Um relatório da GFI comparou o impacto ambiental de várias alternavas de carne plant-based com o de suas contrapartes da carne animal.

O relatório analisa quatro questões ambientais: uso da terra, uso da água, emissões de gases de efeito estufa e eutrofização aquática. Isso mostra que os produtos plant-based têm um desempenho consistentemente muito melhor do que a carne animal.

Carne plant-based

O impacto é mais impressionante quando se trata de alternativas a carne bovina, que usam até 99% menos terra e água. Dessa forma, é possível reduzir em até 90% as emissões de gases de efeito estufa e o potencial de eutrofização em até 91%. De acordo com a GFI, mudar para carne produzida a pasto não é uma solução, pois só há pasto suficiente nos EUA para sustentar 27% da produção de carne.

As carnes suína e de frango vegetais, podem consumir até 84% menos terra, 81% menos água, 35% menos emissões e 75% menos potencial de eutrofização.

Um caminho promissor

No ano passado, a pesquisa da Cornell University descobriu que os EUA poderiam reduzir sua pegada agrícola em até 13,5% reduzindo a produção de carne bovina. Um relatório de novembro da ProVeg International disse que muitos agricultores estavam abertos à ideia de fazer a transição para produzir colheitas em vez de alimentos de origem animal , mas as preocupações com a lucratividade eram a principal barreira.

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

No Reino Unido, um estudo observou que é possível reduzir as emissões de metano agrícola em 8% se produtos de origem animal fossem substituídos opções vegetais.

Além disso, a WWF afirma que dois quintos das terras aráveis do UK são usadas para cultivar ração e pede que algumas sejam reaproveitadas para alimentar pessoas.

De acordo com a GFI: “Usar as terras agrícolas para cultivar alimentos para humanos permitiria que os agricultores alimentassem mais que o dobro de pessoas. Isso aumentaria o suprimento de comida três vezes mais do que recuperar toda a comida que estraga. A carne à base de plantas oferece um caminho promissor para a realização da maior parte desse ganho de eficiência”.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Anita Dongre lança acessórios feitos com couro vegano Mirum

Mercado de presunto vegano deve crescer mais de 100% até 2028

Mais de 33% dos britânicos reduzirão carne e laticínios em 2023

Imagem ilustrativa de capa: Divulgação Impossible Foods

Por Ana Cristina Gomes em 8 de fevereiro