A empresa de queijo vegetal holandesa, Willicroft, levantou um investimento da Capital V, fundo de venture capital que investe em startups plant-based, cujo criador é o ex-empresário de tecnologia Michiel van Deursen. Uma curiosidade é que o queijo da marca foi o primeiro investimento na categoria feito pelo fundo. 

Michiel relatou ao Vegconomist que o queijo foi um alimento que fez parte de sua vida desde a infância e, após se tornar vegano, ele está buscando alternativas plant-based que contenham o sabor desse alimento que comia quando criança. Ele acrescentou: “Descobri isso na Willicroft — o produto é incrível e, acima disso, eles o produzem pensando no menor espaço ocupado. Eles têm uma equipe ambiciosa e alinhada à missão, e estou animado para ver o queijo Willicroft no varejo em toda a Europa”. 

O founder da Willicrof, Brad Vanstone, também deu uma declaração ao veículo sobre o investidor: “[…] Ele traz consigo uma vasta experiência de investimento em empresas plant-based”. 

Sobre a empresa de queijo vegetal Willicroft 

A marca foi fundada em 2018, pelo Brad Vanstone, que nasceu em uma família de produtores de leite e contou na história da empresa: “Em 2017, comecei a fazer uma dieta predominantemente vegetal. Percebi que, se eu podia mudar uma coisa, era tomar decisões conscientes sobre os alimentos que comia”. 

Ele afirmou que a carne e o leite foram alimentos fáceis de substituir, já o queijo foi algo complicado, pois nada que encontrou chegou próximo de substituir esse alimento, e o que começou como um projeto pessoal se transformou em uma empresa. 

A marca pretende contribuir na sustentabilidade do planeta, relatando que as vacas têm um impacto negativo no meio ambiente por conta do aquecimento global. Atualmente, alguns dos produtos de seu portfólio são o fondue de queijo, molho de queijo, molho de queijo trufado, queijo ralado estilo italiano e um queijo grego branco, vendendo para a indústria e o varejo, os ingredientes utilizados são a castanha de caju e o feijão-branco, esse último para a linha industrial. Além da Holanda, os produtos estão disponíveis na Bélgica e Reino Unido. 

A empresa também está experimentando com outros ingredientes e está se candidatando para se tornar uma Empresa B. Esse tipo de certificação busca assegurar que o negócio equilibre o lucro e o propósito, fazendo com que as empresas estejam legalmente obrigadas a considerar o impacto de todas as suas decisões sobre funcionários, fornecedores, clientes, meio ambiente e comunidade. Dessa forma, os negócios são utilizados como uma força do bem. 

Aproveite e leia também: 

Como Comprar Ações: O Guia Passo a Passo Para 2021

15 Ideias de Negócios Lucrativos e Com Pouco Investimento Para Abrir em 2021

Negócios em Alta: As 15 Melhores Ideias e Tendências (2021)

*Imagem de capa: Divulgação Willicroft (via Green Queen)



por Amanda Stucchi em 13 de agosto