Amsterdã tornou-se a primeira capital da União Europeia a endossar apelos por um Tratado Global Plant-Based, que propõe abordar o impacto do sistema alimentar nas mudanças climáticas, promovendo uma dieta mais plant-based.

Em um comunicado, o Conselho da Cidade de Amsterdã reconheceu que o sistema alimentar “tem um impacto significativo na saúde de pessoas e animais e contribui para a crise climática”. Eles planejam mudar a proporção de proteínas na dieta da cidade de 40% para 60% plant-based até 2030, afirmando que a municipalidade “assume a responsabilidade de impulsionar mudanças no sistema alimentar, garantindo que todos os residentes de Amsterdã tenham acesso a alimentos e bebidas saudáveis, justos, sustentáveis e acessíveis”.

O conselho também aprovou uma proposta do Partido pelos Animais, pedindo para Amsterdã se tornar uma “Capital Plant-Based”, incluindo medidas como:

  • Disponibilidade de refeições plant-based em todas as instituições financiadas pelo público a partir deste ano.
  • Uma iniciativa “Sexta-feira Vegana” em instituições públicas.
  • Compromisso para que os fornecedores sirvam 60% de proteína plant-based, de acordo com a proporção estabelecida pelo conselho.
  • Organização de uma conferência anual de base vegetal para instituições públicas.

Liderança em ação climática

Agora, 25 governos municipais em todo o mundo endossaram o Tratado Plant-Based, incluindo Los Angeles e a capital escocesa, Edimburgo. Recentemente, a cidade britânica de Exmouth também aderiu, enquanto o distrito londrino de Lambeth solicitou o tratado em outubro de 2023.

Amsterdã já havia se comprometido com dietas plant-based em 2021, planejando incentivar os cidadãos a serem 50% plant-based até 2030. Na época, o conselho municipal afirmou que aumentaria a disponibilidade de alimentos sustentáveis e saudáveis em bairros vulneráveis e ao redor de prédios públicos, como escolas.

Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores

“Amsterdã demonstrou sua liderança em ação climática ao ser a primeira capital da UE a apoiar o Tratado Plant-Based”, disse Lea Goodett, do Plant Based Treaty Netherlands. “Instamos mais cidades a aderirem para abordar os impactos do sistema alimentar na emergência climática. A introdução de iniciativas alimentares plant-based, como a ‘Sexta-feira Vegana’, tornará alimentos sustentáveis acessíveis a todos, melhorando nossa saúde e fortalecendo a segurança alimentar. Todos podem participar, enviando um e-mail ao conselho de sua cidade convidando-os a seguir o ótimo exemplo de Amsterdã.”

Leia também:

Carne cultivada híbrida: Fork & Good realiza degustação inédita

Indústria de carne bovina quer rotular carnes alternativas como “imitação”

Planteneers e Handtmann inovam na marmorização de bifes plant-based

Por Vitor Di Renzo em 3 de fevereiro