Muito se fala em consumo consciente. Mas diante do atual cenário se faz imperativo trazer o tema para reflexão e tomada de decisão em relação à mudança global que se impõe em todo o mundo.

Inegavelmente, desde alimentos e roupas até eletrônicos e carros, comprar as coisas de que precisamos e queremos sempre foi uma parte inevitável de nossas vidas. No entanto, a partir do momento que o impacto de nossas decisões de consumo afeta à coletividade, precisamos rever nossos conceitos.

Quais as implicações de comprar alguma coisa?

O impacto não termina quando o dinheiro é gasto e o produto é utilizado. Antes de mais nada, é importante lembrar que há todo um longo processo que leva um produto do estágio de matéria-prima até as prateleiras. Sem mencionar o que acontece depois que chega ao fim de sua vida útil. 

Para além da preocupação com preço e qualidade, os consumidores estão cada vez mais preocupados com o impacto social dos produtos que compram, e todo o ciclo que vai da produção ao descarte.

Só para ilustrar, imagine as idas ao supermercado. São corredores de alimentos e bebidas que parecem não ter fim, você considera o impacto de todos os itens adicionados ao carrinho? Será que os consumidores se perguntam: de onde vem esse peito de frango? Como essa galinha foi criada? Que tipo de impacto a avicultura tem sobre as mudanças climáticas? 

Como o consumismo consciente pode mudar o mundo?

Seja como for, aqui está uma estatística animadora: 73% dos consumidores globais afirmam que mudariam seus hábitos de consumo para reduzir seu impacto no meio ambiente.

Por mais que pareça um processo demasiado lento, à medida que os consumidores se tornam cada vez mais conscientes dos efeitos dos bens de consumo em seus corpos e no mundo ao seu redor, eles também estão interessados em comprar, e às vezes até pagando mais, por produtos que ajudam o meio. 

De fato, consumidores de todo o mundo dizem que estão dispostos a pagar mais por produtos que contêm ingredientes naturais ou orgânicos. Somente nos EUA, espera- se que os consumidores gastem US $ 150 bilhões em produtos sustentáveis até 2021.

Por mais que os consumidores sejam apenas uma das muitas peças do quebra-cabeça, uma vez que a peça está no lugar, a tendência é de que as outras comecem a se posicionar de acordo. 

Os benefícios do consumismo consciente

Sem dúvida, como indivíduo, pode ser difícil ver os benefícios de ser um consumidor consciente. Afinal, o que a compra de sabão orgânico ou o boicote a uma empresa conhecida por oferecer péssimas condições de trabalho aos seus colaboradores faz a longo prazo? 

Mas somar as ações de cada pessoa equivale a grandes mudanças no grande esquema das coisas, e o benefício coletivo do consumo consciente pode aparecer.

De modo similar, a lógica se aplica a comportamentos prejudiciais, como a destinação do resíduo. Uma pessoa pode não se importar em descartar bens de consumo usados no lixo, mas imagine se pessoa tiver essa atitude em todo o globo? Muitas partes do mundo já precisam lidar com mais resíduos do que são capazes, e isso é assustador. Além disso, é bom lembrar que a opinião do consumidor e a ação individual desencadeiam mudanças exponenciais!

Ao comprar produtos éticos, você apoia empresas e produtores que:

  • pagam aos seus trabalhadores um salário digno;
  • proporcionam aos trabalhadores um ambiente de trabalho saudável;
  • contratam trabalhadores capacitados, ou os capacita;
  • estão envolvidas em práticas sustentáveis.

Tomemos a agricultura orgânica como um exemplo de como o consumo consciente pode afetar a mudança: há vinte anos, a agricultura orgânica era uma indústria de nicho, com vendas irrisórias. Mas, à medida que mais consumidores começaram a apreciar a ideia de agricultura livre de produtos sintéticos tóxicos, pesticidas que poluem o ar e a água e degradam o solo, eles começaram a mudar suas compras, e a agricultura orgânica ganha mais espaço a cada ano.

Mais uma boa notícia: o impacto no consumo está causando outros efeitos de mudança no mundo e no mercado. Acontece que escolher energia renovável é mais do que apenas uma tendência da moda. Assim, graças à crescente demanda, à medida que mais e mais pessoas instalam painéis solares, compram créditos de energia renovável e usam a energia verde para diversos fins, as fontes de energia renovável tornaram-se ainda mais baratas e acessíveis.

Como o consumo consciente impacta o mundo

À medida que os consumidores se tornam mais conscientes das duras realidades ligadas a questões como mudança climática e poluição, bem como trabalhadores mal pagos em más condições de trabalho, mais ponderados ficam com suas compras. 

Por exemplo, problemas de saúde como asma e doenças infecciosas tem sido associados à deterioração da qualidade do ar e da água e, em casos extremos, diminuição da função cerebral e até a incapacitação e a morte. 

Ademais, para colocar isso em perspectiva, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 12,6 milhões de pessoas morrem anualmente de riscos ambientais à saúde. Esse número é suficiente para fazer alguém levantar as sobrancelhas.

Semelhantemente, entrelaçada em nossas decisões de compra está a tecnologia. Com o clique de um botão, podemos pesquisar um produto e solicitar o aconselhamento de pessoas on-line sobre quais produtos e empresas são éticos ou não. 

Em síntese, os métodos e a velocidade com que compartilhamos informações mudaram drasticamente e, por sua vez, transformaram a maneira como compramos on-line e off-line.

Ações práticas para um mundo melhor

Inegavelmente, muito pode ser feito: podemos tomar ações individuais e institucionais, como repensar a troco de que, oferecemos nosso tempo e nosso dinheiro. Ainda, apoiar nossos governos no investimento em energia renovável e ação comunitária incentivando nossos amigos, familiares e colegas a ao consumo consciente.

Fácil? Definitivamente não. Mas o consumo consciente é um meio certo de impactar a mudança global que se faz necessária para o bem de todos. 



por Nadia Ferreira Gonçalves em 25 de março