Quer saber quais são as diferenças de investir em startups e na bolsa de valores? 

O Vegan Business é a primeira plataforma de Equity Crowdfunding voltada para o mercado plant-based no Brasil, a modalidade possibilita que os investidores se conectem a startups e pequenas empresas com potencial de expansão, assim, as empresas conseguem investimentos e os investidores podem obter quotas/ações ou títulos conversíveis, conseguindo uma participação futura no negócio.

As diferenças de investir em startups e na bolsa de valores 

Os dois investimentos são considerados renda variável, ou seja, não garantem um valor fixo. Além disso, ambas as modalidades oferecem a possibilidade do investidor receber participação como sócio da empresa, entretanto, existem diferenças cruciais. 

Estratégia para lucros 

A primeira diferença é a estratégia para receber os retornos positivos. 

Na bolsa de valores existem inúmeros tipos de estratégias que um investidor pode fazer, por exemplo, vendendo de forma mais rápida ou esperando mais tempo. Pensando na estratégia considerada mais tradicional, o investidor irá aguardar um período que vai do médio até o longo prazo. 

Olhando para os investimentos em startups — empresas que geralmente estão começando no mercado — esse período vai ser mais longo, justamente pelo fato de ainda estarem iniciando suas atividades. 

Já falamos aqui sobre as possibilidades de obter lucros investindo em startups, como: Exit (quando a empresa é adquirida por outra empresa), IPO (abertura do capital na bolsa), futuras rodadas (Série A, B e C) e o mútuo conversível (espécie de “empréstimo” de certo valor que será convertida em participações, ações ou quotas). 

“No modelo usado pelo Vegan Business, o investidor pode ter lucros futuros com: exit, IPO (Initial Public Offering), futuras rodadas ou mútuo conversível, que é uma espécie de empréstimo convertido em participações, ações ou quotas de uma empresa”, destacou Christian Wolthers (CEO). 

Liquidez 

A liquidez é um conceito que significa a capacidade de converter um bem (nesse caso, a ação ou o investimento na startup) em um valor monetário. Aqui a bolsa de valores oferece uma maior liquidez, já que é possível vender as participações na famosa bolsa.

Vale destacar que liquidez não tem nada a ver com lucros, afinal de contas, caso você venda sua ação em baixa será um prejuízo.

Sabendo disso, apesar da startup oferecer diversas possibilidades de obter lucro, de modo geral, se você deseja vender sua participação antes de um IPO, exit ou rodadas futuras, é necessário realizar uma venda privada, ou seja, tem menor liquidez. 

Auxiliar na expansão de empresas 

Uma das grandes diferenças de se investir em startups é auxiliar no crescimento desse negócio, já que uma empresa em sua fase inicial deve utilizar os investimentos visando seu desenvolvimento, expansão e aceleração. 

Daremos de exemplo as rodadas realizadas no Vegan Business até o momento. 

A Chameleon Sun, marca de protetor solar vegano, levantou R$ 505 mil em janeiro, tinha como objetivo utilizar o valor em pesquisa para desenvolvimento de novos produtos, expansão de mercado e marketing. Já a Purifica, voltada para leites vegetais, captou R$ 375 mil em fevereiro e destacou que seu objetivo era ampliar a validade das bebidas com embalagens longa vida (tetrapak), além de investir nos setores de marketing e comercial. 

Por último, a Novah! — startup à base de castanha de caju — bateu um recorde de captação, chegando a R$ 600 mil em cerca de 9 horas. A CEO da marca, Lisiane Oliveira, explicou o destino da aplicação: “50% do valor aplicado para crescimento do time, 25% em crescimento e automatização de produção e 25% em marketing, operação, gestão e controles”. 

Portanto, dá para perceber o impacto que esses investimentos possuem nas empresas e na economia de forma geral. 

Você pode estar se perguntando se essa situação acontece na bolsa de valores. 

A resposta é que as empresas conseguem investimentos emitindo novas ações que são comercializadas na Bolsa de Valores, normalmente, isso acontece em seu Initial Public Offering (IPO). Caso a empresa não emita novas ações, o valor não é recebido pela mesma, já que é comum haver trocas entre uma pessoa e outra. 

Ter proximidade com os fundadores 

Uma vantagem de se investir em startups é a proximidade que você pode ter com os fundadores, justamente pelo fato de serem empresas menores e existirem menos investidores (comparado a grandes empresas na Bolsa de Valores). 

Logo, aqui é possível auxiliar os fundadores com o Smart Money, agregando conhecimento e não só dinheiro. 

“O Vegan Business literalmente nos deu a mão e está nos viabilizando, não só através da operacionalização e execução da rodada de captação de recursos, mas através da rede de apoio (mentorias, networking — o conhecido Smart Money), bem como a possibilidade de tirarmos do papel o projeto de levarmos nosso propósito de forma mais qualificada e exponencial para cada vez mais pessoas que precisam de alternativas inclusivas”, acrescentou Lisiane Oliveira. 

Se você deseja investir em startups do mercado plant-based, acesse a lista de investidores do Vegan Business! 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Bolsa de valores: conheça empresas plant-based de sucesso 

4 Vantagens de investir em startups via Vegan Business

Startups ESG: mercado e investimentos

*Imagem de capa ilustrativa: Unsplash 

Por Amanda Stucchi em 2 de maio