O novo documentário da Netflix, Seaspiracy, revela, acima de tudo, os impactos negativos da pesca para o planeta. Dos criadores de Cowspiracy, o filme destaca os segredos obscuros da indústria pesqueira global e a devastação que ela está causando em nosso planeta.

O documentário é de Kip Anderson, o criador de Cowspiracy e What the Health. Responsável por dois filmes que encorajaram muitas pessoas a adotar uma dieta baseada em vegetais e até mesmo abandonar de vez o consumo de produtos de origem animal. Enquanto o Cowspiracy informa sobre o impacto ambiental negativo da pecuária, o Seaspiracy traz o foco para a indústria pesqueira.

Acreditamos que até agora, muitas pessoas já descobriram as consequências negativas da criação de animais para obter carne. Contudo, o impacto da pesca comercial em nossos oceanos e meio ambiente ainda estava envolto em sigilo. Portanto, Kip tem como objetivo descobrir os segredos que cercam a indústria pesqueira e revelar a “importante peça que faltava no quebra-cabeça ambiental do nosso planeta”.

“Este filme vai transformar radicalmente a maneira como pensamos e agimos na conservação dos oceanos para sempre. É hora de concentrarmos nossas preocupações ecológicas e éticas em nossos mares e seus habitantes”, diz uma declaração compartilhada na conta do Instagram @seaspiracy. “Esta é uma nova era para a forma como tratamos o habitat mais importante da Terra.”

Nesta nova jornada, o cineasta Kip se juntou a uma nova dupla de diretores, Ali e Lucy Tabrizi, que também aparecem no filme.

Escala assustadora

Falando sobre o filme no Instagram, Ali Tabrizi revelou:

“Quando embarcamos na jornada para expor a principal ameaça aos nossos mares, não tínhamos ideia da escala do que estávamos prestes a descobrir. O que tornou as coisas ainda mais chocantes foi o fato de que governos e grupos ambientais são cúmplices e lucram com sua morte”.

Lucy Tabrizi acrescentou: “A taxa de destruição em nossos oceanos está ultrapassando nosso conhecimento de suas maravilhas. É crucial que nos engajemos nesta conversa urgente para proteger o habitat mais incrível da Terra antes que seja tarde demais … e este filme vai desencadear isso.”

De fato, a indústria pesqueira está destruindo secretamente nossos oceanos em um ritmo rápido, e esperamos que este novo documentário inovador ajude as pessoas a mudar para frutos do mar de origem vegetal.

Seaspiracy foi lançado na Netflix ontem, dia 24 de março.

Consciência sobre os impactos da pesca

Com o aumento da conscientização sobre como a pesca afeta negativamente a vida marinha e o oceano, os investidores e fabricantes de alimentos estão apostando alto no aumento de frutos do mar de origem vegetal sustentável para ajudar a preservar nossos mares.

Inovadores, como a BlueNalu, uma empresa de frutos do mar baseada em células, usam células de peixes para cultivar frutos do mar em um laboratório, em vez de tirar peixes dos oceanos. A empresa sediada em San Diego recentemente levantou US$ 60 milhões sem precedentes de investidores para ajudar a lançar seus produtos, enquanto uma empresa de Cingapura revelou a primeira carne de lagosta cultivada em laboratório do mundo.

Estima-se que mais de 2,7 bilhões de peixes selvagens são mortos todos os dias. Assim, produtos de última geração, como frutos do mar cultivados em laboratório, são definidos para fornecer uma solução sustentável e tão esperada para atender à demanda global por produtos de frutos do mar. E com a estreia do documentário trazendo a consciência da indústria em uma plataforma global para um público de massa, a tendência é de que a demanda por frutos do mar à base de plantas aumente drasticamente.

Fatos trazidos por Seaspiracy

Desde 1950, 29% das espécies de peixes comerciais sofreram colapso, e isso está se acelerando com mais de 75% das pescarias exploradas ou esgotadas hoje. A sobrepesca, a perda de habitat e a poluição estão levando a maioria das populações de peixes a um declínio cada vez mais rápido. Se as tendências atuais continuarem, todas as populações comerciais atualmente pescadas deverão entrar em colapso até 2048. (Boris Worm e et al, “Supporting Online Material: Impacts of Biodiversity Loss on Ocean Ecosystem Services”)

Dentre os inúmeros problemas na indústria da pesca comercial, em 2018, cerca de 179 milhões de toneladas métricas de peixes foram pescadas no mundo. Inegavelmente, os humanos estão pescando em excesso, isso está causando o superaquecimento dos oceanos – e ambas as coisas estão prejudicando as populações de peixes. De acordo com um estudo de 2019, a população mundial de peixes diminuiu 4,1% desde 1930.

Dadas as estatísticas e o conhecimento que já temos sobre a importância destas questões que o mar enfrenta, este documentário não poderia ser mais aguardado. Esperamos que todos vejam, compartilhem e sugiram para amigos e familiares, e com educação e conhecimento possa vir a mudança. Em suma, nosso planeta está ficando sem tempo para ajustar o curso da história e cabe a cada um de nós fazer a nossa parte e retirar de vez os animais dos pratos essas indústrias para sempre.

Você pode visitar seaspiracy.org  para conhecer mais sobre o projeto.

Leia também: 5 documentários para assistir durante o distanciamento social



por Nadia Ferreira Gonçalves em 25 de março