrar que as crianças aprendem melhor quando têm um exemplo no qual se basear, então quanto mais rápido colocarmos em prática essas mudanças de comportamento, maior as chances de vermos uma muda verde no fim do túnel. 

O veganismo e seu impacto na sustentabilidade ambiental

O veganismo não apenas impacta na sustentabilidade ambiental, como eles andam juntos, são duas forças complementares.

Quem se torna vegetariano ou vegano tem como principal objetivo parar de consumir carne e essa escolha pode ser feita por vários motivos. Um deles é que o consumo de carne é um grande perigo para o meio ambiente, por exemplo, a pecuária é responsável por 80% do desmatamento da Amazônia, é o setor que consome ⅓ da água doce do mundo.

Você sabia que um 1kg de carne precisa de 15 mil litros de água para ser produzido?

Mas essa ideologia vai muito além do não consumo de carne e derivados, é procurar excluir, dentro do possível, todas as formas de exploração e crueldade com animais seja para alimentação, roupa ou outros fins. 

É a busca pela valorização de tudo que é feito de forma natural, com materiais de origem vegetal.

Há uma onda de revolução se estabelecendo, a conscientização do público para a necessidade de se pensar na própria saúde e também na do planeta gera a busca por produtos sustentáveis que atendam essas novas demandas.

Essas demandas aquecem o mercado para as empresas veganas que buscam inovar o mundo plant-based e grandes marcas já estão apostando nesse nicho. 

O ciclo verde está cada dia mais definido e para colaborar com essas mudanças existem diversas startups e empresas criando e desenvolvendo produtos inovadores que vão impactar positivamente o planeta e os animais. 

O Vegan Business compartilha diariamente notícias e novidades sobre o mundo plant-based e, em breve, se tornará a primeira plataforma de Equity Crowdfunding voltada para investimentos no mercado plant-based, possibilitando que você apoie negócios em todo o ecossistema. Para mais informações, inscreva-se aqui!

Conclusão

Agora você entende o que é a sustentabilidade ambiental e por que seguir por esse caminho não deve ser uma questão de opção, é uma necessidade.

Somos lembrados todos os dias ao receber os muitos avisos da comunidade científica sobre os estragos no planeta, resultantes do nosso estilo de vida e produção.

As mudanças começaram, mas sempre é possível fazer mais, mesmo que em pequenos passos. Se você quer melhorar esse hábito, veja essas 95 dicas sobre como ser mais sustentável.

E para continuar acompanhando as novidades sobre veganismo e o mundo plant-based, siga nossas redes sociais e inscreva-se na nossa newsletter. 

Leia também:

O Que é ESG? Guia Completo Sobre ESG em Empresas (2021)

Mercado da sustentabilidade: 5 provas para você investir

Como viver uma vida mais sustentável? 6 dicas e curso on-line

Imagem de capa: Pexels



por Leticia Rocha em 10 de setembro