Primeiro peço para que quem não é vegano leia esse texto com a mente aberta para novos argumentos, e principalmente com a cabeça bastante preocupada com a atual situação de fome no nosso país.

Atualmente estamos com o número de 5,2 milhões de brasileiros com fome. Sim, só no Brasil. Segundo o Observatório do Terceiro Setor, só em 2017 tinham no mundo 821 milhões de pessoas consumindo menos calorias do que o necessário por dia.

Além desse número trazer o risco para Brasil de voltar ao Mapa da Fome, é um número muito preocupante e que nos faz refletir sobre o que podemos fazer para diminuir esses dados.

Primeiro, vamos entender os dados:

História do Brasil no Mapa da Fome

Primeiro ponto importante, o que é o Mapa da Fome?

O Mapa da Fome combina dados sobre a oferta de alimentos e aplica questionários a uma amostra da população para estimar a quantidade de pessoas que vivem com uma quantidade abaixo de calorias do que o necessário. No mapa da fome, você encontra desde 1990 o número global de pessoas subalimentadas no mundo, e em quais regiões elas vivem.

Para um país estar dentro do Mapa da Fome, ele precisa ter mais do que 5% da sua população dentro dessa estimativa.

O Brasil até 2014 estava no Mapa da Fome. Alguns dos fatores que possibilitaram a saída do país desse mapa foram:

  • políticas de caráter macroeconômico, incluindo formalização do trabalho e correção do salário mínimo acima da inflação;
  • bolsa família, embora não seja um programa apenas para alimentação, boa parte desse valor é gasto apenas para isso;
  • programas regionais, que foram desde merendas escolas às cisternas no semiárido, a aquisição de alimentos da agricultura familiar

Esses pontos foram alguns dos responsáveis por levar diminuir o índice de subalimentação no Brasil para 3%.

Agora o que pode levar o Brasil de volta ao Mapa da Fome?

Alguns dos principais motivos para o Brasil está com risco de voltar ao Mapa da Fome são:

  • o aumento da pobreza;
  • o congelamento em investimentos sociais pelo período de 20 anos, aprovado pelo Congresso nacional;
  • a alta taxa de desemprego;
  • a redução de beneficiários do Bolsa Família.

Os dados são preocupantes. A quantidade de brasileiros com fome está crescendo, e precisamos de medidas para desacelerar e combater isso.

Como o veganismo pode ajudar?

Embora o veganismo sozinho não seja capaz de combater a fome, existem alguns pontos nessa mudança de estilo podem sim auxiliar na redução da fome no munda, tais como:

Aumento da oferta de empregos

O crescimento do veganismo traz junto o crescimento de um grande mercado. Somente no ano de 2016, conseguimos ter 60 mil oportunidades de emprego graças ao veganismo.

As oportunidades de mercado para o veganismo são muitas. A alimentação, por exemplo, está se expandindo de diversas formas: carnes vegetais, leites e queijos veganos, fast-food, delivery’s.

E o veganismo não trabalha apenas com a alimentação, podemos citar como exemplos alguns cases de sucesso de moda vegana. Além disso, o mercado ainda expande para cosméticos, produtos de limpeza, produtos ecológicos, produtos pets, e muito mais.

Conforme comentamos acima, a falta de emprego é uma das principais causas de fome no país. Dessa forma, com empreendedores movimentando o mercado vegano, geram diversos empregos para a população. Como consequência positiva disso, podemos reduzir o número de brasileiros com fome.

Carne pode gerar insuficiência de alimentos

Essa frase pode soar estranha para quem não está acostumado com dados importantes sobre a pecuária. Porém, um dos perigos do consumo de carne está na possibilidade de insuficiência de alimentos.

Se você é uma das pessoas que pensam que a carne é uma das melhores forma de alimentar a população, e só assim poderia alimentar a população, te convido a refletir um pouco sobre esse tópico.

A produção de alimentos na pecuária gera uma quantidade muito grande desperdícios. Para alimentar os animais, são usadas grandes extensões de terra para produção de grão que poderiam alimentar muitas pessoas. A maior parte dos grãos cultivados no mundo, cerca de 465 milhões de toneladas é utilizada para alimentar e engordar o gado.

Para você conseguir comparar, para produzir 1kg de carne são precisos 5 a 10 kg de alimentos vegetais. Será que a melhor escolha para diminuir a fome é se alimentar de animais explorados que consomem muitas mais calorias do que o ser humano?

Quer entender um pouco mais sobre este assunto? Te convido a ler também os seguintes artigos:

A segunda sem carne já ajuda

Se para você se tornar vegano é uma ação muito radical para o momento, a segunda sem carne pode ser um começo.

Ao optar pela segunda sem carne você já contribui com 150 mil toneladas de grão de soja. Esse dado é referente a segunda sem carne de 2017, você pode conferir mais aqui.

Imagina esse valor sendo convertido não mais em ração, mas para alimentação humana?

Claro que o veganismo não é a única solução para o combate aos 5,2 milhões de brasileiros com fome. Porém é pode ser um começo.

Precisamos estar atentos às possibilidades e também escolher medidas que possam contribuir com a diminuição desse número. Além do veganismo, podemos auxiliar ONGs que buscam ajudar brasileiros com fome. O importante é que no final cada um de nós contribua de alguma forma para o combate a fome no nosso país.

Leia também 10 motivos para se tornar vegano hoje e Go Vegan: o que você conhece sobre esse movimento



por Lari Chinaglia em 14 de janeiro