A GP Investments é uma gestora conhecida, fundada em 1993 por Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, sendo que em 1994 teve o primeiro fundo de Privaty Equity. Já investiu em empresas famosas como a Submarino, IG, Webmotors, entre outras. Porém, gradualmente, se afastou do setor de tecnologia e com a G2D Investments se aproximou novamente, pois o objetivo desse empreendimento é levar ativos de venture capital para as massas, dando acesso para investidores às empresas de tecnologia, com alto crescimento.  

É dito no site da G2D Investments: “Democratizamos o acesso ao Venture Capital. Criamos um modelo que alia acesso à inovação em diferentes geografias e acesso a uma estrutura de capital permanente para empreendedores”. Para quem deseja entender essas definições de Privaty Equity e Venture Capital, é bem simples: o Venture Capital foca em empresas de até médio porte com baixo faturamento, mas que tem um potencial alto de crescimento. Enquanto o Privaty Equity investe em empresas mais estabelecidas no mercado, ou seja, empresas mais maduras. 

Sobre a democratização do Venture Capital, Carlos Pessoa Filho, responsável pela operação da G2D, falou ao Guia do Investidor: “O acesso a companhias pré-IPOs é inacessível aos investidores pessoas físicas, pois para investir na maioria dos fundos de venture capital, é preciso ser um investidor profissional”. É importante ressaltar que a G2D levantou R$ 281 milhões em seu IPO, e 59% da sua oferta correspondeu aos investidores que são pessoas físicas. 

Carlos Pessoa Filho também disse para o Neofeed: “O investidor brasileiro estava fora dessa classe de ativos […] Queremos oferecer governança, transparência, liquidez e acesso global a ele”. De acordo com esse veículo, a G2D se define como uma empresa de capital permanente, contudo, na prática é como um fundo de Venture Capital, com liquidez diária. 

Agora, quais são as empresas que constam no portfólio da G2D Investments? 

No portfólio da G2D Investments, disponível em sua página oficial, é possível verificar que os investimentos são divididos em Investimentos Diretos, Marcas Disruptivas de Consumo, e Investimentos em tech nos Estados Unidos. Sobre os investimentos nas Marcas Disruptivas de consumo, a G2D criou a The Craftory, uma holding para investir em empresas ESG, uma sigla que significa “environmental, social e corporate governance”, a sigla se refere as melhores práticas ambientais, sociais e de governança corporativa de um negócio. Conforme explicação da G2D: “The Craftory busca investir globalmente em empresas e marcas inovadoras de bens de consumo que tenham uma causa grande e impacto social e ambiental positivo. […] The Craftory se concentra exclusivamente em apoiar marcas únicas de consumo a saltarem de US$ 10 milhões para US$ 100 milhões ou mais de faturamento, oferecendo capital permanente no espaço de bens de consumo embalados (CPG)”. 

Também é dito que a participação da G2D na The Craftory é com um compromisso de investimento de US$ 60 milhões, possuindo 16,44% de participação nesta empresa, a G2D também tem uma cadeira no conselho de administração e tem participação no comitê de investimentos. Uma questão importante é o reconhecimento da The Craftory, que recebeu a certificação B Corporation da B Lab, uma entidade sem fins lucrativos que atesta empresas que buscam balancear seu propósito e seus lucros. É dito na página da Instituição: “[..] são legalmente obrigadas a considerar o impacto de suas decisões sobre seus funcionários, clientes, fornecedores, comunidade e meio ambiente”, em tradução livre. 

 Veja abaixo algumas marcas em cada divisão: 

  • Investimentos Diretos – Sim;Paul, Blu, mercado bitcoin, CERC e Quero Educação; 
  • Marcas disruptivas de consumo – NotCo, TomboyX, Ruby Love, Dropps, Healist Naturals, LOUM Beauty of Calm, One Ocean Beauty, Dyper, Edgard & Cooper, Pharmapacks, Moss.Earth e Hippeas; 
  • Investimento em Tech nos Estados Unidos – A GP Investment forneceu investimento inicial para a Expanding Capital, que já investiu em várias empresas que se tornaram unicórnios (termo para startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão), a G2D tem US$ 25 milhões em capital que está comprometido com a Expanding Capital. Para citar algumas empresas que a Expanding Capital investiu e se tornaram unicórnios: Coinbase, Farmers Business Network, ClassPass, entre outras. 

Aproveite e leia também: 

Bolsa de valores: conheça empresas plant-based de sucesso

Ações veganas: motivos para investir e possibilidades

*Imagem de capa: Reprodução do Facebook da NotCo



por Amanda Stucchi em 29 de junho