A biotech de queijo Formo, localizada na Alemanha, levantou US$ 50 milhões em uma rodada da Série A. 

O investimento foi liderado pela EQT Ventures, Elevat3 Capital e o Lowercarbon Capital. Também contou com a participação da Happiness Capital, Lionheart Ventures e Albert Wenger. 

A marca utiliza a fermentação de precisão para produzir seus queijos sem elementos de origem animal. O valor levantado irá impulsionar sua pesquisa, ampliar sua planta piloto, contratar mais pessoas para a equipe, acelerar a entrada no mercado, e expandir seu portfólio de produtos. 

Sabe o que vem de novo? Mussarela e ricota! Esses produtos serão feitos com queijeiros artesanais utilizando a tecnologia de fermentação de precisão.

Em uma comunicação sobre o investimento, os co-fundadores falaram: “Embora os incentivos em dólares nem sempre tenham gerado resultados ideais para o planeta e seus habitantes, o poder do dinheiro gasto por cada um de nós pode promover um mundo mais seguro e justo”. 

A meta da empresa é ambiciosa: desejam substituir 10% dos produtos lácteos na Europa até 2030 com a fermentação de precisão. 

É dito no comunicado: “Com este novo investimento, esse objetivo — e os benefícios para o clima, o bem-estar animal, a saúde pública e o sistema alimentar como um todo — parecem mais próximos do que nunca”. 

Fermentação de precisão: tecnologia e maior investimento do setor

A fermentação de precisão é o desenvolvimento de alimentos utilizando microorganismos. 

O Good Food Institute criou um relatório sobre a indústria da fermentação, é dito que as empresas de fermentação que se dedicam às proteínas alternativas levantaram US$ 1 bilhão entre 2013 e 2020. 

O maior investimento nesse setor foi na empresa Perfect Day, que levantou no ano passado US$ 300 milhões na Série C. 

Também é afirmado no relatório que mais da metade dos investimentos nas empresas que utilizam a fermentação ocorreu em 2020, com US$ 587 milhões aportados. Isso demonstra o quanto esse mercado está crescendo. 

Produto da biotech de queijo

Imagem: Divulgação Formo 

Sobre a biotech de queijo 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essa rodada da Formo e dados da indústria da fermentação, que tal conhecer um pouco mais da história da marca? 

A empresa foi fundada pelo Raffael Wohlgensinger (CEO) e pela Dra. Britta Winterberg (CSO), no ano de 2018, em Berlim na Alemanha. 

Raffael disse no seu vídeo de apresentação: “Produtos baseados em animais são uma parte essencial da nossa cultura e identidade. Especialmente para mim, eu vim de uma família suíça e brasileira, e sempre havia produtos lácteos e de carne, grande parte dos pratos eram feitos com animais”. 

Ele acrescentou: “Há seis anos aderi a uma dieta plant-based e senti uma confrontação entre meu estilo de vida (ser mais sustentável e ético) e o jeito que cresci (a cultura que vivemos). A coisa mais legal que fazemos na Formo é que podemos ser sustentável sem sacrificar o gosto dos produtos que nos trazem emoções, que não são produzidos com animais”,  em tradução livre.  

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Como Investir na Bolsa de Valores: Passo a Passo Para Iniciantes

4 receitas de queijo vegano: incríveis e fáceis de fazer 

Fermentação: produção de proteínas e as empresas desse mercado

*Imagem de capa: Divulgação Formo (via Green Queen)



por Amanda Stucchi em 16 de setembro