Um estudo de coorte publicado no Journal of the American Heart Association (JAHA), acompanhou mais de 100 mil mulheres na pós-menopausa por quase 20 anos e concluiu que proteínas de fontes vegetais reduzem o risco de doenças cardíacas e demência.

As mulheres do estudo que comeram mais proteínas de fontes vegetal tiveram menor risco associado de morte relacionada a doenças cardíacas e demência, também, menor risco de mortalidade por todas as causas, ou morte por todas as causas, em comparação com mulheres que comeram mais carnes vermelhas, laticínios e ovos.

As proteínas de fontes vegetais são comuns na dieta baseada em plantas.

Benefícios da dieta baseada em plantas

Os motivos pelos quais uma dieta baseada em plantas pode impactar fatores de saúde como demência e doenças cardíacas é o assunto de duas teorias de trabalho na literatura científica médica e nutricional.

Um deles tem a ver com metabólitos inflamatórios. Estes, são subprodutos da proteína animal que podem afetar o coração, o cérebro e nossos vasos sanguíneos e impactar negativamente a nossa saúde. A outra teoria tem a ver com o microbioma intestinal, que se refere às bactérias boas que vivem em nosso intestino e comandam grande parte da fisiologia da nossa saúde. Obviamente, o que comemos está relacionado a isso.

Uma dieta baseada em vegetais é uma forma de alimentação que consiste principalmente ou inteiramente em alimentos derivados de plantas, incluindo vegetais, grãos, nozes, sementes, legumes e frutas. Atualmente, há uma intersecção desta dieta com vegetarianismo e flexitarianismo, que também consistem em reduzir ou eliminar o consumo de produtos de origem animal.

Assim como as modalidades citadas, a dieta baseada em vegetais consiste em comer poucos ou nenhum alimento de origem animal, mas privilegia o consumo de vegetais integrais, pois em suma, é feita por questões de saúde.

Interesse em dietas à base de vegetais

As dietas à base de vegetais têm ganhado aclamação constante nos últimos anos. O documentário “Forks Over Knives” foi um dos responsáveis por colocar as dietas baseadas em vegetais no topo. O documentário foi feito por Brian Wendel, que participou de uma conferência sobre nutrição em 2001, começou a seguir uma dieta baseada em vegetais e depois levou a ideia às massas com o documentário e um best-seller.

Mais recentemente, outro documentário, “The Game Changers“, colocou as dietas à base de plantas no centro das atenções. O documentário de 2019, produzido por James Cameron e Arnold Schwarzenegger, mostra a trajetória de um ex-lutador de MMA que abre mão da carne.

Inúmeras celebridades e atletas também divulgam publicamente a adoção de uma dieta baseada em vegetais, aumentando o interesse por essa forma de comer.

Outro fator, é o argumento de que comer à base de plantas é melhor para o meio ambiente. É crescente o número de pessoas conscientes sobre quanta terra é necessária para abastecer e cultivar um único hambúrguer, por exemplo. Tudo isso, em meio à iminente crise climática, faz toda a diferença.

Uma dieta baseada em vegetais

Como já dito, a ênfase nesta escolha alimentar está na ingestão de alimentos inteiros e minimamente processados. Então, deixe de lado os incríveis hambúrgueres à base de plantas e se concentre numa alimentação integral, comida de verdade.

É claro que frutas e vegetais frescos são uma grande parte de uma dieta baseada em vegetais, assim como nozes, grãos inteiros e leguminosas. As proteínas de fontes vegetais, assim como, todos os nutrientes presentes nestes alimentos são o segredo do sucesso desta dieta.

Um bom prato bem colorido é primordial e a diferença em sua saúde também dará um colorido especial à sua vida.

Leia também: Estudo caracteriza a qualidade da dieta vegetariana dos brasileiros e 9 benefícios da dieta baseada em plantas



por Nadia Ferreira Gonçalves em 19 de março