De acordo com um estudo publicado recentemente, o desperdício de alimentos contribui para metade das emissões de gases globais do sistema alimentar.

O estudo publicado na revista Nature Food, examinou a perda e o desperdício de 54 tipos de alimentos em quatro categorias diferentes. O estudo considerou dados de 164 países e regiões no período de 2001 a 2017.

Os pesquisadores avaliam as emissões geradas pelo desperdício de alimentos em todas as etapas da cadeia de produção, desde a colheita até o descarte em aterros ou compostagem.

Desperdício de alimentos

As Nações Unidas identificaram a redução do desperdício de alimentos como um elemento crucial dos seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A meta é reduzir essas perdas pela metade até 2030.

O estudo apresenta um contraste surpreendente com as metas da ONU. De acordo com os resultados, o desperdício global de alimentos em 2017 foi responsável pela emissão de 9,3 bilhões de toneladas de dióxido de carbono, quase o mesmo que as emissões combinadas dos Estados Unidos e da União Europeia naquele ano. Essa estimativa representa o dobro das feitas por estudos anteriores e sugere falhas em todo o sistema alimentar.

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

Os pesquisadores concluíram que as emissões relacionadas ao abastecimento e gestão de resíduos de alimentos gerados pela China, Índia, Estados Unidos e Brasil, totalizam mais de 44% e 38%, respectivamente, do total de emissões globais nesses setores.

Os países mais desenvolvidos, em geral, possuem tecnologias mais avançadas e ambientalmente avançadas, gerando assim menos emissões de resíduos. Em contraste, os países em desenvolvimento enfrentam desafios para evitar o desperdício de alimentos após a colheita. Além disso, em regiões com climas mais quentes e com falta de acesso a refrigeração, o transporte de alimentos pode ser um grande problema.

Impacto do desperdício

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), aproximadamente 33% dos alimentos produzidos globalmente, acabam desperdiçados a cada ano.

A perda e o desperdício de alimentos geram emissões de gases de efeito estufa de diversas formas: metano e dióxido de carbono são liberados durante o preparo dos alimentos, além de emissões relacionadas ao transporte e produção dos alimentos.

Além disso, de acordo com a ONU, o desperdício de alimentos custa mais de US$ 400 bilhões por ano, enquanto 800 milhões de pessoas passam fome.

Os pesquisadores sugerem estratégias de intervenção, incluindo a redução da perda de alimentos e da geração de resíduos pela metade, a redução do consumo de carne e utilização de avanços tecnológicos.

Se o desperdício de alimentos fosse reduzido pela metade, isso eliminaria aproximadamente um quarto das emissões de gases de efeito estufa do sistema alimentar global.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Milk Makeup e Reebok lançam coleção de tênis veganos

Portugal: venda de alimentos plant-based aumentou 20% desde 2020

Aqua Cultured Foods levanta US$ 5,5 milhões para frutos do mar feito com fungos

Imagem ilustrativa de capa: Pexels

Por Ana Cristina Gomes em 14 de abril