A Mosa Meat, líder global na indústria de carne cultivada, inaugurou recentemente uma nova fábrica de 2.760 metros quadrados. Dessa forma, a empresa elevou sua área total para 7.340 metros quadrados.

A empresa holandesa informou que sua quarta instalação, apelidada de CAMPUS (Centro de Produção de Carne Avançada, Aumento de Escala e Sustentabilidade), localizada em Maastricht, está pronta para a produção em larga escala assim que receber a aprovação regulatória.

Fundada pelo Dr. Mark Post, cientista holandês que fez história em agosto de 2013 ao apresentar o primeiro hambúrguer de carne cultivada do mundo, a empresa está se preparando para expandir sua produção.

Desde então, a empresa tem trabalhado para aumentar a produção de forma mais limpa e sustentável, com o objetivo de remodelar o sistema alimentar global. No ano passado, a empresa publicou uma pesquisa na revista Nature Food descrevendo como substituiu o controverso meio de crescimento, soro fetal bovino, sem modificar geneticamente as células de sua carne.

De acordo com os dados do Crunchbase, a empresa levantou US$ 96 milhões em investimento de capital de risco para avançar em seus esforços.

Fábrica de carne cultivada

Atualmente, a Mosa Meat busca superar os obstáculos regulatórios em Cingapura – o único país que aprovou a venda de carne cultivada até o momento.

A Eat Just, com sede na Califórnia, ainda é a única empresa de carne cultivada no mundo a obter aprovação regulatória em qualquer lugar. Em 2020, a Singapore Food Agency concedeu à empresa uma licença para comercializar seu frango cultivado GOOD Meat.

Vários outros produtores de carne cultivada estão empenhados em garantir a aprovação regulatória em Cingapura e em outras partes do mundo. A Eat Just, juntamente com a Upside Foods, outra produtora de carne cultivada sediada na Califórnia, recebeu cartas “sem perguntas” da Food and Drug Administration dos EUA – o primeiro passo no processo de aprovação de duas agências do país.

Em novembro do ano passado, a Mosa Meat firmou parceria com a Esco Aster, em Cingapura, para ajudar a levar carne bovina cultivada ao mercado.

Futuro da produção

De acordo com o co-fundador e CSO da Mosa Meat, Dr. Mark Post: “Quando introduzimos a carne cultivada no mundo, previmos que levaria 10 anos para criar um produto de consumo. Agora, quase exatamente 10 anos depois, temos um produto de consumo que podemos começar a fabricar em maiores quantidades e que podemos começar a servir aos consumidores em Cingapura, dependendo da aprovação regulatória”.

A inauguração contou com a presença da prefeita de Maastricht, Annemarie Penn-te Strake, o governador de Limburg, Emile Roemer, e a equipe da empresa. Durante o evento, o chef Hans van Wolde realizou uma demonstração de culinária de hambúrguer cultivado e os convidados puderam visitar as novas instalações. O evento recebeu mais de 50 participantes, incluindo investidores, jornalistas e parceiros da cadeia de valor de todo o mundo. A empresa informou que a instalação iniciará sua produção em alguns dias.

“Quando esta instalação de expansão entrar em operação no próximo mês, teremos a capacidade de fazer dezenas de milhares de hambúrgueres cultivados”, disse o CEO da Mosa Meat, Maarten Bosch, sobre o lançamento.

“A instalação foi projetada para crescer à medida que a demanda aumenta com aprovações regulatórias e entradas no mercado regional, até centenas de milhares de hambúrgueres cultivados por ano. E em combinação com nosso fabricante contratado em Cingapura, muito mais. Estamos empolgados em lançar hoje este hambúrguer saboroso que até os carnívoros radicais vão adorar”, disse Bosch.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também:

Couro de tomate? Conheça a alternativa da Bioleather

Trocas fáceis e ecológicas para você fazer no dia a dia

6 marcas de cosméticos veganos de alta performance

Imagem ilustrativa de capa: Divulgação Mosa Meat

Por Ana Cristina Gomes em 12 de maio
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores