As novidades veganas da Starbucks ao redor do mundo podem ser o mais novo diferencial da empresa.

Com o crescente tamanho do movimento vegano e vegetariano pode até ser estranho notar que grandes restaurantes ainda não tenham muitas opções para este público. Com isto, muitos estão indo atrás deste novo nicho e, após o McDonalds ter anunciado a produção do hambúrguer feito à base de plantas, o McPlant, foi a vez da gigante Starbucks.

A franquia conhecida por seus cafés e frappuccinos adicionou no cardápio de lojas do Oriente Médio, no início do ano, dois tipos de sanduíches com a carne vegetal da Beyond Meat. São mais de 200 estabelecimentos com estas opções. Intitulados “Beyond Meat Triple Cheese Wrap” (ou wrap com três queijos) e “Beyond Meatball Arabian Ciabatta” (sanduíche com almôndega na ciabatta árabe), estas novidades estão sendo vendidas nos Emirados Árabes Unidos e Kuwait. Contudo, não atendem o cliente que não consome nada proveniente de animais, uma vez que há laticínios.

Aproveitando as oportunidades

Mas a Starbucks já está investindo em alternativas veganas enquanto isso. Com um cardápio apenas composto por produtos plant-based, a empresa está usando uma loja em Seattle, EUA, para testar e criar pratos e bebidas. O CEO Kevin Johnson confirmou a notícia em conferência para investidores no dia 27 de janeiro e disse que quando se trata de comida, o que está em alta agora é a mudança no comportamento e nas preferências do consumidor em torno do veganismo.

A diretora de operações, Rosalind Gates, elogiou a expansão do menu: “Vemos isso como uma oportunidade de ouro para expandirmos ainda mais nossa presença e criar itens de alimentação de qualidade para acompanhar um ótimo café.” A loja em Seattle é a única da rede que é 100% sem laticínios e carne animal.

Voltando aos pratos com a Beyond Meat no Oriente Médio, Rana Shaheen, Gerente Regional de Comunicações e CSR Coffee na região e na África do Norte, frisou que esta tendência persistirá na empresa: “A Starbucks está sempre procurando desenvolver produtos novos e estimulantes para nossos clientes que desejam comer mais alimentos ricos em vegetais. Continuaremos a inovar nosso cardápio de comidas e bebidas, oferecendo maior variedade e opções mais deliciosas à base de plantas, enquanto trabalhamos para nos tornarmos uma empresa com recursos positivos.”

Assim como em outros lugares do globo, também há uma grande variedade de leites vegetais nos Emirados Árabes Unidos e no Kuwait, incluindo soja, aveia e amêndoa. O famoso Pumpkin Spice Latte (café com leite de abóbora) foi reformulado para ser totalmente vegano ali e em locais como Reino Unido, Holanda, França, Suíça e Áustria.

Consciência e mudança

O impacto ambiental que empresas como a Starbucks tem é imenso. Kevin Johnson revelou que os laticínios são responsáveis pela maior parte da emissão de carbono da rede, representando 21% das 15,6 milhões de toneladas de gases de efeito estufa emitidos em 2018.

O CEO acredita que investir em leites vegetais venha a ser parte da solução. Agora, a multinacional corre atrás do prejuízo para cumprir suas metas de sustentabilidade. No Reino Unido, por exemplo, já há chantili e sanduíches veganos (alguns feitos com a Beyond Meat), adicionados ao menu em dezembro de 2020. As opções incluem: “No Chick’n & BBQ Bean Hot Wrap” e “Beyond Breakfast Sausage”. Na China também é possível encontrar opções vegan-friendly em mais de 4,200 franquias.

Já em Dallas, Texas, a Starbucks está vendendo: versão teste de sanduíche vegano, Pineapple Coconut Green Smoothie, barrinha de noz e aveia e brownie de chocolate amargo, todos sem ingredientes vindos de animais. A variedade de leites vegetais também irá se expandir: na primavera norte-americana a empresa disponibilizará leite de aveia em todo os Estados Unidos. Em junho de 2020, a Starbucks lançou o Impossible Breakfast Sandwich (pré-feito com laticínios e ovos) e continua testando outros tipos de sanduíche totalmente à base de plantas.

Novidades veganas da Starbucks no Brasil

Embora as novidades veganas da Starbucks no Brasil não sejam tão boas, ainda há esperança. Por enquanto, é possível “veganizar” frappuccinos, chocolates quentes e outras bebidas da marca, pedindo leite vegetal no lugar do animal e/ou tirando chantilly. Também há opções já aptas à veganos e vegetarianos, como os Refreshers Frutas Vermelhas e Limão, Pink Lemonade, Suco Detox, Chai Latte, Chá quente, Chá Gelado, Chá Verde Latte e Cold Brew.

Impacto dos leites vegetais ao lucro

Tanto no Brasil quanto nos EUA, a Starbucks cobra um preço a mais pela escolha do leite vegetal, e ainda não se sabe se a empresa irá parar de cobrar esse extra. Se as margens de lucro dos leites à base de vegetais aumentarem, possivelmente sim.

O diretor financeiro, Patrick Grismer, disse: “Muito disso vai depender de como os consumidores cada vez mais migram para esses leites alternativos, não apenas em nosso negócio, mas amplamente de uma forma que apoie o aumento da produção, o que deve reduzir o custo com o tempo e então teremos a oportunidade de reavaliar se, em algum estágio, faz sentido mudar nossos preços.”



por Ana Reis em 9 de fevereiro