É uma grande vitória quando vemos que uma startup consegue uma grande quantidade em investimento para desenvolver novos alimentos veganos (ou produtos). A mais nova startup a conseguir essa vitória é a Motif.

Ela será responsável por fornecer novas proteínas vegetais inovadoras para empresas vegetarianas. A ideia é que as empresas foquem sua atenção em fabricar novos alimentos veganos, e não mais na execução dentro de um laboratório.

Startups a favor de novos alimentos veganos

Você conhece já Impossible Foods? A marca aprofundou seus conhecimentos em biotecnologia e desenvolveu um hambúrguer inovador. Na versão vegana criada pela Impossible Foods, o hambúrguer à base de plantas se parece fisicamente e tem gosto semelhante a carne bovina.

Além dela, outras startups estão revolucionando a maneira como comemos carne. A Mutif não é diferente. Essa startup quer facilitar para que outras empresas entrem no mundo das carnes, laticínios e ovos cultivados ou cultivados em células.

“Há uma clara tendência de interesse do consumidor em proteínas alternativas e versões livres de animais de peixe, hambúrgueres e nuggets de frango e todas essas coisas”, diz Jason Kelly, CEO e co-fundador da Ginkgo Bioworks, empresa de biotecnologia que desenvolveu o novo produto. startup, chamada Motif Ingredients.

A startup busca identificar ingredientes, tais como vitaminas e proteínas encontrados em produtos de origem animal, e produzir uma levedura ou bactéria. Dessa forma, esses ingredientes poderão passar por um processo semelhante ao da cerveja. É um trabalho complicado e difícil para a Motif ou para outra startup grande. Por isso, a empresa vai se unir a Ginkgo para facilitar o trabalho.

“As proteínas são muito difíceis de serem formuladas nos alimentos”, diz Jonathan McIntyre, CEO da Motif

Outro ponto importante da marca está na ideia de produzir novos alimentos veganos com preços mais em conta no mercado. A Motif quer fabricar alimentos saudáveis e vegetais para a próxima geração. “Motif combina tradição, inovação e biotecnologia para ajudar a construir um futuro mais sustentável para todos.” (segundo o site)

Investimento de 90 milhões

De onde veio os 90 milhões de dólares?

A Motif arrecadou US $ 90 milhões em sua série “Uma rodada de financiamento”. Essa foi  a maior quantia até hoje de uma empresa de tecnologia de alimentos. Dentre os investidores da marca temos: o fundo de Bill Gates criado para combater a mudança climática, a empresa global de laticínios Fonterra, Louis Dreyfus Company e Viking Global Investors.

“Eu acho que o que estamos vendo é apenas uma ampla conscientização entre os investidores de que um aperto está chegando”, diz Kelly.

“Existem 10 bilhões de pessoas no planeta. Nós só precisamos de muito mais proteína do que temos agora, ponto final, de um ponto de vista nutricional global. Esse é o número um. Então, número dois, você tem o tipo de consumidor milenar que está dizendo que eu quero ser flexitário. Eu quero comer mais coisas à base de plantas na minha dieta, eu quero ser mais nutritivo. Eu quero ter menos impacto no planeta e nos alimentos que escolho. Essas duas coisas juntas são como uma tempestade perfeita que está gerando muito crescimento em produtos baseados em plantas. ”

“Vamos colocar esses ingredientes nas mãos das pessoas e eles podem ser criativos”, diz Kelly. “Eles podem lançar produtos; Não é tão caro lançar um novo produto de marca. É caro fazer um gigantesco projeto de P & D na frente. O que queremos fazer é fazer com que tantos desses novos produtos sejam lançados, que é inevitável que um deles seja um sucesso ”.

Mais um motivo para comemorarmos. O veganismo está ganhando um espaço cada vez maior dentro do mercado. Logo mais, a demanda por novos alimentos veganos vai superar a demanda por alimentos de origem animal. Enquanto isso, nós aguardamos as próximas novidades.

Leia também New Crop Capital lança fundo de US$ 100 milhões para investir em proteínas alternativas e As principais tendências de alimentos veganos para 2019



por Lari Chinaglia em 1 de março