Você sabe qual a diferença entre cosmético vegano e livre de crueldade? 🤔

Em primeiro lugar, se você, assim como nós, se concentra em um estilo de vida vegano e sem crueldade, sabe que isso inclui a escolha de cosméticos. Então, é bem provável que já tenha se deparado com esses dois termos nos rótulos (que espero que você leia) e se questionado sobre a diferença entre eles.

Então, qual é a diferença entre cosmético vegano e livre de crueldade?

Embora os termos sejam muitas vezes usados ​​de forma intercambiável, eles significam coisas diferentes.

Um dos termos mais procurados atualmente é ‘cosmético vegano’. De acordo com a Mintel, as vendas de cosméticos veganos aumentaram 100% somente no último ano. O principal mercado sendo os jovens de 16 a 34 anos que demonstram preocupação com o bem-estar animal.

O que é um cosmético vegano?

Um cosmético vegano é um produto que não contém qualquer ativo de origem animal ou ingredientes derivados de animais. Mas não é só isso, se considerarmos a definição de veganismo, o produto também deve ser isento de qualquer tipo de exploração animal, em toda a sua cadeia de produção. Isso inclui testes, até mesmo se feito por fornecedores de matéria-prima.

No entanto, há certa confusão e muitas vezes cosméticos que levam o nome “vegano” em seus rótulos o relacionam apenas aos ingredientes, ao invés do processo de produção como um todo. Desse modo, itens que são testados em animais, equivocadamente, podem ser considerados veganos.

O que é um cosmético livre de crueldade (cruelty free)?

Já um cosmético livre de crueldade, ou cruelty free, significa que seus ingredientes e o produto final não foram testados em animais. Cruelty free se refere especificamente ao processo de teste, não aos ingredientes, o que significa ser possível que um produto sem crueldade contenha ingredientes não veganos, como mel, cera de abelha, lanolina, colágeno, albumina, carmim, colesterol ou gelatina.

É comum que as empresas não testem o produto final em animais, mas o façam ao longo do processo ou usem ingredientes que foram testados em animais por terceiros. E por falar nisso, acredito que você nem precisa ser um ativista radical dos direitos dos animais para se sentir incomodado com o que acontece nos laboratórios de testes.  

E agora, o que procurar?

A melhor opção é procurar ambas as descrições, vegano e livre de crueldade (cruelty free) na hora de escolher um cosmético. Pode ser um pouco mais difícil de encontrar, mas não impossível, especialmente à medida que a demanda cresce e as empresas respondem.

Além disso, é importante ter em mente que qualquer empresa pode usar o termo em seus rótulos, no entanto, selos e certificações de organizações conhecidas e respeitadas, como SVB, The Vegan Society, PETA ou Leaping Bunny são referências para saber se a informação é comprovada.

Um cosmético pode ser vegano e livre de crueldade e não ter um selo ou certificação? Sim. A adesão aos programas de certificação é voluntária e opcional. Boas marcas possuem todas as características que as tornam aptas para as certificações, mas não a fizeram. Isso não torna o produto ruim. Nesse sentido, ressaltamos mais uma vez a importância de aprender a ler o rótulo, e na dúvida, entrar em contato com o serviço de atendimento da empresa e tirar todas as dúvidas.

Além do vegano e do cruelty free

Quem procura por produtos veganos e livres de crueldade, geralmente, também busca por cosméticos com uma lista de ingredientes limpa, segura, verde, orgânica ou totalmente natural. No entanto, ser vegano e sem crueldade não garante todos estes benefícios adicionais. Você ainda precisa ler o rótulo com atenção para ter certeza de não colocar produtos químicos perigosos na pele.

Tampouco, um dos selos ou certificações citados acima se reflete na embalagem. Nesse contexto, é bom lembrar que as embalagens de plástico acabam prejudicando os animais após descartadas.

Certamente, em um mundo ideal, o rótulo vegano e livre de crueldade também se estenderia ao trabalho humano que vai para a obtenção de ingredientes e fabricação de produtos. Por exemplo, a mica é um ingrediente comum em sombras para os olhos e, ainda assim, é conhecida por explorar o trabalho infantil. Assim, sempre que possível, procure também por empresas comprometidas com padrões de trabalho éticos transparentes.

Por fim, acreditamos que a economia vegana tem um incrível potencial de transformar o mundo para melhor. Assim, esperamos que tenha ficado claro que há uma diferença entre cosmético vegano e livre de crueldade (cruelty free).

Se você gostou desse artigo e se interessa por cosméticos veganos, leia mais em:

9 razões para usar cosméticos veganos e naturais

A indústria da beleza vegana se tornou tendência

Cresce a busca por cosméticos veganos no Brasil



por Nadia Ferreira Gonçalves em 27 de novembro