A Simplifyber, empresa estadunidense de moda sustentável, levantou US$ 3,5 milhões em uma rodada seed. 

O investimento foi liderado pela empresa de venture capital At One ventures, com participações da Heritage Group Ventures, The Helm, Techstars, Plug & Play Ventures, W Fund, Jetstream Ventures, REFASHIOND Ventures, CapitalX Ventures, Keeler Investments Group, entre outros. 

A moda sustentável da Simplifyber 

A empresa apontou que desenvolve seus calçados e roupas em um laboratório, utilizando química e biomateriais, ou seja, não precisa de máquinas de costura. Utilizando a impressão 3D, a tecnologia auxilia a evitar o desperdício, emissões de carbono e poluição da água associada a indústria da moda. 

Maria Intscher-Owrang, co-fundadora e CEO da Simplifyber, tem uma carreira de mais de vinte anos como designer e diretora de moda, incluindo aqui marcas como Calvin Klein, Vera Wang, Alexander McQueen, Dirk Bikkembergs e Edun. Ela explicou um pouco sobre o processo em um comunicado

“Vi como a manufatura aditiva (por exemplo, impressão 3D) estava revolucionando quase todos os outros setores, mas não na moda. Comecei a encontrar as pessoas que poderiam tornar isso realidade”. 

A empresa utiliza uma fórmula de celulose, proveniente da combinação de polpa de madeira, materiais plant-based e aditivos não tóxicos. Logo, o produto é biodegradável e reciclável. 

“Descobrimos uma maneira de criar roupas usando fibras vegetais macias. Começamos com uma celulose líquida – feita em laboratório, não em uma fábrica – que é despejada em moldes especialmente projetados e seca, eliminando completamente o desperdício de tecido e permitindo um serviço sob demanda e sem estoque”, continuou Maria Intscher-Owrang. 

A empresa também destacou que seu processo reduz 35% dos materiais na cadeia de suprimentos de moda que acabam como resíduos. Além disso, com a fabricação de produtos de uso diário – por exemplo, camisetas – a empresa procura substituir tecidos e malhas, apontando que juntos os mesmos representam um mercado global de US$ 25 bilhões. 

“Com seu processo de etapa única para a confecção de roupas, o Simplifyber tem o potencial de superar a economia unitária do poliéster, tornando-se uma solução econômica e ambientalmente viável contra o desperdício de plástico”, afirmou Laurie Menoud, sócia da empresa investidora At One Ventures. 

Sobre a empresa 

A empresa foi co-fundada por Maria Intscher-Owrang (CEO) e Philip Cohen (COO).

“Estamos ansiosos para fazer parceria com a equipe para levar esta solução à escala. Acreditamos que o Simplifyber pode ser o vestuário do futuro: eles não são apenas lindamente projetados, mas têm uma pegada de carbono baixa e preços acessíveis, o que é uma diferenciação significativa de outras marcas de roupas sustentáveis”, destacou Laurie Menoud. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Moda sustentável: um mundo fashion importante para o planeta

7 dicas para ser mais sustentável ao se vestir

95 dicas para ser mais sustentável

*Imagem de capa: Divulgação Simplifyber 

Por Amanda Stucchi em 18 de julho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores