A Good Startup, empresa de venture capital sediada em Cingapura, levantou US$ 34 milhões para o fundo Good Protein Fund I. Com esse fechamento, o valor será utilizado para investir em alternativas proteicas, aportando em empresas inovadoras dentro do ecossistema global. 

O fundo teve a participação de diversos investidores, incluindo Harris Komishane (ex-chefe de finanças e estratégia da Fidelity Investments), Vijay Goradia (fundador e presidente da Vinmar International) e Bala Vissa (professor de empreendedorismo do INSEAD). 

Jayesh Parekh, sócio-gerente da Good Startup, destacou no comunicado

“O forte interesse que vimos é uma prova da confiança dos investidores em nossa missão — um compromisso que ajudará a impulsionar ainda mais o crescimento em inovação de proteínas alternativas. Continuaremos a apoiar empresas que compartilham nossa visão de usar ciência e tecnologia para criar alimentos que não sejam apenas saudáveis ​​e saborosos, mas que também possibilitem um sistema alimentar sustentável e ecologicamente correto”.

Com a missão de remover os animais do sistema alimentar, a empresa tem em seu portfólio de investimento diversos negócios: Impossible Foods (carnes plant-based), Eat Just (ovos plant-based e carne cultivada), Motif FoodWorks (ingredientes para alimentos à base de plantas), Upside Foods (carne cultivada), The EVERY Company (proteínas com fermentação de precisão), Melt & Marbles (gorduras para produtos à base de plantas), Remilk (leite feito com fermentação), entre outras. 

Além de investir nas empresas com o seu novo fundo, a Good Food afirmou que trabalhará com as empresas de seu portfólio auxiliando-as nas seguintes áreas: proteção de propriedade intelectual, design organizacional, estratégia de contratação e captação de recursos. 

A importância de investir em alternativas proteicas 

As empresas de proteínas alternativas estão recebendo mais investimentos. 

Conforme dados, apontados pelo The Good Food Institute, esses negócios receberam US$ 5 bilhões em investimentos divulgados em 2021, um valor 60% maior do que o ano de 2020 (US$ 3,1 bilhões). 

“Com uma população global crescente e um nível mais alto de riqueza, veremos uma escassez de proteínas até 2050. A inovação tecnológica pode impulsionar uma nova geração de produção de alimentos que forneça nutrição sustentável ao planeta. O apoio financeiro de nossa última rodada, nos capacita a continuar nosso trabalho em maior escala. Estamos agora em uma posição mais forte para aumentar o envolvimento de nossos stakeholders e facilitar conexões mais profundas do ecossistema em corredores estratégicos transfronteiriços, como aqueles entre a Ásia e a América do Norte”, explicou Gautam Godhwani, sócio-gerente da Good Startup. 

Sobre a Good Startup 

A empresa de venture capital foi fundada em 2021, sendo que investe em vários tipos de proteínas alternativas, sejam elas cultivadas, plant-based ou feitas utilizando micróbios. Atualmente, tem em seu portfólio 21 negócios, porém, a meta é aportar em 35 empresas. 

Seus critérios de investimentos são: produtos que removam os animais do sistema alimentar, propriedade intelectual exclusiva ou fórmula proprietária, haver progresso em direção aos marcos iniciais da empresa e, é claro, fundadores motivados, apaixonados e comprometidos. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

The Good Food Institute: acelerando a inovação das proteínas alternativas

Dinamarca lança fundo de US$ 100 milhões para alimentos plant-based!

61% dos consumidores preferem as proteínas à base de plantas

*Imagem de capa de Gautam Godhwani e Jayesh Parekh: Divulgação Good Startups 



por Amanda Stucchi em 12 de maio