Você conhece alguém que não cansa de falar que admira quem segue uma dieta vegetariana ou um estilo de vida vegano, mas não consegue ficar sem Bacon? Ou que insiste que um hambúrguer de proteína vegetal é muito bom, mas sente falta do gosto do Bacon?

Bem, foi pensando nessas pessoas que uma Startup do Vale do Silício, na Califórnia, se destacou. Apesar de compartilhar da mesma localização que empresas de tecnologia e informática como a Apple, o Facebook e o Google, o produto aqui é um pouco diferente: é o Bacon Vegano! Continue lendo e descubra como essa empresa resolveu unir tecnologia e culinária em prol da saúde e ainda conseguiu arrecadar um investimento de mais de 4 milhões de dólares!

Esta Startup que surpreendeu investidores ávidos por um espaço no mercado de alternativas para carne é a Prime Roots. Para os que acompanham a empresa a mais tempo, ela já foi conhecida previamente como Terramino Foods, responsável por produzir alimentos baseados em proteínas de plantas, incluindo versões veganas de atum, camarão e até de lagosta.

Fundada por Kimberlie Le e Joshua Nixon, colegas na Universidade da California em um curso de produção de alimentos baseados em plantas, a startup cresceu a partir de um projeto desenvolvido durante o curso. Lá eles aprenderam e dominaram uma técnica que utiliza o Koji, um antigo fungo originário da China (usado para fazer saquê, bebida alcoólica tradicional no Japão), para desenvolver um hambúrguer a base de salmão, e não foi só isso!

Com o número crescente de investidores e entusiastas no mercado buscando soluções e inovações para as refeições a base de proteína vegetal, não demorou muito para que a Prime Roots, em 2018, recebesse um investimento de 4,25 milhões de dólares! Incrível não?

O segredo para essa alavancagem quem explica é a Lauren Loktev, sócia de um dos fundos que apostou na empresa. Ele argumenta: “A Prime Roots identificou uma forma proteica que tem um imenso potencial graças a sua textura única e habilidade de substituir diferentes proteínas animais.”

Agora, a empresa que segundo a própria fundadora Kimberlie Le, é “capaz de produzir praticamente qualquer produto a base de proteína vegetal”, foca em um novo produto, o seu Bacon a base do fungo Koji. Para isso, a startup investe em espaços apropriados para a criação e fermentação do fungo, em parceria com a Universidade de Berkeley. Lá, em alguns dias, esse fungo consegue desenvolver as fibras que serão utilizadas como base na fabricação do bacon. 

O produto, além de ser naturalmente defumado e fatiado artesanalmente, sem adição de nitratos, antibióticos ou hormônios, como afirma a página da própria Prime Roots, ainda tem outro diferencial: é que essa super proteína, apesar do ambiente laboratorial, cresce de forma orgânica, e naturalmente tem a textura semelhante à da carne.

Isso significa que, diferente da maioria dos alimentos à base de plantas disponíveis no mercado, essa super proteína não precisa passar por métodos de ultra processamento, chegando na mesa do consumidor com um altíssimo teor proteico e com menos malefícios para a saúde! O foco da empresa é no crescente número de pessoas que buscam não somente opções de produtos com um menor impacto ambiental para o planeta, mas também que sejam mais saudáveis!

Os fundadores esperam ainda que mais investimentos sejam feitos em um futuro próximo, uma vez que um relatório do banco de investimentos do Reino Unido, Barclays, como mostra esse artigo, prevê um crescimento significativo para a categoria de alimentos “livres de carne”. É esperado que na próxima década, esses produtos estejam participando em cerca de 10% do orçamento global de 1.4 trilhões de dólares da indústria de carne.

No Brasil, o mercado de produtos veganos segue a tendência dos próprios consumidores nos últimos anos: aumentar. Em 2018, 14% da população já se declarava vegetariana, segundo dados apresentados pela Sociedade Vegetariana Brasileira, em pesquisa do IBOPE Inteligência, conduzida em abril desse mesmo ano. 

A porcentagem revela um aumento de 75% em relação ao ano de 2012! Mesmo que o percentual de adeptos a práticas de alimentação livre de carne se concentre em regiões metropolitanas (onde já são cerca de 16% da população total), em números absolutos os vegetarianos brasileiros já são mais de 30 milhões! Praticamente a população de Grécia, Bélgica e Portugal somadas! 

Hoje, gigantes da indústria lucram com iniciativas veganas. A rede de fastfood Burguer King, por exemplo, oferece desde 2015 o Veggie Burguer como alternativa para os consumidores que não desejam um tradicional hamburguer de carne. Gigantes da carne, como a JBS, também estão investindo no mercado vegano.

Desde do seu lançamento, o Veggie Burguer vem alcançando números que não são apenas de mais uma opção do cardápio. Em 2018, a rede vendeu mais de um milhão de unidades do hamburguer, com um crescimento de mais de 30% em relação ao ano de 2017.

Seja você um empreendedor em busca de novas oportunidades ou mais um brasileiro dentro a nova geração que busca pensar também no planeta para fazer suas escolhas de consumo, não podemos ignorar a verdade. O pensamento dos consumidores vem mudando, e isso reflete em um aumento de mercado estimado de 40% ao ano só no Brasil!

Curtiu nosso artigo sobre a Startup de bacon vegano? Não deixe de acompanhar o Vegan Business, o seu portal de conteúdo de negócios veganos para mais novidades, e vamos juntos fazer parte de um futuro melhor!



por Leonardo Madureira em 15 de março