A empresa de ingredientes plant-based Motif FoodWorks recebeu um investimento de US$ 226 milhões em uma rodada da Série B. Quem liderou essa rodada foi a Ontario Teachers’ Pension Plan,  por meio da Teachers’ Innovation Platform, a instituição de Ontário tem o objetivo de obter os melhores retornos em seus investimentos para pagar pensões aos membros, que são professores da província do Canadá. Sobre a sua plataforma, segundo o site: “Os investimentos da TIP se concentram em participações minoritárias em empresas que estão resolvendo problemas desafiadores e de alto valor que existem no mercado hoje”. 

Outro investidor de destaque foi a BlackRock, com seus fundos e contas administradas. A BlackRock é uma grande empresa de gestão de ativos, com sede em Nova York, porém, já atua aqui no Brasil. Além da Ontario Teachers’ Pension Plan e BlackRock, outros investidores também participaram da rodada. O objetivo da Motif FoodWorks é utilizar esse valor para aumentar sua capacidade de pesquisa e desenvolvimento, dimensionar e comercializar suas tecnologias de ingredientes plant-based para alimentos, expandir suas instalações e aumentar sua base de funcionários. Esse investimento é a mais recente rodada de sucesso em uma foodtech. 

Em uma entrevista para a Food Dive o CEO da Motif, Jonathan McIntyre, explicou o propósito da empresa: “[..] O consumidor disse – especialmente o consumidor comum – que, ‘Eu quero comer mais alimentos à base de plantas, mas não gosto do sabor’ […] E se pudermos ajudar a deixar o sabor do produto significativamente melhor e mais nutritivo, de forma transparente, acho que essa é a melhor maneira de atingir o consumidor”. 

Apesar de a Motif não ter informado projetos específicos ou ingredientes plant-based que a rodada poderia impulsionar, uma revelação para o veículo foi feita no início do ano, sobre os produtos que a empresa pretende lançar, como uma fibra que imita os ligamentos e tendões da carne de origem animal e uma proteína que traz uma cor e sabor mais tradicionais às carnes plant-based, com o benefício de distribuir mais o ferro.

Além disso, a empresa tem acesso a uma tecnologia que melhora a textura de gordura das carnes vegetais e uma tecnologia que melhora a textura de seus queijos plant-based, tendo adquirido essas inovações pela parceria com a Universidade de Guelph (Canadá) e a empresa Coasum, de Alejandro Marangoni, que trabalha como professor titular na universidade. 

Sobre a Motif FoodWorks

A empresa se apresenta como um “Tipo diferente de empresa de tecnologia de alimentos”, explicando em sua página: “Estamos reinventando a forma como a ciência é aplicada para tornar os alimentos vegetais mais saborosos, nutritivos e sustentáveis”. 

Foi lançada em 2019 pela Gingko Bioworks, através de uma rodada de investimentos que obteve US$ 90 milhões, quem investiu foi a Breakthrough Energy Ventures, criada em 2015 por Bill Gates, um dos fundadores da Microsoft, e  uma coalizão de investidores. De acordo com a história da Breakthrough Energy: “Estamos comprometidos em apoiar novas tecnologias que mudam a maneira como vivemos, comemos, trabalhamos, viajamos e fazemos as coisas para podermos evitar os impactos mais devastadores das mudanças climáticas”. 

Atualmente, a Motif FoodWorks tem como CEO Jonathan McIntyre, e visa oferecer alternativas à carne e ao leite de origem animal, bem como inovações plant-based. 

Aproveite e leia também: 

Super Vegan e Veg Capital se destacam no Vegconomist

Tendências em investimentos veganos 

*Imagem de capa: Divulgação Motif FoodWorks / via The Spoon



por Amanda Stucchi em 17 de junho