A Immobazyme, uma empresa sul-africana especializada em fermentação de precisão e spin-off da Universidade de Stellenbosch, conseguiu captar US$ 1,3 milhão em uma rodada recente de investimentos liderada pelo University Technology Fund (UTF), com participação da Innovus (University of Stellenbosch Enterprises).

A Immobazyme desenvolve proteínas de alto valor para diversas indústrias, incluindo a de carne cultivada. O novo capital irá apoiar a expansão da produção da empresa, que inclui dobrar o tamanho de suas instalações atuais e escalar sua plataforma.

“Estamos incrivelmente gratos a todos os nossos investidores e parceiros por reconhecerem o valor e o impacto do nosso trabalho. Daniel S., Wayne Stocks e o restante da equipe do University Technology Fund (UTF), tê-los ao nosso lado tem sido fundamental para o nosso sucesso. Um grande obrigado à equipe da Innovus Technology Transfer Office da Universidade de Stellenbosch (USE); valorizamos todas as horas dedicadas e o trabalho árduo para concluir este acordo”, compartilhou a empresa nas redes sociais.

Fatores de crescimento e enzimas

Dominic Nicholas (CEO), Ethan Hunter (COO) e Nick Enslin (CTO) fundaram a Immobazyme em 2019 para “catalisar o futuro da inovação global com fermentação de precisão”. Utilizando a levedura Pichia pastoris como biofábricas, a empresa produz proteínas recombinantes para fatores de crescimento e enzimas.

A Immobazyme afirma ter desenvolvido um sistema modular de expressão de proteínas para produzir uma variedade de fatores de crescimento eficientes e econômicos para agricultura celular, pesquisa com células-tronco, engenharia de tecidos e medicina regenerativa, entre outros.

Além disso, a empresa desenvolveu o PepTrap, uma plataforma de imobilização de enzimas que melhora sua eficiência e estabilidade, facilitando o uso dessas enzimas em processos industriais. Sua enzima principal é a dextranase para a indústria de açúcar.

Segundo a biotecnologia, a dextranase é uma enzima que quebra as gomas de dextrano, um contaminante comum na indústria de açúcar produzido por microorganismos na cana-de-açúcar e na beterraba açucareira. Ela atua eficientemente nas ligações dos polissacarídeos de dextrano, convertendo o contaminante em açúcares simples, tornando os processos de produção mais eficientes, reduzindo resíduos, diminuindo custos e garantindo a produção de açúcar de alta qualidade.

“A fermentação de precisão está transformando o cenário industrial, oferecendo aplicações diversas nas indústrias de alimentos e biofarmacêutica. Desde a criação de alternativas de carne plant-based até o desenvolvimento de medicamentos essenciais e vacinas, a fermentação de precisão está na vanguarda da criação de produtos ambientalmente responsáveis e socialmente responsáveis.”

Confira a matéria publicada na vegconomist.

Leia também:

Centro Bezos para Proteína Sustentável é inaugurado com US$ 30 milhões

Revyve lança substituto de ovo a partir de levedura de cerveja

Better Juice revoluciona sorvetes com tecnologia de redução de açúcar

Por Vitor Di Renzo em 25 de junho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores