A Biohm, empresa de pesquisa e desenvolvimento de biomanufatura foi em 2016 para criar materiais de construção e embalagens regenerativos, cultivando micélio em resíduos de alimentos ou processando subprodutos difíceis de reutilizar ou reciclados.

A Biohm usa casca de laranja, casca de cacau e outros resíduos de alimentos para desenvolver e projetar materiais de construção, como painéis de isolamento à base de micélio, alternativas de concreto à base de plantas e substitutos sustentáveis para placas de construção à base de madeira.

A empresa afirma a fabricação, tem como princípios: a economia circular, impacta positivamente o meio ambiente, ou seja, é totalmente regenerativo e negativo em carbono.

Painéis de isolamento à base de micélio

A equipe da Biohm desenvolveu painéis de isolamento de alta qualidade para a indústria da construção feitos de micélio em crescimento, dessa maneira, transformando-os em produtos tridimensionais.

“Convertemos um dos fluxos de resíduos que mais cresce no mundo – resíduos de alimentos – em materiais valiosos e funcionais transformando em folhas ou moldados para criar produtos tridimensionais intrincados”, diz a empresa de biomateriais.

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

Os painéis de micélio de material regenerativo oferecem um desempenho de isolamento térmico e acústico comparável aos produtos de plástico, sem compostos sintéticos ou resina. A equipe de P&D da Biohm também identificou várias cepas de micélio que podem digerir minúsculas partículas de plástico.

Placas orb e folhas de construção

O biocomposto de lixo orgânico (Orb) é um material de construção renovável utilizado como substituto de chapas de madeira manufaturadas. É feito com subprodutos difíceis de reutilizar ou reciclar que, de outra forma, iriam para o aterro.

Orb é um material 100% biodegradável, vegano e sustentável que pode dar origem a placas de construção ou placas compostas.

Além disso, a empresa explica que a Orb pode ser moldada em diversas formas e pode produzir peças, como ladrilhos e itens decorativos.

De acordo com Biohm: “Na Biohm, temos a visão de criar um ambiente saudável e sustentável, inspirando-nos na natureza para obter inspiração e inovação. Acreditamos que, em um momento de crise climática, é necessária uma mudança radical, exigindo inovação sistêmica em larga escala para corrigir as questões multifacetadas entrelaçadas em nossas economias que nos levaram até onde estamos agora”.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Carne cultivada será vendida pela primeira vez em açougue

Arkeon Biotechnologies levanta € 10 milhões para alimentos feitos de CO2

77% dos consumidores querem provar comidas feitas por IA

Imagem ilustrativa de capa: Divulgação Biohm

Por Ana Cristina Gomes em 16 de janeiro