A Tropic Biosciences, empresa inglesa, levantou US$ 35 milhões em uma rodada de investimentos para a edição genética de culturas agrícolas tropicais, focando inicialmente nos seguintes produtos que são muito consumidos: banana, café e arroz. 

Conforme o Statista, o café é uma das bebidas mais apreciadas: entre 2020 e 2021 foram 166,63 milhões de sacas de 60 quilos do grão globalmente. Já a banana, segundo o Guiness World Records, é a fruta mais consumida de todo o mundo. Por último, o arroz também é um dos grãos mais ingeridos pelas pessoas

Dessa forma, a Tropic também apontou que o mercado que atende é avaliado em mais de US$ 400 bilhões! 

O investimento foi liderado pela Blue Horizon – empresa de capital de risco que aporta em alimentos e agricultura sustentável – contando com a participação da Sucden Ventures, ADQ, Bloom8, Skyviews Life Science e Tekfen Ventures. 

Gilad Gershon, CEO da Tropic Biosciences, afirmou em um comunicado

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

“Enquanto continuamos bem financiados com nossa Série B de 2020, o novo investimento nos permitirá acelerar e expandir nossos esforços para trazer nossos novos produtos ao mercado e enfrentar os desafios críticos que os produtores vivem. Estamos muito satisfeitos por ter a Blue Horizon como um investidor de impacto líder, bem como outros novos investidores excepcionais, que se juntam à nossa jornada e nos apoiam na evolução da agricultura para sustentar as pessoas e o planeta”. 

O CEO se referiu a Série B de 2020, onde a empresa conquistou US$ 28,5 milhões em uma rodada liderada pela empresa de investimentos Temasek. 

Edição genética de culturas agrícolas  

A empresa desenvolve variedades comerciais das culturas tropicais, utilizando a tecnologia de edição de genes em sua plataforma proprietária GEiGS® (Gene Editing induced Gene Silencing). 

É informado que a tecnologia é compatível com todas as ferramentas de edição de genes existentes, portanto, permite a edição não transgênica de genes de RNAi (mecanismo que inibe a expressão genética), isso possibilita o aprimoramento das culturas, por exemplo, deixando as plantas mais resistentes a possíveis doenças. 

“Necessitamos de inovação na produção agrícola para atender às demandas nutricionais e apoiar o desenvolvimento sustentável das comunidades locais que estão em crescimento”, comentou a empresa em sua página. 

Junto com a tecnologia proprietária GEiGS®, a empresa também lançou a tecnologia computacional em uma plataforma que viabiliza a aplicação chamada GEiGS-BioCompute que agiliza o processo de edição genética, já que analisa os dados genômicos de uma cultura. 

“As alterações climáticas estão reduzindo os rendimentos agrícolas e contribuem para o surto de doenças agrícolas. O aumento resultante nos preços dos alimentos leva a questões críticas de segurança alimentar em todo o mundo. Regiões tropicais como América Latina, Sudeste Asiático e África, onde as despesas médias com alimentos como parte da renda familiar são muito maiores do que na América do Norte ou na Europa, serão as que mais sofrerão”, apontou o comunicado. 

Sobre a Tropic Biosciences 

Os fundadores do empreendimento são Gilad Gershon (CEO), Eyal Maori (CSO) e Ofir Meir (CTO), que criaram a empresa no ano de 2016. 

“[…] A Tropic Biosciences e as soluções que ela oferece a milhões de pessoas em todo o mundo é um exemplo perfeito do tipo de empresa em que queremos estar envolvidos. A Tropic terá um impacto extremamente positivo em uma área que pode não aparecer nas primeiras páginas de nossos jornais todos os dias, mas isso não quer dizer que seja menos importante, muito pelo contrário”, mencionou Björn Witte, CEO da investidora Blue Horizon. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

SCiFi Foods levanta US$ 22 milhões para carne cultivada combinada com plant-based

IntegriCulture levanta US$ 7 milhões para tecnologia de agricultura celular

Brightseed levanta US$ 68 milhões para comercializar ingredientes de cânhamo

*Imagem de capa: Divulgação Tropic Biosciences

Por Amanda Stucchi em 11 de julho